Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Mariana Chevrand

Minha formação acadêmica é em Direito, fui advogada civil e trabalhista por 9 anos, o que me fez adquirir uma intensa capacidade de produção textual, com alto poder de persuasão. O fato de eu ter estudado vários outros campos para apoiar meus casos judiciais me deu versatilidade. Eu posso trabalhar com prazos curtos e sob pressão.
Trabalho como tradutora freelancer desde 2013 e minhas áreas de conhecimento são literatura geral, documentos pessoais, jornalismo, ciências sociais, humanidades e direito. Atualmente trabalho como tradutora / legendadora freelancer para a Deluxe Sfera Studios, como tradutora freelancer para Babeltype, como avaliadora de mídia social para a Lionbridge e também como voluntária para jornalismo internacional independente com foco em direitos humanos e meio ambiente.

Email Mariana Chevrand

Últimos posts por Mariana Chevrand

28 Abril, 2019

Mulheres queer no norte do Cáucaso enfrentam violência sexual, casamento forçado e assassinato

RuNet Echo

Das 21 mulheres entrevistadas pelo QWNC, oito conheciam alguém, entre seus amigos, parentes ou vizinhos, que foi morto por familiares homens por comportamento que "humilhou a família".

2 Abril, 2019

Por que o povo indígena pemón posicionou-se contra o governo de Nicolás Maduro?

Nos últimos anos, o presidente bolivariano autorizou projetos de extração mineral no território dos pemón sem o seu consentimento, e também a presença de forças militares regularmente mobilizadas em suas terras.

14 Março, 2019

A campanha “Não é permitido tocar” aumenta a conscientização sobre o abuso infantil no Paquistão

O Paquistão necessita outras campanhas além da #ChoonaManaHay para atingir todos os cidadãos e criar um impacto maior na prevenção do abuso infantil.

6 Março, 2019

O que as fraldas me ensinaram sobre a Europa

The Bridge

"Com acesso irrestrito à internet e a informações, minha consciência crítica foi despertada. Eu comecei a reconsiderar conceitos binários como 'desenvolvido' e 'atrasado' e a reanalisar políticas tanto do Turcomenistão quanto do Ocidente."