Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Moçambique conquista a sua primeira medalha nos jogos paralímpicos

Final dos 400m feminino - T12. Foto: Edmilsa Governo (usada com permissão)

Final dos 400m feminino – T12. Foto: Edmilsa Governo (usada com permissão)

A proeza foi alcançada por Edmilsa Governo, atleta com apenas 18 anos de idade que no dia 17 de setembro conseguiu o terceiro lugar do pódio na final dos 400m rasos feminino – T12 do Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro 2016.

Edmilsa Governo é detentora dos títulos de campeã africana e da CPLP em atletismo na mesma categoria. A atleta já arrecadou mais de 46 medalhas, das quais 25 são de ouro.

A atleta leva para casa a medalha de Bronze. A medalha de ouro foi para a cubana Durand Omara que bateu o recorde do mundo. Oksana Boturchuk, da Ucrânia, arrecadou a medalha de prata.

Boturchuk, Oksana,Durand, Omara - Atletismo - Ucrânia, Cuba - 400m rasos feminino - T12 - 400m feminino - T12, final - Estádio Olímpico (Engenhão) 2016 Getty Images - Matthew Stockman

Boturchuk, Oksana (Ucrânia) e Durand, Omara (Cuba, dir.) na final dos 400m rasos feminino – T12. Estádio Olímpico (Engenhão). Foto: Rio2016 – Jogos Paralímpicos

A jovem atleta tornou-se a primeira medalhista moçambicana na história de uns jogos paralímpicos, vinte anos depois da medalha de bronze conquistada por Maria de Lurdes Mutola, nos Jogos Olímpicos de Atlanta, nos Estados Unidos da América.

Recorde-se que Mutola viria a tornar-se campeã olímpica dos 800 metros nas olimpíadas de Sidney, na Austrália, em 2000.

As reações a este momento histórico não podiam ser as melhores ao nível das redes sociais. David Nhassego, jornalista desportivo disse:

Edmilsa Governo é medalha de Bronze no Rio-2016

A atleta moçambicana venceu a medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos que decorrem no Rio de Janeiro, Brasil, na corrida dos 400 metros, categoria de T-12. Fixou, ainda, um novo recorde africano nesta prova com o tempo de 53.89 segundos, superando o que ela havia fixado quando garantiu um lugar nesta final, de 54.99 segundos.

O País está de volta às medalhas nas olimpíadas e foi por via da atleta Paralímpica Edmilsa Governo. Aliás, esta é a primeira conquista de Moçambique nos Jogos Paralímpicos. Que se coloque isto nos anais da história.

Edmilsa Governo com o seu guia Filipe João Chaimite medalha de Bronze dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro 2016- Foto: Cedida por Edmilsa Governo

Edmilsa Governo com o seu guia Filipe João Chaimite medalha de Bronze dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro 2016- Foto: Cedida por Edmilsa Governo

Dino Foi fala de um feito histórico que acontece num país onde os deficientes não possuem a mínima atenção, tendo em conta que a atleta moçambicana é deficiente visual:

Ontem uma mãe de uma graduada paraplégica conseguiu me arrancar umas lágrimas na cerimónia de graduação da filha, ao dar todo um cenário do quão foi difícil pôr a filha numa universidade, não pela incapacidade intelectual da filha mas sim por falta de condições para pessoas com deficiência física.

Num país em que quase ou nada existe em termos de condições de acesso para os deficientes, é exactamente uma deficiente que traz uma medalha do Rio 2016!
Dá que pensar!

Zenaida Machado, investigadora da Human Rights Watch para Moçambique e Angola disse:

Edmilsa Governo levou bronze nos 400metros T12. Primeira medalha de Moçambique nos jogos Paraolímpicos. Well done young lady!

Hernâni da Silva, um dos maiores rappers de Moçambique também destacou a vitória na sua conta do twitter:

Basílio Muhate, proeminente membro do partido no poder em Moçambique, não deixou o momento passar despercebido:

Em jeito de brincadeira houve quem fizesse uso do apelido da atleta para destacar o feito: