Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Sobre

O Global Voices é uma comunidade de mais de 1400 escritores, blogueiros, analistas, jornalistas, especialistas de media online e tradutores espalhados pelo planeta que trabalham juntos na cobertura de blogues e das redes sociais de toda a parte, dando ênfase às vozes que não são normalmente escutadas pelos veículos de comunicação social internacional.

O Global Voices pretende agregar, contextualizar e amplificar a conversação global online – realçando locais e pessoas que outras medias muitas vezes ignoram. Nós trabalhamos para desenvolver ferramentas, instituições e relações que possam contribuir para que todas as vozes, em todos os cantos, possam ser ouvidas.

Milhões de pessoas mantêm blogues, podcasts, carregam fotos, vídeos e informação em todo o mundo, mas a não ser que saibamos onde procurar, pode ser difícil encontrar vozes credíveis e respeitadas. A nossa equipa internacional de autores voluntários e editores em part-time participam ativamente nas blogosferas sobre as quais escrevem no Global Voices.

Rostos e Vozes do Global Voices em Português, vídeo por Fernando Sapelli.

O Global Voices está registado na Holanda como Stichting Global Voices, uma fundação sem fins lucrativos. Não temos um escritório, mas trabalhamos como uma comunidade virtual através de múltiplos fusos horários, com encontros presenciais somente quando surge a oportunidade (geralmente nos nossos Summits). Dependemos de bolsas, patrocínios, trabalhos comissionados, e doações para cobrir os nossos gastos.

Nossos Projetos

O Global Voices é traduzido para mais de 35 idiomas por tradutores voluntários, que formaram o projeto Língua. Além disso, o Global Voices tem o website e a rede Advocacy para ajudar as pessoas que querem falar em locais onde as suas vozes são censuradas. Temos também um projeto de alcance chamado Rising Voices, que auxilia comunidades marginalizadas a usarem a mídia cidadã como forma de se fazerem ouvir, com uma ênfase no mundo em desenvolvimento.

Leia mais sobre os nossos projetos [en].

Elisa S. Thiago apresentou uma comunicação científica sobre o Global Voices Online: Ativismo Digital e Mídia Cidadã [pdf], na VIII Conferência Brasileira de Mídia Cidadã que tomou lugar em Brasília, em setembro de 2012.

A nossa História

O Global Voices foi fundado em 2005 pela ex-chefe de redação da CNN em Beijing e Tóquio Rebecca MacKinnon, e o tecnólogo e especialista em África Ethan Zuckerman, quando eram ambos investigadores do Berkman Center for Internet and Society na Universidade de Harvard. A ideia do projeto, que começou como um simples blogue, brotou de um encontro internacional de blogueiros realizado em Harvard em dezembro de 2004. (Aqui há um relato escrito e um podcast desse encontro).

O Global Voices expandiu-se rapidamente graças ao vínculo com o Berkman Center, ao apoio da Reuters e da MacArthur Foundation, e à energia e criatividade dos nossos colaboradores.

Os nossos Principais Objetivos

Numa altura em que a mídia internacional de língua inglesa ignora muito do que é importante para os cidadãos do globo, o Global Voices tem como meta reparar algumas das inequidades na atenção midiática ao alavancar o poder da mídia dos cidadãos. Nós acreditamos em liberdade de expressão e na criação de pontes entre os abismos que dividem as pessoas.

Nós desejamos:

  • Chamar atenção para as conversas e perspectivas mais interessantes que emergem da mídia cidadã pelo mundo, como links para texto, fotos, podcasts, vídeo e outras formas de mídia cidadã.
  • Facilitar a emergência de novas vozes cidadãs através de formação, tutoriais online e pela divulgação das formas com que ferramentas de código aberto e livre podem ser usadas para que as pessoas possam expressar-se de maneira segura.
  • Trabalhar pela liberdade de expressão em todo o mundo e pela proteção de direitos dos jornalistas cidadãos, para que reportem eventos e opiniões sem temer censura ou perseguição.

Visite a nossa página de Perguntas Mais Frequentes [en] para saber mais.