Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Nikolai Slavov, cientista búlgaro residente nos EUA, explica o futuro da medicina: tratamento do câncer e envelhecimento

Nikolay Slavov. Foto: Adam Glanzman/Universidade Northeastern, uso com permissão.

Seria possível tratar a maioria das doenças oncológicas? Em qual direção a medicina está indo? Um cientista búlgaro residente nos Estados Unidos responde perguntas sobre ciência moderna, métodos de tratamento alternativo, clonagem e a possibilidade de uma juventude prolongada.

Nikolai Slavov vive nos Estados Unidos desde 2001 e é atualmente professor assistente na Universidade Northeastern, em Boston. Em 2006, recebeu um prestigiado prêmio de U$ 2,3 milhões do Instituto Nacional de Saúde, a maior instituição de financiamento de pesquisa científica do mundo. Sua pesquisa inovadora, nada fácil de explicar, é focada em uma das maiores estruturas celulares, os ribossomos, anteriormente considerados iguais em todas as células humanas. Contudo, o cientista descobriu que células diferentes podem carregar diferentes tipos destas estruturas fundamentais.

Nevena Borisova (NB): Qual fator é o mais crucial para uma desordem oncológica de acordo com a ciência moderna: herança genética ou estilo de vida?

Nikolai Slavov (NS) My work cannot answer to this question, but there is a very broad consensus in the scientific community that both factors contribute to that. According to available evidence some diseases are genetically inherited, while others depend on the way of life…

Nikolai Slavoc (NS) Meu trabalho não pode responder essa pergunta, mas há um grande consenso dentro da comunidade científica de que ambos contribuem para isso. Baseado em evidências disponíveis, algumas doenças são herdadas geneticamente enquanto outras dependem do estilo de vida.

 

NB: O câncer é uma doença moderna?

NS: Oncology diseases in their vast majority are diseases of the elderly. The biggest factor is the fact that modern populations have a longer life span. Many decades ago there were plenty of infectious diseases. In some cases, the growth of certain types of cancer can be associated with the environment, or with a more stressful lifestyle. However, these types of conclusions are often made on the basis of epidemiological studies that can establish a correlation, but rarely can establish a cause-and-effect relationship in life.

NS: A maioria das doenças oncológicas são doenças da velhice. O principal motivo é o fato das populações modernas terem uma maior longevidade. Algumas décadas atrás existiam muitas doenças infecciosas. Em alguns casos, o crescimento de certos tipos de câncer pode ser associado com o meio ambiente ou até mesmo com um estilo de vida mais estressante. Contudo, tais conclusões são frequentemente feitas com base em estudos epidemiológicos que estabelecem uma correlação, porém raramente estabelecem uma relação de causa e efeito.

NB: Você recomendaria métodos de tratamento alternativos?

NS: This is very case-dependent. I think that it's very important to assess the effectiveness of any method objectively and accurately. To determine the efficacy of a treatment one must use a so-called double blind study. This method requires two groups of randomly assigned patients. The treatment is applied to members of one group and not to the other. The results are analyzed. If this method proves to be effective, it can be used. There are methods that we don’t understand well enough, and sometimes we rely on empirical observation, and this is okay as long as there is enough good evidence of their effectiveness. What is often the case with traditional methods is that their effectiveness is well proven by objective methods.

A company will not be allowed to use chemotherapy if there are no such clinical studies showing effectiveness. Since herbal therapies are not subject to this type of regulation–and I do not mean to say that they are not effective–but we don't know whether they are effective or not. Before we use anything, it is important to have a survey. The type of research that would convince the scientific community they alternative therapies are efficient rarely takes place.

NS: Isso depende de cada caso. Eu acho muito importante avaliar a eficácia de qualquer método de forma objetiva e precisa. Para determinar a eficácia de um tratamento, deve se usar um estudo do tipo duplo-cego. Esse tipo de estudo requer dois grupos aleatórios de pacientes. O tratamento é aplicado nos membros de um grupo apenas. Os resultados são, então, analisados. Se esse tratamento se mostrar eficaz, ele poderá ser usado. Existem métodos que nós ainda não entendemos bem, e às vezes nos baseamos em observações empíricas. Não há problema nisso desde que haja evidências suficientes da sua eficácia. O que geralmente acontece com os métodos tradicionais é que sua efetividade é provada com sucesso pelos métodos objetivos.

Uma companhia não será autorizada a usar quimioterapia se não existirem estudos clínicos que mostrem sua eficácia. Os tratamentos fitoterápicos não estão sujeitos a esse tipo de regulamentação – e eu não estou dizendo que tais terapias não funcionam – mas nós não sabemos se são eficazes ou não. Antes de usarmos qualquer coisa, é importante haver uma avaliação. É raro ter uma pesquisa que convença a comunidade científica de que essas terapias alternativas são eficazes.

NB: De uma forma geral, há algum progresso no tratamento das doenças oncológicas?

NS: There is definitely a progress! The question is how fast it is… I would say that most of the people and scientists are disappointed that it’s not as fast as they would expect.

Otherwise, the idea that we will find a universal tool for all types of cancer is like the idea of ​​perpetuum mobile. But what happens is that certain types of cancer have certain mutations that can be treated. Unfortunately, they are isolated, yet are not the majority of types that are observed. But in certain areas, progress is so dramatic that the likelihood of death is decreasing tens of times. The hope is that more and more type of cancer will fall into this category. And I'm sure it will. What is not clear, what will be the speed of this progress? But progress is definitely there. It's just slower…

NS: Com certeza há progresso! A pergunta é o quão rápido ocorre… Eu diria que a maioria das pessoas e cientistas estão desapontados por não ser tão rápido o quanto esperavam.

Por outro lado, a ideia de que descobriremos um tratamento universal para todos os tipos de câncer seria como a ideia do movimento perpétuo. Mas o que acontece é que certos tipos de câncer possuem mutações tratáveis. Infelizmente eles são poucos e não são a maioria. Porém, em algumas áreas o progresso é tão significativo que a probabilidade de morte diminuiu dezenas de vezes. A esperança é que mais e mais tipos de câncer façam parte dessa categoria, e tenho certeza que farão. O que não está claro é qual a velocidade desse progresso.O progresso está ocorrendo, mas um pouco devagar…

NB: Haverá um tempo em que estas doenças serão passado?

NS: I would say that maybe after 60-70-80 years we will have much better treatments, and our potential to cure cancer will be wide-ranging. Some of them will be able to heal them completely. Another part will be able to suppress them so that patients can have a normal life even though they have a chronic illness that we can’t fully cure. The question is, of course, what percentage of the diseases will fall into this part of the spectrum. After time, I hope it happens. The hope is that in the long run, after 80 years, it will be possible for the vast majority to be cured.

NS: Eu diria que talvez daqui 60, 70 ou 80 anos teremos tratamentos muito melhores, e que o potencial para curar o câncer será amplo. Alguns deles serão curados completamente, outros serão suprimidos de forma que os pacientes possam ter uma vida normal mesmo sendo portadores de uma doença crônica incurável. A pergunta é, claro, qual a porcentagem de doenças farão parte desse espectro? Após um tempo, espero que isso aconteça. A esperança é de que a longo prazo, 80 anos talvez, seja possível curar a maioria.

NB: Quais são os maiores desafios?

NS: There are certain types of cancer that have a very high mortality rate and are mutated in ribosomal proteins. Carcinoma of the uterus, for example, glioblastoma, for which there is currently no treatment. The idea is that maybe if we restore the normal function, it could hinder cancer cells. But if that is possible, the potential is for at least ten years ahead – then a treatment may be applied.

NS: Há alguns tipos de câncer de alta mortalidade que possuem mutações em proteínas ribossomais, como o câncer do colo do útero e o glioblastoma, para os quais ainda não há tratamento. A ideia é que, talvez, se restaurarmos a função normal isso prejudicaria as células cancerígenas. Mas, se isso for possível, a predição é de pelo menos 10 anos para que um tratamento possa ser disponibilizado.

NB: Você pode nos contar sobre o método da sua pesquisa e o que vem depois?

NS: What I'm developing is a new kind of process that defines the manifestation of genetic information. Thanks to this, the processes that make up the identity of each cell can be better understood. Understanding these processes is necessary if we are to develop methods of regenerative medicine. Or if we want to change the identity of cancer cells.

I would say that in the first place these studies are in the group of fundamental science. The most direct motivation is a deeper understanding of one of the most basic physiological processes that occurs in almost every living cell, including in the human body. Since this process is very important, we see many changes in cancer cells that are likely to be related to the development of cancer. The idea is that if we understand the process better, we could use this new concept, the knowledge, to develop treatment without side effects. It is not difficult to kill the cancer cells, in principle it is very easy. It is very difficult to kill only the cancer cells. This is the great challenge – how therapy can be very specific. The perspective I am suggesting is that this concept can help us develop treatment and therapy to a greater extent only on cancer cells.

NS: O que eu estou desenvolvendo é um novo tipo de processo que define a manifestação da informação genética. Graças a isso, os processos que constituem a identidade de cada célula podem ser melhor compreendidos. Entender tais processos é necessário se quisermos desenvolver terapias de medicina regenerativa ou alterar a identidade de células cancerígenas.

Eu diria que, em primeiro lugar, esses estudos estão no grupo das ciências fundamentais. A motivação mais direta é um profundo entendimento de um dos processos fisiológicos mais básicos que acontecem em quase todas as células existentes, incluindo as do corpo humano. Já que esse processo é muito importante, vemos muitas alterações nas células cancerígenas que provavelmente estão ligadas ao desenvolvimento do câncer. A ideia é que se compreendermos melhor o processo, poderemos usar esse novo conceito, esse conhecimento, para desenvolver tratamentos sem efeitos colaterais. Não é difícil matar as células cancerígenas, é bem fácil na realidade. O difícil é matar apenas as células cancerígenas e esse é o grande desafio – desenvolver uma terapia alvo-específica. A perspectiva que estou sugerindo é que esse conceito possa nos ajudar a desenvolver um tratamento e uma terapia que afete somente as células cancerígenas.

 

NB: Você teve antecessores nessa área?

NS: There have been people before me and they made hypothesis that this could happen. This idea is very well known and appreciated by the scientific community, many people work on it. What is specific to my project is the concrete realization, what I discovered as a biological process. The type of funding I have received is for people who build the road. Few are working in the field because this is something very new. The growth potential is always greater at the beginning when there is a new direction. My contribution is making the first direct research showing that this is not a speculation.

NS:  Houve pessoas anteriormente que criaram hipóteses dizendo que isso poderia acontecer. Essa ideia é bem conhecida e apreciada pela comunidade científica. Muita gente trabalha com isso. O que é mais específico no meu trabalho é a realização concreta, o que eu descobri enquanto processo biológico. O tipo de financiamento que eu recebo é para pessoas que estão construindo os pilares. Poucos estão trabalhando nessa área porque ainda é algo muito novo. O potencial de crescimento é sempre maior no começo, principalmente quando se tem uma nova direção. Minha contribuição é desenvolver a primeira pesquisa direta mostrado que isso não é apenas especulação.

NB: Você acredita nas teorias de que as as corporações não tem interesse em desenvolver novos métodos além dos deles próprios?

NS: That's a little complicated. I believe that corporate interests can distort the areas on which they are working, and that they very strongly influence the advertising of what is effective and what is not. In my opinion, if there is effective treatment, no matter what it is based on, big companies will find a way to patent and benefit from it. I don’t think there are many effective treatments suppressed because they are not profitable. I'm not saying there is no corporate greed and that money does not have an influence, of course they have, and maybe that's why this type of speculation is so widespread. We all know how corrupting money can be and it is logical to assume that it can be an obstacle, but I haven’t seen an example that it is happening. When it is clear that a treatment is effective, it is used or applied.

NS: Isso é um pouco complicado. Eu acredito que interesses corporativos possam impactar as áreas nas quais eles estão trabalhando, e que eles influenciam fortemente no marketing do que é ou não eficaz. Na minha opinião, se há um tratamento eficaz, não interessa no que ele é baseado, as grandes corporações encontrarão uma forma de patentear e se beneficiar disso. Eu não acho que existam tratamentos eficazes que não são usados só porque não gerariam lucros. Eu não estou dizendo que não exista ganância empresarial e que o dinheiro não tenha influência, claro que tem, e talvez essa seja a razão de esse tipo de especulação ser tão difundido. Todos sabemos o quão corrupto o dinheiro pode ser e é logico assumir que ele possa ser um obstáculo, porém eu ainda não vi nenhum exemplo disso acontecer. Quando se sabe que um tratamento é eficaz ele é usado.

NB:  O uso da clonagem no futuro é um clichê de ficção científica?

NS: I don’t think there's going to be a cloning in particular. I don’t think there is any practical interest in cloning, and that will be perceived by our ethical standards. What we can imagine is to increase our ability to regenerate tissues. To be able to take skin from the arm, for example, and from the skin cells in order to reproduce tissues, which may be cartilage or heart tissue. Such tissue would be used to cure a cardiovascular disease.

I don’t think there is such a strong interest in cloning. What will block cloning is not that it will be so expensive, but because we, as a society, wouldn’t approve it, and state regulatory authorities would put limits on it. And that also raises many philosophical questions. The organisms that we can clone at the moment are aging much faster, suffer from diseases – the technology is not so well developed. Even if we restore a person, there is the philosophical question – with the same genetic material he will have different sensations and identities; that wouldn’t perpetuate the man cloned in the way people want to be immortalized. What I can imagine in terms of improving our health is more effectively slowing down aging. And if we couldn’t live longer, we could be younger for longer. If I could choose, I would like to remain young to a later age.

NS: Eu não acredito que teremos um clone. Não acho que haja interesse prático na clonagem e isto será percebido  pelos nossos padrões éticos. O que podemos esperar é um aumento da nossa habilidade de regenerar tecidos. Seremos capazes de pegar um pedaço de pele do braço, por exemplo, e dele  retirar células a fim de recriar tecidos como o cartilaginoso ou cardíaco. Tais tecidos seriam usados para curar doenças cardíacas, por exemplo.

Eu não acredito que exista um enorme interesse na clonagem. O que inviabilizará a clonagem não será o fato de ser cara, mas porque, enquanto sociedade, nós não aprovaríamos e as autoridades regulatórias governamentais colocariam limitações. Isso também geraria muitas questões filosóficas. Os organismos que podemos clonar atualmente envelhecem muito rapidamente e sofrem de várias doenças, a tecnologia necessária ainda não está bem desenvolvida. Mesmo que consigamos clonar uma pessoa, há a questão filosófica: com o mesmo material genético ele terá diferentes sensações e identidade, isso não perpetuaria no clone a ideia de imortalidade que pessoas têm. O que eu acredito em relação ao melhoramento da saúde é desacelerar o envelhecimento. Se não conseguimos viver mais poderíamos, pelo menos, ficar jovens por mais tempo. Se eu pudesse escolher, eu gostaria de continuar jovem até uma idade mais avançada.

NB: No fim, você é uma pessoa religiosa?

NS: No, I am not.

NS: Não, Não sou.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.