Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Austrália, “tira as mãos do petróleo de Timor”, diz campanha internacional

12042727_1336570486358445_2648324951277799177_n

Campanha Internacional Timor Sea Justice de 21 a 25 de Marco. Foto: Timor Sea Justice / Domínio público

Milhares de timorenses saíram às ruas de Díli (22.03) em forma de protesto contra o Governo da Austrália que se tem mostrado irredutível aos pedidos do Governo Timorense para voltar à mesa das negociações a fim de se redefinir a linha mediana que delimita a fronteira marítima entre os dois países.

Enquanto se mantém a disputa da fronteira marítima, a Austrália continua a explorar os recursos naturais do Mar de Timor que pertenceriam, na sua totalidade, a Timor-Leste caso o direito que lhes comunga pelo domínio da fronteira marítima, perante a Lei Internacional entre os países vizinhos, estivesse definido. “Trata-se de uma prioridade nacional,” refere o primeiro-ministro Timorense Rui Araújo ao declarar que:

Para o povo de Timor-Leste garantir as fronteiras marítimas permanentes é a continuação da nossa longa luta pela Independência e plena soberania. Aliás, pedimos nada mais do que aquilo a que temos direito, de acordo com o direito internacional.

A manifestação que saiu à rua foi também captada pelas câmaras do Centro de Arquivo Audiovisual Max Stahl (CPA).

Manifestacao de 22 de Março em Dili. Imagens publicadas pelo Centro Audio Visual Max Stahl.

Manifestação de 22 de Março em Dili. Imagens CPA

Mais de 6.000 manifestantes marcharam hoje para a embaixada australiana, em Dili, exigindo o respeito pelos direitos de Timor-Leste como nação independente e pela da lei internacional no mar Timor, onde as reservas de petróleo e gás são reivindicados por este país. Representantes dos principais partidos políticos timorenses, internacionais solidários com a causa, estudantes e veteranos declararam que a luta pelo reconhecimento das fronteiras marítimas a nível internacional, trata-se da continuação da longa guerra de 24 anos pela plena independência do território terrestre e marítimo de Timor-Leste. Discussões sobre a localização das fronteiras marítimas estão ainda para ser acordadas entre os Governos de Timor-Leste, Austrália e Indonésia.

Para reafirmar ainda mais esta luta, a ETAN (East Timor Action Network) organiza uma forma de protesto online pedindo ao público que partilhe nas redes sociais uma “selfie” – foto – a segurar um cartaz com as hashtags: #medianlinenow ou #HandsOffTimorsOil.

Junta-te ao protesto. Segura o cartaz, tira a foto, publica a foto.

O protesto rapidamente ultrapassou todas as fronteiras chegando a Lisboa, em Portugal:

O activista Ivo Gunner Tilman, membro da Organização Juventude de Timor-Leste (OJETIL) informa através de uma publicação no Facebook :

Ohin, 22 Marsu Timor oan rihun ba rihun halibur-an iha Embaixada Australia nia oin hodi eziji konaba liña mediana ne’ebé justu.

Hoje, 22 de Março, milhares dos timorenses estão reunindo perante a Embaixada da Austrália em Díli, exigindo o tratamento mais justo na linha mediana.

11230719_954592721262954_6981679009255104232_n

Manifestantes protestam em frente à Embaixada da Austrália em Díli, Timor-Leste. Foto: Acácio Pinto, publicação autorizada

O calendário do movimento cívico internacional esta superlotado com protestos desde 21 a 25 de Março, tendo como alvo as cidades de Díli, Melbourne, Sydney, Jacarta, Manila, Camberra, Adelaide e Kuala Lumpur. No Twitter, prepara-se a manifestação de Melbourne:

Protesto, Melbourne, Austrália 24 Mar, 12.30, junto à DFAT (…)