Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Bangladesh: onde o Heavy Metal não tem vez

Pôster do show que seria realizado pelas bandas Krisiun e NervoChaos. Cortesia da imagem: página de divulgação do evento no Facebook.

Os fãs de Metal em Bangladesh ficaram decepcionados com a proibição do show das bandas brasileiras de Death Metal Krisiun e NervoChaos, que se apresentariam no último dia 9 de maio na capital Daca. Todos os ingressos para a apresentação das bandas haviam sido vendidos.

O festival Metal Morgue seria realizado no auditório TCB, no Kawran Bazar, sendo parte da turnê asiática das duas bandas que também teria a apresentação de bandas locais. Os organizadores do evento obtiveram autorização do Ministério da Cultura do país para realizar o evento e também cumpriram com as normas de segurança previstas pelo Ministério do Interior, tudo de acordo com a lei. Contudo, na tarde de 8 de março, foram informados de que o show não poderia ser realizado por “questões de segurança”. A polícia não divulgou a razão pela qual negou autorização para o evento.

Show do KRISIUN em Bangladesh é cancelado por “questões de segurança”

Na ocasião, as bandas estavam a caminho de Bangladesh após terem se apresentado na Indonésia, chegando ao país na madrugada de terça à 1h30min, horário local. Em solo bangladês, as equipes do Krisiun e do NervoChaos foram abordadas por funcionários da imigração e tiveram seus passaportes retidos. Segundo fontes, eles foram interrogados sobre o motivo de terem desembarcado no país, mesmo após terem seus vistos negados.

Os organizadores solicitaram que as bandas ficassem em um hotel, deixando seus equipamentos no aeroporto até que pudessem partir no dia seguinte, o que não foi aceito pela polícia, que acreditava que os músicos poderiam se apresentar com instrumentos emprestados. O impasse durou por dez horas, e todos foram liberados após intervenção da embaixada brasileira.

Membros da banda barrados no aeroporto. Imagem da página do Facebook da Raptor, promotora do evento, usada com permissão

A banda brasileira de Death Metal Krisiun foi formada em 1990 e é conhecida no mundo todo pela música veloz e pelas letras violentas. O NervoChaos foi fundado em 1996 e já fez turnê pelo mundo todo com outras bandas de metal.

Krisiun postou uma declaração sobre o ocorrido em sua página oficial do Facebook:

We had a very unpleasant experience, where we were victims of a great misunderstanding and experienced more than 10 hours of pure prejudice and misinformation.

As soon as we landed at Hazrat Shahjala International Airport in Dhaka at dawn on the May 9, we were approached by security officers while we searched for our luggage. We had our passports withheld, without any explanation, in an extremely conservative country. The event was canceled and the visas we obtained at the embassy of Bangladesh in Brazil (were) totally disregarded.

Tivemos uma experiência muito desagradável, onde fomos vitimas de um grande mal-entendido e vivenciamos mais de 10 horas de puro preconceito e desinformação.

Assim que aterrissamos no aeroporto internacional de Hazrat Shahjala, em Daca, na madrugada do dia 09, fomos abordados por agentes de segurança enquanto buscávamos as bagagens. Tivemos os passaportes retidos, sem qualquer tipo de explicação, em um pais extremamente conservador. O evento foi cancelado e os vistos que obtivemos na embaixada de Bangladesh no Brasil, totalmente desconsiderados.

Mukit Hasan Khan da polícia de imigração disse ao Daily Prothom Alo que os membros da banda foram ao país com visto de turista e que não tinham autorização necessária do Ministério do Interior.

Nos últimos anos, Bangladesh teve diversos casos de assassinatos de liberais, ateus, estrangeiros, homossexuais e de pessoas de minorias religiosas por militantes. As forças de segurança intensificaram ações de combate ao terrorismo, sobretudo após o atentado a um restaurante em Daca em julho de 2016, o que intensificou a segurança no país desde então.

Alguns sites de notícias divulgaram que a banda foi detida sob uma suposta “lei de blasfemia”, que, contudo, não existe no país.

Os fãs locais ficaram decepcionados com a notícia de que a apresentação havia sido cancelada.

Estamos envergonhados com tudo o que vocês tiveram de passar em Bangladesh. Muito decepcionante.

Outro fã comentou no Facebook:

We are really sorry. Been waiting for months to see you guys live. Sorry! :(

Sentimos muito. Estivemos esperando vários meses para assistir vocês ao vivo. Desculpem!

Não foram só as bandas brasileiras que foram prejudicadas por esse fiasco. Bandas locais que também iriam tocar no evento acabaram perdendo uma grande oportunidade de apresentar seu talento.

A cena metal, que vem crescendo em Bangladesh nas últimas três décadas, teve de lidar com diversos obstáculos por conta da discriminação dos mais conservadores em relação ao gênero.

Krisiun fez um depoimento para os fãs no Facebook:

We are hereby to manifest our big appreciation and respect for the Metalheads in Bangladesh, We know it's not their fault the show got cancelled here today. [..]

We came to Bangladesh to make a concert and unfortunately the authorities decided to cancel, it's not the promoter's fault, it's nobody's fault, it's local authorities decision to shut the show down, the Metalheads are great here in Bangladesh the concert was sold out, We deeply thank all you guys here for the enormous support, We will be back one day! Respect, together we are strong, Metal never dies!

Gostaríamos de apresentar aqui nossa grande admiração e respeito aos nossos fãs em Bangladesh. Sabemos que não foi por culpa deles o show ter sido cancelado hoje. […]

Viemos a Bangladesh fazer uma apresentação, que, infelizmente, as autoridades decidiram cancelar, não por culpa dos organizadores ou de ninguém, mas pela decisão das autoridades locais de não permitir sua realização. Os fãs de Metal aqui em Bangladesh são incríveis. Os ingressos se esgotaram. Queremos agradecer de coração ao pessoal daqui por todo o apoio. Vamos voltar um dia! Respeito! Juntos, somos fortes! O Metal nunca irá morrer!

Os fã da banda em Bangladesh postaram um vídeo de desculpas no YouTube, onde demonstraram todo seu desapontamento com o ocorrido:

Ironicamente, o Ministério do Interior de Bangladesh deu aval para a realização do show às 11h30min da manhã de terça, contanto que as bandas não tocassem músicas que ofendessem crenças religiosas. Entretanto, após o vexame ocorrido no aeroporto, os músicos entenderam que não havia como realizar o show, que já havia sido cancelado na véspera pelos organizadores.

Em maio do ano passado, a banda de Folk Metal Eluveitie também tinha show agendado em Daca. A apresentação também foi cancelada horas antes de começar pelos mesmos “motivos de segurança.”

O Eluveitie postou esta mensagem no YouTube:

Alguns fãs de metal de Bangladesh dizem que sofrem com o que parece ser discriminação das autoridades contra o metal, já que artistas de outros gêneros musicais, especialmente estrelas da música pop indiana, não têm problemas em fazer apresentações no país.

Dio Haque, um músico local escreveu no Facebook:

Brazilian metal band comes to Dhaka, show gets cancelled due to ‘security reasons’ and their passport gets seized, and a whole lot of fans get disappointed. No such problems when our neighbours come to entertain us. Double standard much?

Banda de metal brasileira vem a Daca, tem seu show cancelado por ‘motivos de segurança’. O passaporte dos músicos é retido, e muitos fãs ficam decepcionados. Isso não acontece quando os nossos vizinhos vêm se apresentar aqui. Dois pesos e duas medidas.

Os membros da banda seguiram na quarta-feira para o Japão na sua turnê pela Ásia.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.