Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Butão: Uma piada já é muito? Blog satírico Bhutanomics foi bloqueado

[Todos os links conduzem para páginas em inglês.]

São fortes as suspeitas de que o governo do Butão não aprecia o humor do blog de sátira política Bhutanomics. A página foi bloqueada em 12 de janeiro de 2013 a partir de um grande provedor de serviços de internet sem qualquer explicação ou comunicado.

Lançado em março de 2012, em menos de um ano de existência o grupo por trás do blog provocou barulho na esfera política butanesa com uma série de quadros satíricos destinados a políticos e oficiais de governo, e popularizou-se como uma plataforma aberta para críticas anônimas ao governo e análises políticas.

Bhutanomics foi também criticado por calúnia, difamação e falta de revisão editorial. De acordo com sua página Sobre nós, trata-se de um website apartidário, mantido somente por doações.

Em 12 de janeiro, a seguinte novidade foi registrada na página de Facebook do blog:

Some very powerful people in Bhutan dont like us. Our website (http://bhutanomics.com/) is no longer accessible from Bhutan.

Algumas pessoas poderosas não gostam de nós no Butão. Nosso website (http://bhutanomics.com/) deixou de ser acessível no Butão.

From Bhutanomic's Facebook Page

“Censurado – Algumas pessoas poderosas não gostam de nós no Butão. Nosso website (http://bhutanomics.com/) deixou de ser acessível no Butão”, da página no Facebook do Bhutanomics.

Minjur Dorji escreve, no The Bhutanese:

Bhutanomics.com, a satirical website has been blocked by Druknet, one of the Internet Service Providers (ISPs) in the country. This was confirmed by a Druknet employee though he and his colleagues did not share who gave the instructions to do so.

Nobody is really sure whether the website is operated within the country or the webmaster resides outside Bhutan.

O website satírico Bhutanomics.com foi bloqueado pelo Druknet, um dos Fornecedores de Acesso à Internet (ISPs, em inglês) no país. Isso foi confirmado por um funcionário da Druknet, contudo nem ele nem seus colegas informaram o responsável por requerer o bloqueio.

Ninguém sabe ao certo se o website é operado dentro do país ou se o webmaster reside fora do Butão.

Suspeitas de censura são ainda maiores uma vez que Bhutanomics só está inacessível pela Druknet, o principal fornecedor de acesso à internet, operado pela estatal Bhutan Telecom. Ainda é acessível através de fornecedores privados como Tashi Cell e Samden. O site também é acessível através de websites de proxy, por mídias sociais e por usuários fora do país.

Captura de tela do Bhutanomics.com

Captura de tela do Bhutanomics.com em 5 de fevereiro de 2013

De acordo com reportagens, tanto o Diretor-Geral da Druknet, Tshering Norbu, como a Autoridade da Bhutan InfoComm, Lakshuman Chhetri, negaram ter bloqueado a página.

Rinzin comenta, no artigo mencionado acima:

The blocking of Bhutannomics will push Bhutan into an elite club of countries like North Korea, China, Iran and Syria where the internet is actively controlled by the government to block critical websites.

O bloqueio do Bhutanomics vai alavancar o Butão para um clube elitista de países como Coreia do Norte, China, Irã e Síria, onde a Internet é ativamente controlada pelo governo para bloquear websites de sátira.

O blog Bhutanomics publicou uma carta aberta destinada ao Primeiro-Ministro butanês, que foi originalmente publicada no site por Jamyang Y. S. como um comentário:

If a government cannot uphold itself to the criticism by its subjects, then how will the government function? I believe it is the criticism that can be used as a check and balance to see how your party is doing, and the true health of your governing system. I believe that when you take on to become a politician, it is only natural that there will be criticism – both critical and cynical, but it is up to you how you hold on to it.

Se um governo não consegue se manter frente às críticas de seus cidadãos, então como esse governo poderá funcionar? Acredito que sejam as críticas que podem ser usadas como verificação de equilíbrio do desempenho de um partido e da saúde real de um sistema de governo. Acredito que, quando alguém se torna um político, é meramente natural que surja comentário crítico – tanto crítico como cínico, mas depende de cada um a forma de lidar com isso.

O blogueiro Peldhen Sonam Nima indaga se a interdição vai fazer algo de bom para o país:

Bhutanomics entertained me. Its been a source of so many interesting happenings. I liked the satire part which has link especially to Bhutanese Political setting. [..]

I think it has updates on all the famous Bhutanese personalities. Its understandable why my fellas in Bhutan will miss the Banned blog. [..]

They are all people who have the potential to either make or break Bhutan! I think any Bhutanese deserve to know both plus points and minus points of those individuals.

Bhutanomics me entretinha. Era uma fonte de tantos acontecimentos interessantes. Eu gostava da parte satírica, que fazia uma conexão especial com a organização política butanesa. […]
Trazia novidades de todas as personalidades famosas do Butão. É compreensível por que meus amigos no Butão sentirão falta do blog banido. […]
Falava de pessoas com o potencial de construir ou de quebrar o Butão! Penso que qualquer butanês mereça saber tanto dos pontos positivos como dos pontos negativos dessas pessoas.

O blogueiro Monu GhishYing Tamang opina:

Bhutan is a young democracy which requires adequate criticism to grow strong. Criticism should not be taken in a wrong way, it must be the correction fluid to erase our follies.

O Butão é uma jovem democracia que requer críticas adequadas para crescer forte. Críticas não deveriam ser encaradas de forma errada; devem ser como um fluido de correção para apagar nossas loucuras.

Contudo, o blogueiro também considera que um certo número de autores e colaboradores do Bhutanomics precisa revelar sua verdadeira identidade em nome da credibilidade.