Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Estudantes usam arte para ilustrar injustiças e violações de direitos humanos nas Filipinas

Este esboço mostra uma pessoa representada por um porco que dispara um tiro contra um adolescente desarmado. O desenho apresenta a matança extrajudicial de milhares de pessoas, incluindo adolescentes, executada por mascarados supostamente ligados à polícia e outras forças do governo. Fonte: UGATLahi Artist Collective, usada sob permissão.

Um grupo de estudantes filipinos de ensino médio protestou contra a situação trágica dos direitos humanos no país por meio de poderosas imagens.

São estudantes do colégio de ensino médio Batasan Hills que fica em um local de mesmo nome na cidade de Quezon, comunidade urbana pobre, considerada uma das zonas mais sangrentas da famigerada campanha do presidente Rodrigo Duterte, Oplan Tokhang (em filipino, guerra contra as drogas).

O número de vítimas da guerra contra as drogas de Duterte chegou a 20.000, segundo um informe governamental de dezembro de 2017 sobre o suposto êxito da campanha. No entanto, o governo voltou atrás e substituiu esse número por outro oficial e moderado de mais de 4.251 mortos até abril de 2018.

Os críticos da Oplan Tokhang acusam o governo de Duterte de permitir que suas forças prendam e matem impunemente os suspeitos de crimes relacionados às drogas.

Batasan Hills carrega o peso da sangrenta guerra às drogas, onde oficiais do departamento de Batasan mataram 108 pessoas na luta contra o tráfico, entre julho de 2016 e junho de 2017, o que representa 39% das mortes em Quezon nesse período.

No dia 28 de agosto de 2018, os estudantes participaram de uma oficina de arte organizada pelo grupo ativista Sining Bugkos com o objetivo de promover uma cultura progressista e em prol do povo, manifestando o direito dos jovens a um futuro pacífico. A oficina é parte de uma caravana temática de arte, Kultura Karapatan Kapayapaan (cultura, direitos e paz).

A oficina teve a participação de 190 estudantes em sessões de arte visual, teatro, música, poesia, fotografia e dança.

Max Santiago, um dos organizadores, participante da oficina e integrante do UGATLahi Artist Collective, disse:

Aware ang kabataan sa mga nangyayari sa lipunan. Makikita sa mga larawan ang EJK, Charter change,digmaan at ang agwat sa pagitan ng mahirap at mayaman sa lipunan.

Os jovens têm consciência do que está acontecendo na sociedade. As imagens mostram a matança extrajudicial, a mudança constitucional, a guerra e a desigualdade entre pobres e ricos na comunidade.

Estas são algumas imagens digitais feitas pelos estudantes e divulgadas por UGATLahi Artist Collective:

Esta imagem digital pede o fim da matança extrajudicial relacionada às drogas. Reúne imagens de operações da Oplan Tokhang em comunidades urbanas pobres. Fonte: UGATLahi Artist Collective, usada sob permissão.

Esta imagem digital representa a matança de estudantes e jovens na chamada “guerra às drogas”, e os protestos públicos que a situação tem gerado. Fonte: UGATLahi Artist Collective, usada sob permissão.

Esta imagem, com o título Karapatan (direito), mostra as famílias pobres despejadas das comunidades que o governo planeja usar para projetos comerciais. Fonte: UGATLahi Artist Collective, usada sob permissão.

Esta imagem digital reflete a luta de muitos estudantes que sonham conquistar um diploma, o que se torna difícil pela pobreza em que vivem. Fonte: UGATLahi Artist Collective, usada sob permissão.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.