Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Brasil: Incêndio no Rio de Janeiro Mobiliza Campanha Online

Foto por Gustavo Martini. Usada sob autorização

Um dos cartões postais do Rio de Janeiro, o bairro da Lagoa, sofreu um forte incêndio no Morro dos Cabritos, entre a rua Sacopã e o Parque da Catacumba, área com vegetação da Mata Atlântica repleta de animais, principalmente micos. O Morro dos Cabritos (que pode ser visto neste mapa do Google), tem uma grande extensão, chegando próximo às mediações do bairro de Copacabana – onde tem também a Favela dos Cabritos – que também sofreu com o perigo do incêndio, além de fumaça e calor.

Veja um vídeo do incêndio:

Desde o início do incêndio, por volta das 22 horas de Sábado, começaram a surgir avisos, fotos e vídeos sobre o incêndio no Twitter e no Facebook. Enquanto nenhuma notícia aparecia da mídia tradicional, seja por televisão ou por website de notícia, uma hora depois do incêndio, a #lagoa, o #incendio e o morro dos #cabritos já estavam entre os trending topics do Twitter Brasil.

@mjcoffeeholick pega a vuvuzela pra acordar esse povo ! – RT @alerocha: Você, jornalista carioca que está dormindo. Acorda, pô. Tá pegando fogo lá.

Nina Lemos ressalta que uma TV web chegou para cobrir o incêndio antes das mídias tradicionais e ressalta a rapidez da mídia cidadã e da web como canal de notícia:

@ninalemos Acho o máximo o @gematv furar a Globo. Amores, o jornalismo morreu. E isso é ótimo.

Outros twitteiros parecem concordar:

@drido o #fogo comendo o parque da catacumba e a globo news mostrando uma cerimônia de cachorros se convertendo ao budismo…

@rosana RT @JJoselita: @rosana é pqtá rolando um mega incêndio na zona sul do RJ…várias pessoas indignadas com a falta de cobertura da imprensa.

Veja a reportagem do @gematv neste link.

Balão – foto do flickr de @youcoulilou, sob licença Creative Commons

A suspeita de que o incêndio tenha sido provocado por um balão de ar quente, voltou a levantar a questão do perigo dos balões nesta época do ano com as festas juninas, tradição da cultural popular brasileira, que acontecem entre os meses de junho e julho.

As festas juninas não são exclusividade brasileira e diversas versões da mesma celebração são encontradas em vários países e estão relacionadas historicamente com a festa pagã do solstício de verão, que era celebrada no dia 24 de junho, segundo o calendário juliano (pré-gregoriano) e cristianizada na Idade Média como “festa de São João”.

O balão é um dos símbolos da festa junina brasileira e vem sendo há décadas combatido pelo perigo que representa não só com incêndio, mas também com acidentes aéreos, já que podem alcançar até 15.000 pés de altitude. O maior perigo dos balões é que são feitos com materiais altamente inflamáveis: estopa, parafina e querosene. Por serem “levados pelo vento” nunca se sabe onde os balões vão cair e o quanto o fogo pode se alastrar, expondo pessoas, casas e matas ao risco de incêndio.

Com o grave incidente no Morro dos Cabritos, rapidamente um campanha contra a soltura de balões começou a correr pelo twitter, inclusive fazendo uma crítica contra o recente fenômeno do trending topic CALA BOCA GALVAO:

@adribittencourt #soltarbalaoecrime Vamos bombar essa campanha! Muito mais importante q a Cala a boca Galvao!

@claudiamello RT @guisan: Vamos fazer o seguinte? Ao invés de incentivar o “Cala boca Galvão”, twittem “NÃO SOLTEM BALÃO”. #campanha

Na mesma velocidade dos acontecimentos, rapidamente surge a campanha via hashtag #soltarbalaoecrime, que se espalha pela midia social:

@gematv RT @brunoastuto: e acabaram de criar o twitter#soltarbalaoecrime, que já está me seguindo @naosolteboloes

@DiogoFenSo Meu Deus, o Rio tá caótico… o morro tá parecendo o Eyjafjallajokull #soltarbalãoécrime

@fe_crf #soltarbalãoécrime precisa falar mais alguma coisa?

Soltar balão é crime ambiental de acordo com a Lei nº 9.605/98:

“Fabricar, vender, transportar ou soltar balões, pelo risco de causar incêndios em florestas e áreas urbanas, sujeita o infrator à prisão e multa.

Pena – detenção de um a três anos, multa ou as duas punições.”

Foto disponibilizada pelo Twittpic de @cronai

No início do mês de Junho, a polícia ambiental do estado de São Paulo começou uma campanha contra o soltura de balões chamada “Soltar Balões não é Legal! É Crime Ambiental”, que se estende até Agosto. A proposta é intensificar a fiscalização e realizar palestras em escolas das redes públicas e particulares do estado sobre o perigo desta prática. Ao mesmo tempo, outros apelam à defesa desta longa tradição com o mote Balão é Eterno, Proibir é crime, Regulamentar é Preciso. O Disque Denúncia também começou um Programa Disque-Balão, para que as população denuncie por telefone pessoas que estejam realizando esta prática ilegal.

Não foi encontrada na internet nenhuma informação sobre campanha semelhante no estado do Rio de Janeiro que, esperamos que seja apenas uma falha da web. Até o fechamento deste artigo, 14 horas depois do início do incêndio, o corpo de bombeiros ainda estava combatendo o fogo, mesmo este já estando “sob controle”.

2 comentários

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.