Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Brasil: Visita de Obama é marcada por protestos, repressão e críticas

O presidente dos Estados Unidos Barack Obama deixou hoje o Brasil, primeira parada de seu rápido giro pela América Latina para estreitar laços econômicos, seguindo para Santiago, Chile, e depois para El Salvador. Programada para ser uma festa, a primeira visita de Obama ao Brasil foi marcada pela polêmica decisão da intervenção militar na Líbia, além de maquiagem em favelas e repressão policial a protestos.

Obama Go Home

Antes mesmo de tocar o solo brasileiro, a visita já causava polêmica. No início da noite de sexta-feira, um protesto na frente do Consulado dos Estados Unidos no Rio teve um desfecho violento. Dos mais de 300 ativistas presentes, treze pessoas foram presas depois que um coquetel molotov foi arremessado contra o Consulado, segundo a polícia, que reagiu com tiros de balas de borracha, spray de pimenta e bombas de efeito moral.

O vídeo acima mostra pessoas cantando palavras de ordem contra a visita de Obama, o suposto interesse americano no petróleo brasileiro e o iminente ataque à Líbia. A partir de 1’45”, ouve-se barulho de explosões seguido de correria. Na caixa de comentários, graficautopica nega a versão policial:

Este espírito pacífico era compartilhado pelos manifestantes. Entendemos que transformar a passeata em uma batalha apenas favoreceria o imperialismo, evitando que se discuta as verdadeiras intenções da visita. Neste sentido, desconhecemos os autores do ataque e queremos vir a público declarar nossa desconfiança de que provocadores tenham se infiltrado no ato, com esse objetivo.

Os detidos foram acusados de lesão corporal, tentativa de incêndio e formação de quadrilha. Na blogosfera, estão sendo chamados de presos políticos. Para Anderson Balotta, o caso está mal explicado:

pelo que pude perceber se tratou de uma prisão arbitrária de militantes que estavam passando no local e hora e acabaram pagando pelo pato. Novos presos políticos no país da democracia, justamente na visita de Obama e a contradição em alto, che cosa bella, mia gente!!!
Não espere ouvir um parecer da grande mídia (porque esta, está comprometida com as belezas da visita de Obama).

Cerca de uma hora após a despedida do presidente Barack Obama, a Justiça emitiu um despacho a favor da soltura dos manifestantes, que já estão livres.

Entre Dilma e Líbia

Presidente dos EUA Obama é recebido na capital Brasilia. Foto de William Volcov, copyright Demotix (19/03/11)

Presidente dos EUA Obama é recebido na capital Brasilia. Foto de William Volcov, copyright Demotix (19/03/11).

A primeira etapa da viagem em Brasília foi marcada pelo aval ao ataque militar à Líbia, decisão tomada por Obama, segundo o jornal Folha de S.Paulo, durante a audiência com a presidente Dilma Rousseff. Obama teria recebido um bilhete e reagido dizendo que as “providências” teriam de ser tomadas. Para José Reinaldo Carvalho, editor do site Vermelho, Obama desonrou o Brasil ao começar no país uma “guerra disfarçada de causa humanitária”:

Em atitude que viola as regras da hospitalidade, constrangendo o anfitrião, Obama simplesmente desonrou o Brasil, ao fazer uma declaração de guerra no país que por princípio constitucional e tradição advoga a solução pacífica dos conflitos internacionais. O presidente estadunidense ignorou o fato de que o Brasil se absteve na votação da resolução do Conselho de Segurança da ONU que abriu a via legal para a agressão, “por não estar seguro de que o uso da força é o melhor caminho”, conforme explicou a embaixadora Viotti, representante do Brasil no órgão das Nações Unidas.

Para americano ver

Moradores da Cidade de Deus se divertem como podem durante a visita de Obama. Twitpic de @djvivireis

Moradores da Cidade de Deus se divertem como podem durante a visita de Obama. Twitpic de autor que solicitou não ser identificado

O presidente Obama fez uma frenética passagem pelo Rio de Janeiro no domingo, dedicando meia hora de seu tempo à favela Cidade de Deus, onde a visita relâmpago gerou nova polêmica: moradores reclamaram da maquiagem para deixar a favela apresentável e criticaram as regras de segurança impostas pela Casa Branca, como o cordão de isolamento de 300 metros que retirou moradores de suas casas, e a revista imposta a todos, inclusive crianças. Diante das exigências, a Central Única das Favelas do Rio retirou-se da organização, recusando-se a “servir de palco exótico“. Seu fundador, Celso Athayde, desabafou em várias mensagens no Twitter:

Vou tuitar para o consulado para eles não tirarem as pessoas de casa, e não revistar os pretinhos de 3 anos de idade dentro da própria casa

Aqui ele faz um resumo da visita do ponto de vista dos moradores:

é isso, eu vou na sua casa, mas eu não quero vc em casa. Uma questão de segurança. Então fica na casa branca irmão #tofora

Um vídeo da cobertura colaborativa da comunidade publicado no blog A Voz da Cidade de Deus mostra o que não passou na TV:

mostra sem maquiagem os bastidores do evento e a frustação dos moradores da comunidade em não ter visto o presidente dos E.U.A. Alem disso o video mostra um morador que reclama de um policial que o agrediu.

http://www.youtube.com/watch?v=4YRkIFPYFAU

Em suma

Resumindo os principais acontecimentos da visita, Cristina Rodrigues aponta o que chama de retrocesso da política externa brasileira:

Nossos ministros foram revistados por americanos em território brasileiro para participar de evento com Barack Obama. Em cima da hora, por medo de vaias, a comitiva de Obama desiste do discurso em público e o Theatro Municipal é obrigado a cancelar sua programação para receber o presidente americano. Moradores da Cidade de Deus são obrigados a sair de suas casas (!!) para a passagem de Obama pela favela. Isso sem falar que foi daqui que Obama ordenou a invasão à Líbia.

O problema não é demonstrar prestígio a um presidente de outra nação. Tampouco criar condições especiais para que uma cidade receba uma liderança assim com segurança e conforto, fazendo-lhe algumas de suas vontades. O problema está no nível das exigências feitas por essa liderança e a necessidade de o país se rebaixar para cumpri-las. Isso um governo soberano não pode deixar acontecer.

Rudá Ricci não saberia avaliar a visita de Obama, que, para ele, ressaltou a pobreza editorial da imprensa brasileira:

Não soubemos o que faz Obama ser tão criticado em seu país por estar aqui; não soubemos claramente sua pauta (aviões? incorporação efetiva do país ao eixo ocidental liderado pelos EUA? Pré-sal?); análise dos acordos assinados. Sem saber claramente seus objetivos não conseguimos analisar seu sucesso.

Obama e o Cristo Redentor, no Twitpic, por @anglinho

Obama e o Cristo Redentor, no Twitpic, por @anglinho

8 comentários

  • altair nascimento

    Devemos REFLETIR…. sobre isso……. Krisnamurti fala ,assim com o Site Zeithgeist I e II… isso é para todas as autoridades..inclusive OBAMA…-: toda AUTORIDADE , que engendra o Poder é coisa má, O homem poderoso, o homem de posição, de prestIgio , é tão terrível e tão Venenoso com o uma serpente. \NESTE MUNdo ou país , infelizmente os poderosos, os ricos, estão MOLDANDO as mentes dos demais.. NINGUÉM trata de se libertar-se desta estrutura, Todos se tornam conformistas…….Ninguém diz NÂO….O HOMEM QUE DESEJA SER LIVRE , QUE DESEJA COMPREENDER O REAL , LIBERTAR-SE DESTA ESTRUTURA PSICOLOGICA DA SOCIEDADE, DEVE ACREDITAR EM VC … NÃO DEPOSITAR PODER NO OUTRO , DAR CREDITO NO OUTRO….. assIM A negação DE tUDO , ATÉ DAS AUTORIDADES , POLITICA E RELIGIOSA …. É o FIM., DAS INFLUÊNCIAS………. A MENTE QUE IMITA , A MENTE QUE OBEDECE , A MENTE QUE SE AJUSTA , A MENTE QUE SE TORNOU RESPEITAVEL AOS OLHOS DA SOCIEDADE, ´É UMA MENTE MORTA….. AO negardes a atitude da política, está livre das influências…… (OBAMA – Est, Unidos . IMperialismo)….. dizeres de uma palestra de Krisnamurti em 1964 em Londres… veja o site Zeithgeist I e II em portug~es e vc entenderá …… sobre estes acontecimentos …..que todo político usa ….

  • debora

    Enquanto isso no RJTV…. mostram o hotel que o Obama ficou, o quarto que ele ficou, e com orgulho a sala de onde ele enviou “ordens”, assim como também tivemos acesso a imagens em vídeo da comida servida a família do presidente…

    Por onde começo a dizer a vergonha que eu sinto da nossa imprensa? Vergonha alheia é muito pouco…. quando você acha que a Globo se superou em ser ridícula, ela descobre uma nova madeira de nos surpreender (negativamente, claro).

  • rosimery Cunha

    A visita do presidente dos Estados Unidos ao brasil, só veio mostrar interesse prepotente ao nosso pre-sal, pois se não houvesse essa descoberta jamais receberíamos a sua visita, pois sempre fomos tratados por eles “lá” fora como um país de terceiro mundo sem nenhuma pespectiva de crescimento. Agora que essa imagem e posição vem mudando seu curso, recebemos essa “tão”esperada visita. Pergunto: Por quem? por nós ou pela cúpula da presidente Dilma Rossef?
    E a nossa entrada nesse país?(visto americano), continuará sendo impedido por preconceitos infundados? achando eles que somos um povo sem civilizaçào e cultura que nào podemos e não temos condições financeiras para sermos recebidos por essa nação que outrora fora uma grande potencial mundial inatingível? pois é, as coisas mudaram Sr. Presidente Barack Obama, e tende mudar ainda mais, é só tirar os corruptos do nosso país que impedem deste crescimente fluir da menira devida e rápida.

  • A visita do presidente dos Estados Unidos ao brasil, foi muito em portante porque vai mostrar o lado bom das coisas augus comentaram que os americanos sao traisoeros mas nigem sabe,esas pessoa que eu nao vou descrever eles sabe se os americanos sao traisoeros eles nao convivem com eles entao eles nao podem falar

  • João Miguel Lima

    Olá, DS,
    Os comentários no Global Voices passam por moderação para evitar que mensagens ofensivas, racistas, obscenas, desconexas ou de spam sejam publicadas. Isso faz parte da política do site, assim como de muitos outros, como você deve saber. Estamos publicando dois de seus comentários. O outro não será publicado pela linguagem obscena e desrespeitosa que você empregou.
    Nas últimas semanas, o site passou por uma mudança no serviço de comentários. Agora usamos o Disqus, que passou por uma fase de testes, e ainda estamos nos adaptando a ele. Normalmente não devíamos demorar tanto para moderar um comentário, e por isso pedimos desculpas, mas, ao mesmo tempo, gostaríamos que compreendesse que não somos uma empresa. Somos uma equipe de voluntários, dividindo atividades de nosso cotidiano com as tarefas do site, porque acreditamos na importância de “agregar, selecionar e amplificar a conversação global online, iluminando locais e pessoal que outras mídias geralmente ignoram”.
    Atenciosamente,
    João Miguel, co-editor de tradução.

  • Oi, DS

    Gostei do seu poema-reclamação!

    Como o João explicou abaixo, o sistema de comentários geral do Global Voices está mudando para o Disqus e o Global Voices em Português foi a “cobaia” do novo sistema, a ser implementado em todos os sites em breve. 

    Nos últimos quinze dias, a equipe de moderadores foi limitada a duas pessoas encarregadas do testes, uma das quais eu. Como eu estive offline parte da semana passada, como resultado, nenhum comentário, não apenas o seu, foi publicado no decorrer dos últimos dias antes do disqus ser totalmente implementado (ontem). Peço desculpas!

    Espero que entenda que não houve censura, e que saiba que todos os comentários serão sempre bem-vindos, desde que atendam a nossas regras básicas de cortesia. Acabo de perceber que essas regras, que apareciam no sistema antigo, não aparecem no Disqus, vou investigar.

    É isso. Agradecemos a coompreensão de nossos leitores e o apoio de sempre!

    Abraços
    Paula

    PS: uma das coisas bacanas do novo sistema é que permite imagens! Essa é pra você :)

  • Valeu, DS!

    Obrigada pelos elogios!Estamos ouvindo :) Já o Altair, não sei. Ele nos fez uma visita de deixou um comentário há um ano, não sei se ainda aparece por essas bandas! Eu, pessoalmente, não tenho muito o que contribuir com o debate além do exposto no texto, mas já já aparece mais alguém.Abraços fraternos,Paula

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.