Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Brasil: Enquanto a mídia tradicional lida com processos na justiça, blogs reportam

Duas das maiores empresas de mídia no Brasil estão envolvidas em casos judiciais similares que abordam o tema da liberdade de expressão e de imprensa, apesar de se encontrarem em posições opostas em cada um dos casos. O influente jornal ‘Folha de SP’ está enfrentando uma série de ações na justiça impetradas pelos membros de uma igreja evangélica, e enquanto isso, a revista semanal Veja e alguns de seus principais editores estão entrando com várias ações contra um blogueiro. Até o momento, somente a blogosfera brasileira está apontando a similaridade e as contradições reveladas pela conexão entre ambas as situações.

Os problemas da Folha começaram na semana passada quando Elvira Lobato, jornalista que hoje enfrenta por volta de 50 ações individuais, publicou um artigo sobre as finanças da Igreja Universal do Reino de Deus – IURD, e suas conexões com paraísos fiscais. O artigo lista a rede de TV (segunda em audiência no país), 23 estações de TV e 40 de rádio, além de outras 19 empresas — entre estas 2 jornais diários — que formam o ‘império’ da igreja, mas as ações na justiça reclamam o fato da IURD ter sido chamada de ‘seita’.

O tema chamou a atenção do ‘Repórteres sem Fronterias’, e a ABI (Associação Brasileira de Imprensa) lançou uma nota descrevendo a reação da IURD como ‘uma campanha de intimidação e coerção sem precedentes na história da comunicação no Brasil’. Enquanto as ações judiciais contra a Folha instigaram tão forte e pronta resposta de mídia e de seus apoiadores, uma abordagem bem diferente está sendo adotada em relação à disputa legal entre a revista Veja e o jornalista/blogueiro Luis Nassif. Como esperado, a blogosfera tem muito a dizer sobre o assunto.

A blogosfera está fervilhando sobre a disputa político-ideológica(?) do jornalista Luis Nassif com a revista Veja. É a primeira vez que vejo um assunto gerar tanto debate na blogosfera. O fato curioso é que não apenas os blogs de política estão acompanhando o tema. Nassif começou a publicar no blog Projeto Brasil, no início deste ano, uma série de textos sobre o papel de revista Veja em episódios políticos recentes na história do país, especialmente durante os governos FHC e Lula.
Luis Nassif X revista Veja: blogosfera está fervilhando
GJol

Já escrevi aqui e repito: não vejo diferença de caráter entre a Igreja Universal do Reino de Deus e a grande mídia. Moralmente, são todos farinha do mesmo saco. Um leitor me pergunta, então, se sou a favor das ações em série que os fiéis da IURD movem contra a “Folha”. Claro que não, mas é um direito deles, ora. Numa democracia, as desavenças (físicas e jurídicas) são resolvidas num tribunal e não a pauladas como na época da caverna (se o leitor sente saudade dessa época, vá morar no Timor-Leste). A “Veja” decidiu processar Luís Nassif usando o mesmo procedimento e até agora não vi nenhum movimento nacional liderado pela OAB, ABL e ABI em defesa do jornalista. Hipocrisia é a homenagem que a virtude presta ao vício. Estou fora.
José, o Bispo, Nassif e a HipocrisiaBlog do Ailton

Em reação às denúncias de Nassif, a revista Veja entrou com ações na Justiça contra o jornalista. A revista não refutou nenhuma denúncia sequer. Apenas quer usar a Justiça como instrumento para retardar ou dificultar a publicação das denúncias. É um direito da revista procurar a Justiça por sentir prejudicada. Porém, sempre que a imprensa faz uma denúncia vazia e alguém entra na Justiça, é logo acusado por toda ela, sem defecções, de querer calar a imprensa ou de ato contra a sua liberdade. Dessa vez, nenhum veículo de comunicação ou grande jornal em circulação saiu em defesa da liberdade jornalística do Nassif. Dois pesos e duas medidas. Sempre assim. O curioso é que a grande imprensa silenciou sobre as denúncias. É o assunto do momento, em todas as redações, nas páginas da web, mas não saiu uma linha sequer nos grandes jornais.
Batalha Nassif / Veja: A grande imprensa na defensivaBlog do Desemprego Zero

Como a internet inteira já sabe, Luiz Nassif está fazendo uma série de acusações contra a Veja. Não sei o que a motiva; afinal, como ele mesmo diz a meu respeito, esses “são temas intrincados, e ela não domina essa área”… Ele há de ter suas razões, imperceptíveis à minha ingenuidade. De modo geral, discordo da sua posição política, o que não há de ser surpresa para quem lê o que eu escrevo e lê o que ele escreve, se é que há quem se inclua em categorias tão díspares. Mas isso é secundário, como é secundário o fato de, pessoalmente, nós termos respeito e simpatia um pelo outro. O que importa, aqui, é que a Veja decidiu processá-lo. Péssima decisão! A imprensa está vivendo um momento delicado, com processos de sobra movidos por terceiros. Para ficar apenas no exemplo mais recente, aí está a igreja universal do reino de deus disparando uma série de processos sobre a Elvira Lobato, através dos seus fiéis, no nítido intuito de silenciá-la.
Nassif vs. VejainternETC

A IURD está preocupada com os efeitos que as denúncias da Folha, bem como dois outros jornais – um do Rio e outro da Bahia -, possam ter nas parcerias corporativas necessárias para a expansão do império econômico fundado pelo bispo Macedo. Por seu lado, a Folha e os demais jornais temem que a onda de processos judiciais contra a jornalista Elvira Lobato e os repórteres Bruno Thys (jornal Extra, RJ) e Walmar Hupsel Filho (A Tarde, BA), autores de três reportagens diferentes, acabe saindo muito caro em indenizaçőes e custos judiciais. A estratégia de ambos os lados é esgrimir o conceito de liberdade: a religiosa e a de imprensa. São dois argumentos de peso em matéria de estratégia de marketing político, mas frágeis em termos de conteúdo. As reportagens não ameaçam a liberdade religiosa no país, no máximo os negócios do bispo Macedo, da mesma forma que as açőes judiciais interpostas por fiéis da IURD não ameaçam as liberdades da imprensa e de informação. Enquanto isto, os leitores (pelo menos os do Observatório) fazem uma leitura diferente da questão. Não mostram simpatias com a Igreja Universal, mas também não poupam a imprensa. Isto mostra que um segmento do público leitor brasileiro começa a dar sinais de maturidade para experimentar fórmulas colaborativas de produção de informaçőes, uma das grandes inovaçőes introduzidas pela Web.
Outra polêmica envolvendo a imprensaCódigo Aberto (Observatório da Imprensa)

Esta possibilidade de produção colaborativa da informação é um dos mais interessantes aspectos presentes na série de artigos publicados pelo Nassif. Nos últimos capítulos, muitos leitores do blog do Nassif — ou deveríamos dizer, comunidade de leitores? — têm auxiliado na análise dos elementos, links e evidências que compõem a intrincada coleção de fatos que formam o ‘Caso Veja’. Esta novidade, juntamente com a percepção de que a busca pela qualidade da informação na blogosfera começa a crescer em meio ao já conhecido tiroteio político entre esquerda e direita, pode ser um sinal de maturidade dos blogs brasileiros.

Chamo a atenção de vocês para um resultado genuíno do trabalho em rede. O trecho abaixo fecha o capítulo ‘Lula é meu álibi’, no dossiê Veja. Foi um trabalho minucioso de pesquisa feito por vocês (clique aqui para ler o capítulo). Quando pedi a ajuda de vocês, houve quem risse do pedido. Esse povo não sabe o que é o trabalho cooperativo em rede.
A rede e os g00db0ysLuis Nassif Online

Algo de muito importante está acontecendo na blogosfera brasileira desde que Luis Nassif começou a publicar suas reportagens a respeito da revista Veja: a conversa mudou de patamar. Das picuinhas habituais entre blogs de esquerda e de direita, entrou no bate-boca algo novo. Informação. Nassif recorreu a um instrumento tradicional, o da reportagem, para levar a seus leitores a informação que coletou, certamente, após muitas entrevistas. (Dá trabalho informar.) Mas como foi via blog que divulgou, a blogosfera melhora. Temos uma blogosfera que não costuma informar muito, quanto mais produzir informação do zero. A esperança, agora, é que seguindo ele, sem histeria, alguém pegue as atividades da Secretaria de Comunicação do atual governo – ou mesmo do governo passado – e mostre seus hábitos. Quem é favorecido, quais seus critérios de distribuição de propaganda, qual a linha editorial habitual dos agraciados, quanto circulam. Costumamos, jornalistas, cobrar das estruturas do governo e das grandes empresas que sejam transparentes. A imprensa – e, sim, isto inclui blogs – tem uma das tarefas mais delicadas da democracia. É a ela que cabe informar. É através dela que o público toma conhecimento do que acontece. Sem uma imprensa livre não é possível formar opinião. A mesma transparência que a imprensa cobra de governo e empresas deve ser cobrada de volta. Provavelmente vai ter briga e vai ter polêmica. É do tipo saudável.
Luis Nassif, Veja e a blogosferaPedro Dória Weblog

Na medida em que o significado e a importância da blogosfera cresce, surgem sinais de que a questão principal pode vir a ser a produção de informação livre e de boa qualidade.

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

4 comentários

  • Bira

    Li todos os capítulos da novela Veja x LuizNassif. Os fatos elencados por Nassif dão a dimensão do horripilante papel desempenhado pelo jornalismo da outrora prestigiada revista. Intrigas, puxa-saquismo, interesses comerciais difusos, mau uso dos documentos acessados, inversão de relatos, mentiras, despistes: são estes os principais ingredientes usados pela revista. Faz pasmar o mais atento leitor da blogosfera, que manifesta seu apoio e registra votos de sucesso a Nassif. Em meio a tanta expectativa, emails sobre o caso circulam pela internet. Porém, estranha-se o silêncio da imprensa. Esta, fazendo de conta que não tem nada a ver com a história, repercute uma pendenga judicial entre um jornalão e fiéis de uma seita ligados a uma rede de TV. A querela foi habilmente transformanda em ameaça a liberdade de imprensa.

  • Lucrécio Rocha

    Prezado José Murilo Junior,

    O artigo é muito bom. Obrigado!
    Aracaju-SE.

  • Ainda falta a Justiça brasileira e a chamada “grande imprensa” compreenderem o que são blogs, ou melhor, compreender o que é a web 2.0 como um todo…

  • […] O Biscoito Fino e a Massa – Luis Nassif, o dossiê Veja e a judicialização do debate jornalístico no Brasil Global Voices Online – Brasil: Enquanto a mídia tradicional lida com processos na justiça, blogs reportam […]

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.