Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

China: Mianmar de hoje, China de ontem?

Na ronda feita pelo John das reações dos blogueiros chineses [en] à postagem Saffron Revolution [en], ele mencionou que alguns blogueiros chineses usaram “esse incidente como uma oportunidade de refletir sobre o estado do movimento democrático na própria China”.

Alguns deles chegam a ligar a postagem Saffron Revolution aos distúrbios políticos em Pequim no verão de 1989.

Eis um exemplo. Na postagem Myanmar Hoje [cz] no TianYa.cn lê-se:

你们吃人民给你们的食物。你们却杀戮人民、杀害僧人!

曾经,有些人吃人民的乳汁,当人民的子弟兵,却杀戮xuesheng。

Você está comendo a comida que lhe é dada pelo povo. Ainda assim, você mata o povo e os monges!
Em certa ocasião, certos homens beberam o leite do povo, viraram o exército do povo e ainda assim mataram xuesheng (estudantes).

Para evitar censura, o autor usou a palavra PinYin para estudantes, invés dos caracteres chineses.

Não é fácil encontrar postagens similares na internet chinesa nesse momento. À medida que o 17º Congresso Partidário se aproxima, a maioria dos sites chineses intensificaram ainda mais seus filtros.

No entanto, os chineses são ótimos em expressar a si mesmos de maneira implícita.

Um internauta, personificando o Myanmar Daily Editorial, escreveu a postagem Uma nítida resistência contra a agitação em Mianmar [cz], imitando o tom e estilo do editorial do periódico diário.

全国僧侣、全国人民必须清醒地认识到,不坚决地制止这场动乱,将国无宁日。这场斗争事关缅甸振兴和国家建设的成败,事关国家民族的前途。

Todos os monges e o povo deverão entender que se nós não encerrarmos a agitação de uma vez por todas, não haverá paz no país. Essa batalha está relacionada com a revitalização de Mianmar e com o sucesso da construção da nação. É vital para o futuro da nação.

Substituindo as palavras Mianmar e Monges por China e Estudantes, você entende a mensagem.

Muitos leitores chineses acharam esse artigo interessante e o divulgaram em vários sistemas de quadro de avisos e blogues. Mas a intenção desse artigo é tão óbvia para os moderadores desses sites. Ele desapareceu da maioria dos sites. Ainda assim, leitores podem encontrar trechos desse artigo escondidos aleatoriamente em alguns comentários nos quadros de avisos e postagens em blogues.

Alguns internautas encontraram rotas mais complicadas para fazer com que o recado seja dado.

Uma postagem no KDNet.net, A evidência de ferro da América interferindo nos assuntos internos de Mianmar – Vamos protestar juntos!, gerou muitas respostas dos leitores.

O autor pediu que os leitores protestassem contra os EUA.

想干涉下美国内政的就跟贴干涉好了,我搂主大大的欢迎!

Aqueles que querem interferir nos assuntos internos da América façam o favor de publicar aqui o que pensam. Agradeço imensamente!

Parece uma postagem do Anger Youth [en], enterrada em outras entradas nacionalistas. Mas se você a ler cuidadosamente, encontrará algo interessante. Respondendo ao comunicado de Bush sobre a situação na Birmânia [en], o autor escreveu:

我呼吁秉持砖制和奴才价值观的人们颠覆美国布什政府的狰荡要求。

Eu chamo aqueles que abraçam os valores da auto-crítica e subserviência para derrubar a ridícula solicitação da administração do governo Bush.

Muitos leitores aplaudiram o autor em seus comentários.

A partir desse jogo de gato e rato, podemos ver que o protesto dos monges em Mianmar não é apenas um assunto internacional, mas um assunto interno também para o governo Chinês.

(texto original de Jacky)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.