Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Violando a Constituição, blogueiro etíope deve enfrentar 18 anos de prisão

Este post apareceu originalmente no site da Electronic Frontier Foundation. Foi modificado para o público do Global Voices Advocacy.

[Todos os links neste artigo levam a páginas em inglês, exceto quando indicado de outra forma]

No dia 1º de maio, a Suprema Corte da Etiópia decretou a condenação, com uma sentença severa, do premiado jornalista online Eskinder Nega, que agora enfrentará 18 anos de prisão. Nega foi preso em setembro de 2011 acusado de “terrorismo”, de acordo com uma lei vaga da Etiópia, que tem sido utilizada para atingir jornalistas no meio online e dissidentes políticos. O julgamento e apelação de Nega enfrentaram diversos atrasos, enquanto grupos internacionais de direitos humanos e defensores da liberdade de expressão continuaram a criticar sua prisão e punição. A EFF, a PEN America, o Comitê de Proteção aos Jornalistas, e outras entidades fizeram campanha pela soltura do jornalista, além disso, um painel da Organização das Nações Unidas declarou que a condenação era uma violação das leis internacionais.

Mohamed Keita, do Comitê de Proteção aos Jornalistas, disse em resposta a determinação da Suprema Corte: “A perseguição de Eskinder e de outros jornalistas é a marca de um regime que tem medo da opinião de seus cidadãos”.

Free Eskinder campaign image.

Imagem da campanha pela libertação de Eskinder.

Eskinder Nega se mudou para os Estados Unidos para fazer faculdade, estudou na American University, em Washington, antes de retornar a sua terra natal onde se tornou jornalista. Ele fundou quatro jornais – todos fechados por ordem do governo etíope – e foi preso várias vezes por seus artigos ousados. Quando sua licença de jornalista foi revogada, Nega passou ao mundo virtual, se tornou blogger e passou a utilizar plataformas online para discutir a situação política da Etiópia. Enquanto muitos jornalistas do país foram silenciados ou tiveram de fugir para proteger suas vidas e as vidas de suas famílias, Eskinder Nega se recusou a sair ou parar de escrever. Sua coragem e dedicação como jornalista, o tornaram símbolo da imprensa livre e do poder da Internet na manutenção da liberdade de expressão em condições de repressão.

Eskinder Nega escreveu apaixonadamente sobre a oportunidade da Etiópia abraçar os direitos humanos e a liberdade de expressão. Em um post de seu blog, ele escreveu:

 

Tyranny is in retreat everywhere. It has lost one of its two last great bastions, the Arab world. The momentum is now on the side freedom. Freedom is partial to no race. Freedom has no religion. Freedom favors no ethnicity. Freedom discriminates not between rich and poor countries. Inevitably, freedom will overwhelm Ethiopia.

A tirania está em regressão em toda parte. Ela perdeu um de seus dois grandes bastiões, o mundo árabe. O momento está agora do lado da liberdade. A liberdade não é parcial para nenhuma raça. A liberdade não tem religião. A liberdade não favorece etnias. A liberdade não discrimina países ricos e pobres. Inevitavelmente, a liberdade irá tomar a Etiópia.

Os textos de Eskinder Nega forneceram uma janela para a realidade da vida em solo etíope, e serviram de inspiração para o povo na Etiópia e ao redor do mundo. A continuação de sua prisão nega a todos uma voz jornalística única e poderosa de uma parte do mundo que está faminta por relatos bem apurados, verdadeiros e multifacetados.