Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Moçambique: Competência de nova Governadora posta em causa por machismo

Governadora de Gaza tomando posse

Governadora de Gaza tomando posse. Foto: Moz Massoko. Reprodução autorizada.

Recentemente em Moçambique teve lugar a tomada de posse do novo presidente eleito nas eleições gerais de 15 de Outubro de 2014. O Presidente tem a competência legal de formar o seu governo bem como de nomear governadores para as 11 províncias do país. Foi nessa perspectiva que Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique, nomeou Stela Pinto, para ser governadora da província de Gaza. Stela Pinto é uma jovem docente universitária que, até à data da sua nomeação, ocupava na Universidade Pedagógica-Quelimane o cargo de directora pedagógica.

Gaza é uma província do Sul de Moçambique com cerca de 1 milhão e 230 mil residentes. A região nunca teve no seu historial politico uma governadora mulher. É uma província tipicamente “machista” e conservadora dos seus costumes. Ficando a competência da recém-nomeada governadora posta de parte.

Várias notícias circularam pelo país dando conta de algum descontentamento da população de Gaza sobre esta nomeação pelo facto de se tratar de uma mulher, inclusive dentro do partido Frelimo, formação política da governadora recém empossada. Aliado a isso, fotos com poses obscenas – supostamente da governadora – foram publicadas para denegrir a sua imagem.

Para Muhamad Yassine, deputado da Assembleia da República, não restam duvidas que  se trata de uma questão de machismo. Sobretudo, por se ter nomeado uma mulher para um cargo de alto nível: 

Numa provincia conhecida por machismo ultra ortodoxo e pelo uso da forca contra corpos políticos diferentes caiu por lá uma Dama. Em pouco dias já circulam ( verdadeiras ou nao) imagens de alegrar os homens e desagradar a moral religiosa. Nao sera uma vitoria para os machistas de lá? , ou ate olhar para uma teoria de conspiracao Gazense, Ou uma derrota para a possibilidade de se nomear mulher para um posto naquela provincia onde os homens acham que somente eles tem direito?. Porque chafurdar a vida de pessoas para delas fazer gozo?. Onde esta maldade nas fotos? Onde o sorriso no final do dia?

Machismo na província de Gaza

Machismo na província de Gaza – Jornal Zambeze. Imagem de tela pelo autor,

Antonio Frangoulis, criminalista e comentador político, fala da questão do machismo aliado às reclamações vindas de Gaza e do partido Frelimo:

Lí no hebdomadário “ZAMBEZE” coisas como ” A população da província de Gaza, incluindo proeminentes figuras de partido Frelimo nesta parcela do país, manifesta-se profundamente agastada em virtude do Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, ter nomeado a jovem Stella da Graça Pinto Zeca….(para governadora da província de Gaza )”, mais se lê “…Como forma de manifestar o seu repúdio pela nomeação, a população de Gaza, incluindo membros dos órgãos sociais do partido Frelimo, com destaque para a Organização da Mulher Moçambicana (OMM), Associação dos Combatentes da Luta de Libertação Nacional e Organização da Juventude Moçambicana (OJM), ‘gazetou’ na cerimónia pública de apresentação da nova timoneira Provincial…!!!”
Eu estou a imaginar quando aos dois órgãos sociais mais conservadores se mostrar as imagens nojentas, atribuídas* à jovem governadora, que por aí curculam, acredito que a compaixão com a (n)(p)obre alma vai ser insuficiente. É caso de dizer que “O azar nunca vem só…”, só não sei qual é o primeiro, o segundo e como não há um sem três, não sei qual será o TERCEIRO…!
Ps* Não quero participar na polémica  da verossimilhança das mesmas, porque pelo que tenho estado a acompanhar pelas redes sociais não há lógica nos discursos, mas apenas razões de coração – paixão  política, e como se sabe, não tem  limite.

Houve ainda quem repudiasse a atitude da invenção das fotos obscenas a forma como são hoje usadas as redes sociais, Gito Gitinho Gitão referiu:

As redes sociais estão a infernizar a vida das pessoas! E a vítima desta feita é a Senhora Governadora de Gaza. Não confirmo a veracidade das fotos! Contudo, eu sempre digo, há que sermos prudente nas nossas acções, o que a gente faz hoje tem implicações no futuro! E meninas, evitem essas historietas de enviarem e tirarem fotos íntimas. Mais nada digo!

Num blog dedicado a entretenimento chamado Moçambicanos Terra Queimada, justifica-se a hipótese de montagem e clonagem das fotos, bem como a difamação da imagem da Governadora e pede-se a intervenção da Procuradoria Geral da República:

A clonagem de fotos vale o que vale quando tem um fundamento; quando serve para fazer passar uma informação consubstanciada num facto verídico. É muito fácil fazer montagem de fotos e as novas ferramentas tecnológicas permitem que a imagem de um sujeito seja adulterada. Em algum momento até tem graça, piada e revela imaginação, criatividade e arte de quem a faz. Porém, a clonagem deixa de ter essência quando o seu conteúdo é maléfico, pejorativo, sarcástico e com única intenção de prejudicar a imagem pública de um cidadão. Quando é para ferir alguém, os especialistas na matéria, que nada de útil sabem fazer, não perdem tempo e dão-se ao luxo de (re) inventar artifícios que atentam a dignidade do indivíduo (…). O que estaria por detrás de tão hediondo acto. Tudo quanto especulássemos ficaria mesmo pela teoria da conspiração (…). Está na hora, meus senhores, de os crimes cibernéticos na sociedade moçambicana serem encarados com seriedade para a responsabilização dos respectivos autores. A Procuradoria-Geral da República (PGR) deve começar a agir com rigor e eficácia, em coordenação com o Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, para a correcção de atitudes menos dignas.