Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Voces Bolivianas: Mídia cidadã a duas milhas de altitude (Parte I)

 

Até agora, olhamos detalhadamente em dois dos cinco projetos de alcance de mídia cidadã ganhadores e premiados pelo Rising Voices. Em julho, apresentamos o centro Nari Jibon em Bangladesh, que está ensinando web 2.0 para jovens mulheres da capital de Bangladesh, Dhaka. Em agosto, movemos o centro das atenções para Colômbia e descobrimos como blogueiros estão tirando vantagem do acervo impressionante de bibliotecas para ensinar mídia participativa à juventude marginalizada das vizinhanças de Santo Domingo e La Loma.

Chegou a hora de focalizarmos no El Alto [en], na Bolívia, que, a 4.150 metros acima do nível do mar, é uma das cidades de maior altitude do mundo. É também uma das mais pobres. Entre os jovens bolivianos de hoje em dia, El Alto é mais conhecida como o epicentro da Guerra do Gás da Bolívia [en] entre 2003 – 2005, que de tempos em tempos bloqueava acesso ao aeroporto internacional, assim como a fornecedores de gás e petróleo. O movimento certamente teve um papel na eleição do atual presidente, Evo Morales, que fez campanha ferrenha em cima da promessa de nacionalizar as vastas reservas de gás do país.

Esse papel assumido pelos ativistas de El Alto tem, no entanto, alimentado o estereótipo de que o subúrbio montanhoso de La Paz não passa de um lugar cheio de comunistas demagogos. A percepção de El Alto na mídia tradicional, tanto em inglês quanto em espanhol, é quase sempre altamente politizada.

A meta do Voces Bolivianas é deixar estereótipos de lado e oferecer aos Alteños uma chance de contar sua própia estória. Como a página sobre o projeto explica:

Voces Bolivianas é um projeto de mídia cidadã participativa cujo objetivo é promover o uso de TIC (Tecnologias de Internet e Comunicação) para permitir que bolivianos, especialmente de grupos sub-representados, compartilhem suas histórias sobre suas vidas e comunidades, assim decidindo a forma com que eles são representados.

upea.jpg

No blogue do projeto Rising Voices, Eduardo Ávila, Hugo Miranda e Mario Duran documentaram como eles se prepararam para um projeto bem-sucedido. Depois de encontrar uma internet café que fosse adequada e distribuir panfletos na Universidade Pública de El Alto para recrutar participantes, eles foram direto ao assunto e colocaram as mãos na massa na oficina de 22 de setembro.

No total, apareceram 23 participantes cheios de vontade. Você pode visitar todos os blogues no agregador do projeto Voces Bolivianas El Alto.

1447975773_038d8c569f.jpg

Levando-se em consideração que 79% dos residentes de El Alto são Aymara, o time do Voces Bolivianas teve como objetivo encontrar um tradutor que estivesse interessado em traduzir postagens selecionadas do espanhol para Aymara. Os esforços deles os levaram a Dora Romero, uma estudante em tempo integral e tradutora em meio período da universidade pública de El Alto. O resultado? O primeiro blogue em Aymara de todos os tempos.

Além do agregador do grupo, algumas das postagens mais interessantes também aparecem na página principal do site Voces Bolivianas. Essas postagens foram traduzidas em Inglês e Aymara.

Na sequência dessa cobertura, vamos olhar de perto algumas das postagens publicadas e em como Alteños escolhem descrever suas vidas e sua comunidade.

(Texto original de David Sasaki)

 

Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.