Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Moçambicanos usam redes sociais para ordenar informação desconexa sobre os ataques de Cabo Delgado

Ponte de Cabo Delgado — Moçambique, 4 de Agosto, 2009. Foto por F. Mira via CC BY-SA 2.0.

Usuários do Twitter em Moçambique estão a mobilizar-se para partilhar vídeos e informação uns com os outros sobre a violência na província de Cabo Delgado, que sofre com ataques de grupos armados desde 2017.

Mais de 900 pessoas foram assassinadas desde o início dos ataques, e um relatório do Governo provincial de Fevereiro deste ano afirma que mais de 150 mil pessoas já foram afectadas pelo conflito. As motivações dos ataques não estão totalmente claras, mas há sinais de que se trate de um grupo islâmico extremista.

Recentemente o Governo de Moçambique participou de um encontro de alto nível com outros presidentes da comunidade da África Austral numa clara tentativa de buscar apoio externo para o combate da insurgência.

Dias depois o Presidente de Moçambique anunciou a morte de dois líderes que chefiam o movimento de ataques no norte.

Muitos dos ataques terminam sendo divulgado em vídeos e fotos nas redes sociais, às vezes por meio dos próprios agressores, e na ausência de mais informação por falta das autoridades, alguns usuários tentam ordenar esse conteúdo nas redes sociais:

Nisto tudo houve ainda quem tentasse comparar o caso de Cabo Delgado com outros acontecimentos fora de Moçambique:

Não faltaram igualmente alertas sobre a proliferação de algumas mensagens que podem ser consideradas como falaciosas:

De igual forma ressurgiu um novo movimento que pretende relançar acções de solidariedade que visem apoiar aqueles que sofrem com a escalada violenta em Cabo Delgado:

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.