Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Blogando pela democracia ao redor do mundo

antony.jpg Antony Loewenstein[En] é um jornalista freelance baseado em Sidney, autor e blogueiro. Atualmente ele está escrevendo um livro sobre “Democracia e Blogagem” e recentemente viajou para Cuba, Egito, Irã, Síria, Arábia Saudita e China para se encontrar com blogueiros.

P: Você pode se apresentar e ao seu novo projeto para um livro?

Como jornalista e autor na Austrália, há muito me interesso pelos modos com que blogar desafia a arrogância que a mídia mainstream vem sustentando por um longo tempo. Por que auto-declarados experts deveriam ser mais respeitados do que cidadão normais? Por muitos anos, tenho visto muitos membros do meio jornalístico que representam um papel pouco além de promover a atual elite poderosa, ao invés de fazerem seu trabalho, que é desafiar o status-quo. Os blogues podem alcançar isso.

Meu último livro foi sobre Israel e Palestina,My Israel Question[En] (Minha Questão Israel), e me tornei fascinado pelas vozes de várias nações ao redor do mundo, principalmente ás dos países onde a mídia do estado é tradicionalemente a única autoridade. Francamente, escrever sobre Israel/Palestina também é fisica e emocinalmente desgastante- correspondências com declarações odiosas e ameaças de morte não são incomuns- e a chance de abraçar uma assunto diferente era de um grande apelo para mim.

Então, meu novo projeto para um livro ( que deve ser lançado no final de 2008) é sobre a internet em regimes repressores, de que maneira a rede mudou o debate ao redor do mundo, como multinacionais Ocidentais estão prestando assistência aos governos na filtragem da rede e como estereótipos Ocidentais sobre o mundo não-Ocidental estão finalmente sendo desafiados. Recentemente viajei para Cuba, Egito, Irã, Síria, Arábia Saudita e China e conversei com vários escritores, blogueiros, criadores de confusão online, políticos e dissidentes.

A nação mais demonizada do planeta

Gun mosaic P: Você esteve no Irã e conversou com blogueiros. Você ficou sabendo de alguma coisa que não sabia antes? Alguma surpresa?

O Irã é, provavelmente a nação mais demonizada do planeta no momento. ~Antes de chegar, esperava ver uma população assustada, pessoas com medo de expressar suas opiniões verdadeiras. Apesar de ter descoberto isso em partes, eu também senti ao conversar com blogueiros que muitos estavam combatendo ativamente o governo de Mahmoud Ahmadinejad e suas políticas sociais cada vez mais insanas. Obviamente, esses indivíduos podem ser apenas uma minoria vocal, mas muitas das mídias ocidentais raramente retrata os iranianos como mais do que religiosos e fundamentalistas.

Encontrei muitos blogueiros ocidentalizados, sofisticados, ateus, viciados em internet, bêbados, hip-hoppers, fumantes e liberais. De novo, muitos iranianos são o oposto disso – na verdade, me disseram que os mullahs estão ativamente melhorando seus blogues conservadores agora, em Qom para servir aos seus propósitos – mas a sociedade iraniana é muito mais complexa do que eu esperava.

Filtragem na internet está aumentando no Irã e ficando cada vez pior ( meu artigo para o Guardian[En] se aprofunda neste assunto.) Muitos blogueiros que conheci viram isso como desafios, mas quando, por exemplo, inúmeras palvras-chaves são bloqueadas – de “adolescente” a “pau”, “asiático” a “mulher” – está claro que a internet está desafiando regras autoritárias como nenhuma outra tecnologia na História.

Uma fonte essencial de expressão

P: Como você avalia a influência da blogosfera iraniana na sociedade?

é difícil dizer. Não há dúvidas que o uso da internet no Irã é massiva e que há um número estimado em um milhão de blogues, mas eles realmente afetam a sociedade? Acredito que sim. Vi um dos maiores jornais falando sobre posts de blogues, até mesmo os citando (incluindo as publicações mais conservadoras.) Os mullahs reconhecem que a blogagem não é somente mais uma moda, veio para ficar. Para algumas mulheres iranianas que conheci, este era seu único meio para expressar insatisfação com a rigidez do governo na questão de sua liberdade, incluindo códigos de vestimenta, comportamento em público, etc.

Os blogues não começarão uma revolução, mas eles já acenderam uma chama poderosa no país. Para uma população jovem desesperada para se engajar no mundo, e uma mídia estatal que culpa os E.U.A, Israel e os judeus por qualquer problema concebível, os blogues continuarão a ser uma fonte essencial de expressão.

P: Você esteve na Arábia Saudita também. Você pode me contar sobre sua blogosfera? Há alguma base para comparação entre a blogosfera saudita e a iraniana?

De muitas formas, a Arábia Saudita faz o Irã parecer muito liberal. O Reino é um lugar muito mais conservador. Mulheres não podem dirigir, trabalhar em lojas. Como um ocidental, era virtualmente impossível para mim conversar com mulheres sauditas. Mas, quando se trata da internet, os sauditas não prendem blogueiros e censuram pouco se comparados com a república islâmica ( meu artigo para o Guardian[En] aprofunda mais neste ponto.)

Conheci um número de blogueiros sauditas, incluindo Saudi Jeans[En], que me contou sobre a frustação de ver sua sociedade se movendo tão devagar na direção da reforma política. A cena blogueira iraniana é muito mais avançada que a da Arábia Saudita, e é bem mais integrada na sociedade (mas não na burocracia governamental, onde as rodas giram bem devagar.)

A democracia está sob ameaça

P: Pode a democracia ser servida pelos blogues?

A democracia está inquestionavelmente sob ameaça ao redor do mundo, tanto no Ocidente quanto no mundo não-Ocidental. Em países como Inglaterra, E.U.A e Australia, os governos foram à guerra no Iraque contra a vontade do povo, continuam mantendo tropas lá contra a vontade do povo e lutariam uma nova guerra – talvez contra o Irã, nos próximos anos – contra o desejo da população. Isto não é democracia; é um autoritarismo iludido fantasiado de uma forte política externa.

Os blogues certamente democratizaram o processo político, e deram a cidadãos “comuns” uma chance de se engajarem. No meu país, Austrália, a internet vem sendo ativamente utilizada [En] por todos os maiores partidos políticos na corrida para as próximas eleições federais.
Em países como o Irã, China e Egito, a internet está ameaçando o governo de governos não democráticos, e blogueiros estão, na maioria das vezes, pagando um preço muito alto por simplemente estarem ameaçando, digamos, a brutalidade da polícia. Os blogues não podem trazer a democracia por si só, mas eles com certeza colocam um número maior d epessoas no processo. Isto é apenas algo ruim para aqueles que não querem desistir do poder.

P: Você tem algumas idéias para o Global Voices se tornar mais eficiente em criar uma ponte entre diferentes comunidades?

O Global Voices já está fazendo um trabalho maravilhoso ao revelar o mundo. Ler sobre blogueiros em países como a Palestina, Fiji e o Iraque, para nomear alguns, faz com que viremos pessoas mais compreensívas. Adoraria que o GV assistisse mais aos cidadãos de países pobres para terem acesso à rede e terem uma voz. Este é o dever de todos nós que somos privilegiados o suficiente em usar tecnologia todo dia.

Foto por: Antony Lowenstein,do muro da Embaixada Americana em Terã.

(Texto original de Hamid Tehrani)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

1 comentário

  • Com os melhores cumprimentos.

    Foi com alguma satisfação que li suas crónicas e vi sua Biografia.
    Quero também deixar aqui meu” BLOG “que acho que será um bom veículo de transmissão de informação e sensibilização, para questões mundiais. O facto de elaborar este” simples BLOG” foi ter estado em missão humanitária em Africa no qual fiquei sensibilizado para várias questões que muitas vezes ignoramos.Este BLOG é feito com a colaboração de todos os internautas!
    E já agora apelo para que depois de ver, faça algum comentário se assim o achar, ou mandar alguma matéria que ache importante, para a divulgação do mesmo. Desde já o meu muito obrigado pela atenção dispensada. Se possível passe também a seus amigos para que possam ver e comentar. As maiores felicidades para sua carreira.
    Photochannell. (Sérgio de Deus) Portugal

    http://photochannell.blogspot.com/

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.