Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Esses jornalistas colombianos querem que as pessoas saibam que Pablo Escobar não foi um herói

Captura de tela do episódio “Pablo Escobar é um herói”, de La Pulla, disponível no YouTube.

O fenômeno não começou com a série da Netflix, mas certamente “Narcos” ajudou a reviver a posição de Pablo Escobar, traficante de drogas colombiano da década de 1980, na cultura popular norte-americana. Desde que estreou em 2015, a polêmica série tem incitado conversas sobre a constante imagem internacional da Colômbia como paraíso da cocaína dominado por carismáticos traficantes de drogas.

Como resposta, os jornalistas colombianos por trás do canal do YouTube La Pulla, projeto do jornal colombiano El Espectador, fizeram um vídeo em resposta àqueles que ainda glorificam Escobar como “herói”. Entre outras coisas, o vídeo destaca episódios trágicos – e estatísticas – de um dos períodos mais sombrios da  história da Colômbia, como o assassinato de Guillermo Cano, ex-diretor do El Espectador em 17 de dezembro de 1986, e o ataque a bomba ao lado de seus escritórios em setembro de 1989.

It is common in other countries to see people with T-shirts of him, encouraged by series such as Netflix's ‘Narcos’. And then when they come to Colombia they pay a lot of money to go on a tour so they can admire his great accomplishments. […] This “hero” prompted thousands of people to run towards drug trafficking money [like] pigeons chasing corn and rendered the national economy into a little pot to launder the money that came from drug trafficking. This “hero” was not a friend of the people: he committed 623 attacks, left 1710 civilians in pain, and killed 402.

This “hero” forced us to escape from an abandoned briefcase in the street or from a stationed car with no one inside [thinking] there [it was] one more bomb. This “hero” forced us to stay indoors, to suspect from everyone, and to react with fire and violence. This hero forced us to live in constant fear.

No exterior, é comum ver pessoas com camisetas dele, estimulados por séries como ’Narcos’ da Netflix. E, quando visitam a Colômbia, pagam caro para fazer um tour para admirar suas grandes conquistas. […] Este “herói” não era um amigo do povo: cometeu 623 atentados, deixou 1.710 civis feridos e matou 402 pessoas.

Este ‘herói’ nos obrigava a fugir de uma mala que estivesse abandonada na rua ou de um carro estacionado sem ninguém dentro dele por medo de que houvesse mais uma bomba. Este “herói” nos obrigou a ficar dentro de casa, a suspeitar de todo mundo e a reagir com fogo e com violência. Este herói nos obrigou a viver com medo.

Os tours mencionados no vídeo são conhecidos como Narco Tours, e levam os turistas pela cidade de Medellín, por lugares famosos relacionados com a vida de Pablo Escobar. Em 2018, a Radio Ambulante, uma parceira da Global Voices, descreveu o tour em um episódio do seu premiado podcast.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.