Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Viktor Tsoi: o eterno ícone do rock dissidente soviético

O muro de Viktor Tsoi no centro de Minsk, onde o caractere chinês “崔” é usado para escrever o seu sobrenome coreano. Foto de Filip Noubel, usada sob permissão.

21 de junho de 1962 é o dia do nascimento de Viktor Tsoi, um astro de rock russo-coreano que surgiu nos últimos anos da União Soviética e que hoje, 30 anos após sua trágica morte, tem status cult em países que falam russo.

Roqueiro, ator, dissidente

Tsoi nasceu em São Petersburgo (à época, Leningrado) de uma mãe russa, Valentina Guseva, e um pai coreano, Robert Tsoi. O pai de Tsoi tem suas origens onde hoje é a Coreia do Norte, após sua família ter sido deportada da Ásia Central soviética durante o governo de Stalin.

Viktor Tsoi estudou artes, mas abandonou os estudos e começou a tocar rock nos anos 1970. Nesse período o gênero era praticamente banido pelas autoridades soviéticas como um símbolo da “decadência do ocidente” e incompatível com a ideologia comunista.

Depois de conhecer em 1980, um dos músicos alternativos soviéticos mais influentes da época, Boris Grebenshchikov, a carreira de Tsoi mudou. Em 1982, Tsoi já tinha formado sua banda, Kino, que rapidamente lançou-o ao estrelato em toda a União Soviética. O primeiro álbum da Kino, “45”, foi gravado em 1982 com a banda de Grebenshchikov, Akvarium. Outro álbum, “Noch“, foi gravado em 1986, e lançado nos Estados Unidos como um álbum duplo intitulado “Red Wave: 4 Underground Bands from the USSR”.

Retrato de Viktor Tsoi em memorial em Minsk, Bielorrússia. Foto de Filip Noubel, usada sob permissão.

Ao todo Tsoi compôs e gravou mais de 90 músicas que tiveram sucesso imediato através de canais não oficiais, incluindo shows realizados secretamente e fitas distribuídas no mercado paralelo, num tempo em que, por causa da censura, era difícil conseguir gravações de modo legal.

Mesmo assim, o boca a boca popularizou as suas músicas, atraindo um público underground com suas mensagens de empoderamento jovem, ideias independentes e ausência de elogios ao Partido Comunista. A música Дальше действовать будем мы (“E a Partir de Agora Nós Estamos no Comando”), por exemplo, tem uma estrofe que diz: “Então viemos aqui para exigir os nossos direitos: sim!” (И вот мы пришли заявить о своих правах: “Да!”).

Depois da perestroika, que deu mais espaço e tolerância a ideias diferentes, particularmente nas artes, Tsoi e Kino puderam apresentar-se oficialmente e ser entrevistados pela televisão soviética.

Em 1988, Tsoi apareceu em um filme chamado Игла (“A Agulha”), do diretor Rashid Nugmanov, filmado onde hoje é o Cazaquistão. Sua representação de alguém dependente de drogas causou grande impressão, pois era um assunto proibido de ser mencionado pela ideologia soviética e considerado uma condição exclusivamente ocidental, apesar de afetar muitos jovens soviéticos, especialmente depois da Guerra Afegã-Soviética.

O filme, que também inclui músicas da Kino, está disponível no YouTube:

No dia 15 de agosto de 1990, Tsoi morreu aos 28 anos de idade onde hoje é a Letônia, depois que seu carro colidiu com um ônibus. Sua morte prematura tornou-se objeto de muitas teorias, incluindo a de que ele teria cometido suicídio ou que teria sido assassinado pelo serviço secreto soviético.

Tsoi, o ícone

30 anos depois da morte de Tsoi, ele continua a ter inúmeros fãs nos países e comunidades de língua russa e inspirou uma grande variedade de pessoas, desde músicos até astrônomos.

No YouTube, alguns vídeos com suas músicas têm mais de 37 milhões de visualizações. Alguns de seus maiores sucessos foram regravados por astros contemporâneos da cena pop rock russa, como a cantora Zemfira na regravação da música Кукушка (“Cuco”):

Suas músicas também foram remixadas e tocadas por DJs em países e comunidades de língua russa. A Global Voices conversou com o DJ Hem, nascido em Tashkent e residente de Helsinki, que apresenta sessões de música soviética ao vivo no Youtube, incluindo um especial de aniversário de Tsoi no dia 21 de junho. Veja o que o DJ Hem tem a dizer sobre o fenômeno Tsoi:

Группа Кино была второй питерской группой, которую я когда-то услышал, это была песня Алюминиевые огурцы. Она, эта песня – как в смысле содержания, текста – каким-то, пожалуй, даже кардинальным образом скорректировала моё отношение как к року вообще, так к русскому року в частности.

Думаю, популярность Кино объясняется прежде всего общей «героической» аурой Цоя – его манера держаться на сцене, манера исполнения, голос, весь его образ… Всего этого не хватало не только на сцене. Всего этого не хватало в жизни.

Тогда это было проблемой всей страны, только что сменившей полностью курс. И вот эти поколения и поколения людей, выросших на героизации подвига – у всех этих людей с перестройкой образовалась где-то внутри пустота. Опыта жизни без героя не было. Значит, герой должен был появиться, и это произошло с Виктором Цоем.

Его лирические тексты вряд ли когда-нибудь устареют. А его песни с гражданским пафосом в какие-то моменты и нынешней российской жизни оказываются актуальными, и уместными как никогда. Что удивительно, российская рок и поп-сцены ведь так и не породили ни одной группы, ни одного исполнителя, который бы умудрился своими условными тремя аккордами зацепить «струны души» такого большого количества людей!

A banda Kino foi a segunda banda de Leningrado que eu ouvi na vida, com a música Алюминиевые огурцы (“Pepinos em Alumínio”), e tanto seu conteúdo quanto suas letras mudaram radicalmente minha percepção do rock em si e do rock soviético.

Eu acho que a popularidade da Kino se deve, principalmente, à aura heroica de Tsoi — sua presença de palco, o estilo de suas performances, sua voz, sua imagem… Faltava isso, não apenas no palco, mas também na vida.

Naquela época, em que o país tinha mudado completamente a sua direção, isso era um problema. Gerações e gerações tinham crescido com a imagem dos heróis comunistas e, de repente, elas experimentaram um vazio após a perestroika. As pessoas não sabiam viver sem heróis. Então, um herói tinha que aparecer, e isso aconteceu com Viktor Tsoi.

É improvável que suas letras tornem-se obsoletas. E as músicas com contexto cívico soam mais contemporâneas e relevantes do que nunca na Rússia atual. O que surpreende é que a cena pop rock russa não tenha produzido até hoje outro grupo ou intérprete que conseguisse tocar a alma de tantas pessoas com apenas três acordes!

Aqui está o trailer do especial de aniversário de Tsoi do DJ Hem:

Em 2018, o diretor russo Kirill Serebrennikov gravou um filme chamado “Leto” (Verão, em russo) sobre a vida de Tsoi e a produção do primeiro álbum da Kino no começo dos anos 1980. O filme foi selecionado para competir pela Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes de 2018.

Tsoi também é uma inspiração além do mundo da música e dos filmes: ele é um ícone da paisagem urbana contemporânea em diversas cidades pós-soviéticas que utilizam murais, estátuas e grafites para celebrar suas músicas. Um grafite popular relacionado a Tsoi é o Цой жив! (“Tsoi está vivo!”).

Em Minsk, a capital da Bielorrússia, há um memorial dedicado a Tsoi no muro de um parque no centro da cidade:

O muro de Tsoi em Minsk. Foto de Filip Noubel, usada sob permissão.

Em Almaty, a antiga capital do Cazaquistão, uma estátua de Tsoi foi erguida em 21 de junho de 2018 em homenagem à ligação que ele tinha com o país. Este tuíte de maio de 2019, quando protestos contra o governo aconteceram no país, mostra a estátua de Tsoi como um símbolo de dissidência:

“E não há mais nada
Tudo está dentro de nós.” [Letra da música Перемен (“Mudanças”), de Tsoi]

Viktor Tsoi veio protestar em Almaty com um cartaz que diz “Mudanças”

Kiev, a capital da Ucrânia, também tem um muro de Tsoi como pode ser visto neste vídeo:

Até mesmo os astrônomos do Observatório Astrofísico da Crimeia, em Nauchnij, foram inspirados por Tsoi, batizando o asteroide 2740 Tsoj em sua homenagem.

Mas não restam dúvidas de que são as letras de suas músicas, que as pessoas ainda sabem de cor e usam no dia a dia, que vão continuar inspirando novas gerações de fãs nos países em que se fala russo no mundo todo. Entre as melhores está a seguinte, da música Пачка сигарет (“Um Maço de Cigarros”):

Я сижу и смотрю в чужое небо из чужого окна
И не вижу ни одной знакомой звезды.
Я ходил по всем дорогам и туда, и сюда,
Обернулся – и не смог разглядеть следы.

Но если есть в кармане пачка сигарет,
Значит все не так уж плохо на сегодняшний день.
И билет на самолет с серебристым крылом,
Что, взлетая, оставляет земле лишь тень.

Sentado, olhando um céu estranho por uma janela estranha,
Eu não vejo uma única estrela familiar.
Eu andei por todas as estradas, aqui e ali,
Dei meia-volta — e não consegui encontrar os meus rastros.

Mas se você tiver um maço de cigarros no bolso,
Então nem tudo está tão ruim hoje.
E uma passagem para sentar-se num avião com asas prateadas,
Que, assim que decola, deixa para trás apenas uma sombra na terra.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.