Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Porto Rico: Canal Público de Notícias é Desmantelado

A redação da única emissora de TV pública de Porto Rico, TUTV, foi praticamente desmantelada recentemente, pretensamente devido a cortes no orçamento. O presidente da Corporação de Transmissão Pública de Porto Rico, Israel “Ray” Cruz – que foi indicado pelo governo eleito em Novembro de 2008 – demitiu cerca de 50 funcionários, vários deles jornalistas. O noticiário, fundado há 15 anos, continuará no ar pelos próximos dois meses, até as últimas demissões. Um grupo de repórteres, operadores de câmera, produtores e editores não foram demitidos, mas o futuro do programa continua incerto. O governo de Porto Rico já iniciou um plano financeiro que inclui a demissão de aproximadamente 30.000 servidores públicos.

No mesmo dia em que os funcionários do canal público foram notificados de suas demissões, a âncora Gloria Soltero mandou uma mensagem um tanto dolorosa para o público durante o noticiário. A blogosfera de Porto Rico tem sido repleta de comentários sobre as palavras de Soltero, mas primeiro, segue abaixo um resumo da mensagem da jornalista:

A aquellos que dieron lo mejor de sí para nuestro taller informativo, para que eso acabara, los felicitamos, lo lograron. Entre ellos está nuestro presidente Israel ‘Ray’ Cruz, que siguió al pie de la letra lo dictado por nuestro gobernador Luis Fortuño, quien le deja saber al pueblo de esta forma que no le importa lo que acontezca con la cultura de nuestro país, y mucho menos con lo que pase en nuestro país con sus empleados públicos.

Acuérdense, pueblo de Puerto Rico y a usted, señor gobernador, que como diría nuestro querido y respetado Aníbal González Irizarry, “un pueblo sin prensa es un pueblo esclavo”. Sr. Fortuño: si su deseo es un pueblo esclavo, usted lo ha logrado.

Àqueles que deram o melhor de si para nosso noticiário, com o intuito de acabá-lo, nós lhes felicitamos. Vocês conseguiram. Entre algumas dessas pessoas está nosso presidente Israel ‘Ray’ Cruz, que seguiu passo-a-passo as ordens dadas pelo nosso governante Luis Fortuño, que deixou claro às pessoas que ele não se importa com o que aconteça com a cultura de nosso país, e muito menos o que possa acontecer com os servidores públicos da nação. Lembre-se, povo de Porto Rico, e você, senhor governante, como nosso querido e respeitado Aníbal González Irizarry [um famoso jornalista porto-riquenho] costumava dizer: ‘um país sem imprensa é um país escravizado’. Senhor Fortuño: se seu desejo era ter um país escravizado, você o alcançou.

O professor de Jornalismo Luis F. Coss diz em seu blog Calahondo [es]:

La solidaridad no puede ni debe ser un fenómeno pasajero. La solidaridad debe ser un estilo de vida frente a la codicia y frente a las políticas y prácticas que atentan contra la dignidad del ser humano. Celebro la respuesta de Gloria y de Ojeda ante las acciones destempladas de los patronos. Ahora nos toca a todos transformar los episodios heroicos en trabajo cotidiano, en conciencia madura para explicar lo que nos pasa hoy y el mañana al que aspiramos.

Solidariedade não pode, nem deve, ser um fenômeno passageiro. A solidariedade deve ser um estilo de vida, com o intuito de combater a ganância, e as políticas e práticas que colocam em perigo nossa dignididade enquanto seres humanos. Eu celebro as respostas de Glória e Ojeda [a última é uma rádio-jornalista porto-riquenha] às duras ações dos empregadores. Agora, devemos juntos transformar os episódios heróicos do cotidiano do trabalho em uma consciência matura para nos tornarmos capazes de explicar o que nos acontece atualmente e o futuro que desejamos.
Em seu blog Hoy me desperté de arena [es], I. Caballer escreve:

El lamento, la rabia y la indignación por el despido de empleados públicos son experimentados en estos momentos en carne propia por otro grupo de trabajadores puertorriqueños en el Canal del Gobierno de Puerto Rico. En esta ocasión, la única diferencia es que pudieron hacer uso de un medio masivo de comunicación para expresar su sentir y pedirle al pueblo que tome acción y no olvide.

A dor, fúria e indignação causada pelas demissões dos servidores públicos do governo é experimentada mais uma vez por um outro grupo porto-riquenho de trabalhadores na emissora de TV do governo de Porto Rico. Desta vez, a única diferença é que eles podem usar uma empresa de comunicação de massa para expressar seus sentimentos e pedir ao país para tomar ações e não se esquecer o que lhes aconteceu.
O blogueiro Luis Daniel Beltrán comenta [es]:

Una reacción que denota la indignación por el cierre de un medio informativo que – aunque en alguna ocasión estuvo maniatado por los caprichos del partido político de turno en el poder – servía al país, sobre todo en los tiempos de incertidumbre que se viven desde comienzos del año en curso.

A resposta de Soltero denota a indignação causada pelo fechamento de um espaço de informação que, embora tenha por vezes estado ao serviço dos caprichos do partido político no poder, serviu ao país, especialmente durante os tempos de incerteza desde o início deste ano.
A imagem utilizada no resumo desse post, “televisão“, é de autoria de Walt Jabsco, sob uma licença Creative Commons. Visite a galeria de Jabsco no Flickr.

1 comentário

  • Trackback: Tutv Puerto Rico

    […] publico de Puerto Rico fue practicamente desmantelada, supuestamente debido a recortes de … Porto Rico: Canal Publico de Noticias e DesmanteladoA redação da unica emissora de TV publica de Porto Rico, TUTV, foi praticamente desmantelada […]

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.