Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Ex-preso político angolano Luaty Beirão lança livro no Brasil

Activisms in Africa, The International Conference organized by Center for International Studies. Fotografia de Hugo Alexandre Cruz (usada com permissão)

O rapper e activista angolano Luaty Beirão lançou o seu livro intitulado Sou Eu Mais Livre, Então, na Universidade de São Paulo (USP) no dia 3 de Agosto. Em 2015, Beirão e outros 16 activistas angolanos ganharam notoriedade devido às suas prisões, um momento acompanhado pelo Global Voices.

Os activistas haviam se reunido para discutir a política angolana a partir da leitura da adaptação do livro Da Ditadura à Democracia, do escritor norte-americano Gene Sharp, reconhecido por propor em sua obra formas pacíficas para se combater a ditadura.

O resultado dessa reunião foi a acusação de estarem conspirando contra o governo de José Eduardo dos Santos, presidente do país desde 1979. Durante o período em que esteve preso na penitenciária de Calomboloca, Beirão fez greve de fome por 36 dias como forma de protesto.

Apesar do estado debilitado, o activista registou em um diário os seus dias de cárcere, resultando no livro que será lançado agora na USP. Na publicação que fez no Facebook para anunciar o lançamento do livro, várias pessoas o felicitaram pelo feito e encorajaram-no a continuar a lutar pela liberdade em Angola. Josefina Barros comentou:

É um Homem inteligente, culto e que ama Angola. Desejo-lhe as maiores felicidades na sua vida e que possa contribuir para uma sociedade Justa e Democrática em Angola. Augusto Curry ensina-nos a não desistir dos nossos sonhos.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.