Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Índia: Poder das mídias sociais contra a corrupção

Corrupção é um assunto popular na Índia e muitas pessoas adoram conversar sobre o episódio mais recente envolvendo oficiais do governo. Entretanto, existem também aqueles poucos que fazem algo significativo para provocar uma mudança.

No dia 5 de abril de 2011, o ativista social Anna Hazare [En para todos os links] deu início a uma greve de fome como parte da campanha que exigia uma lei anti-corrupção efetiva e recebeu o apoio de centenas de milhares de indianos. Seu website Índia Contra a Corrupção exibia uma lista de apoio com os nomes de mais de um milhão de pessoas e o número continuava aumentando.

Mukul Sharma, em Kafila, considera Anna Hazare um dos líderes guerreiros pelo meio ambiente na Índia e oferece uma retrospectiva da vida e das campanhas do ativista (assim como campanhas pelo direito à informação).

Anna Hazare. Imagem cedida por Rajavaddhan, Wikipedia.

No segundo dia da greve de Anna, muitos comentários traçaram paralelos entre o seu protesto e os protestos da Praça Tahrir, assim como outras revoluções pró-democracia do Oriente Médio. Prerna no blog I Love Life So I Explore publica algumas fotos dos protestos de apoio a Anna Hazare.

Na manhã do dia 9 de abril de 2011, sábado, Anna Hazare quebrou seu jejum depois de mais de 90 horas, quando o governo indiano distribuiu uma notificação oficial, na qual constituía um comitê formado por ministros e ativistas da sociedade civil, incluindo ele próprio, para elaborar um efetivo Projeto de Lei Lokpal  de combate à corrupção.

O Projeto de Lei Jan Lokpal (arquivo zip) determina que investigações sobre qualquer caso devem estar completas em até um ano,  sendo que o julgamento deve ocorrer ao longo do ano posterior, de modo que uma pessoa condenada por corrupção vá para a cadeia em até dois anos após a acusação e que a riqueza dele/dela seja confiscada também dentro deste prazo.

Um artigo publicado recentemente em The Hindu analisa como a mídia social ajudou a formatar e fortalecer a campanha de Anna Hazare. Ícones nos perfis do Facebook, aplicativos que convocam à causa, campanhas de “ligação perdida” e petições foram algumas das estratégias utilizadas. No Twitter, as palavras-chave #janlokpal e #annahazare começaram a se destacar. O YouTube lista cerca de dois mil vídeos amadores sobre a campanha.

Antes de Anna quebrar seu jejum, Gaurav Mishra de Gauravonomics perguntava-se se a campanha de Anna Hazre culminaria algum dia em um movimento social porque:

It seems that Hazare’s India Against Corruption campaign is attracting some serious support on the Indian social web. The Facebook page has more than 180000 likes, the Facebook event has more than 160000 attendees and #annahazare is trending on Twitter worldwide. The campaign’s Twitter account @janlokpal is also getting some traction. Overall, the campaign claims to have received 7 lakh calls in support at +91-22-61550789.

Twitter users are urging each other to go to Jantar Mantar in Delhi, Azad Maidan in Mumbai and Freedom Park in Bangalore to support Anna’s fast until death. India Against Corruption claims that protests have been organized at 400 locations around the world.

However, most people seem unsure about what they are supporting. The Congress-led UPA government has been embroiled in a series of high-profile corruption cases, but the BJP-led opposition hardly inspires confidence either.

Parece que a campanha de Hazare, Índia Contra a Corrupção, está atraindo apoiadores sérios na rede social indiana. A página do Facebook tem mais de 180000 indicações de “curtir”, o evento no Facebook tem mais de 160000 confirmações de presença e #annahazare é destaque no Twitter em todo o mundo. A conta da campanha no Twitter, @janlokpal, também está se movimentando bem. Além de tudo, a campanha alega ter recebido 700 mil ligações de apoio pelo número +91-22-61550789.

Usuários do Twitter estão estimulando uns aos outros para ir ao Jantar Mantar em Delhi, Azad Maidan em Mumbai e Freedom Park em Bangalore para apoiar a greve de fome de Anna. Índia Contra a Corrupção alega que os protestos foram organizados em 400 locais ao redor do mundo.

No entanto, a maior parte das pessoas parece insegura sobre o que estão apoiando. O governo do líder do Congresso UPA tem sido envolvido em uma série de casos de corrupção com bastante visibilidade, mas a liderança do partido de oposição BJP dificilmente inspira confiança.

Cansados da corrupção governamental, homens sentam e apoiam a greve de fome de Anna Hazare num movimento que se espalhou pelas cidades. Imagem feita por Devarshi Pathak. Copyright Demotix.

Amit Varma em India Uncut também questiona o apoio a Anna Hazra:

I’m amused that most people supporting him haven’t read and understood the draft of the Jan Lokpal Bill, which Hazare has been fighting for. I’m appalled that they don’t understand that this bill does nothing to fight the root causes of corruption, and may instead add to the problem. And yes, I’d be astounded if they care about this bill or the man two weeks from now, when the fashion would have changed, yellows would be out, and purples would be, like, so in.

Acho divertido que a maior parte das pessoas que o apoiam nunca tenha lido e entendido a proposta do Projeto de Lei Jan Lokpal pelo qual Hazare tem lutado. Estou atônito com o fato de que essas pessoas não entendem que o projeto não faz nada para combater as raízes que causam a corrupção e pode, ao contrário, piorar o problema. E, sim, eu estaria muito surpreso se elas se importassem sobre o projeto de lei ou o homem daqui a duas semanas, quando a moda terá mudado, amarelos estarão de fora e violetas estarão em alta.

E Amit estava certo. A triste notícia sobre este movimento é que ele morreu prematuramente e o críquete começou a dominar a mídia mais uma vez. Gaurav escreve:

The campaign started getting traction on Wednesday, and peaked on Thursday. By Friday, netizens had moved on from corruption to cricket. IPL4 dominated the conversation and amusement about Lalit Modi’s support to Anna Hazare campaign reached trending topics on Twitter India. So, it’s a good thing that the government agreed to Anna’s demands on Friday night and Anna agreed to end his fast on Saturday morning. India’s heart might beat for Anna Hazare, but India’s heart still bleeds blue.

A campanha começou a ganhar força na quarta-feira e atingiu seu pico na quinta. Na sexta-feira, internautas deixaram de discutir corrupção para falar de críquete. IPL4 [Nota da tradução: Indian Premier League, popular evento de críquete] dominou os diálogos e piadas sobre o apoio de Lalit Modi à campanha de Anna Hazare tornaram-se os tópicos de destaque no Twitter da Índia. Então foi bom que o governo concordasse com as demandas de Anna na quinta e Anna, por sua vez, concordasse em finalizar seu jejum na manhã de sábado. O coração da Índia pode bater por Anna Hazare, mas o coração da Índia ainda sangra azul.

Saurabh Dhanuka não está convencido de que Anna trouxe a revolução das mídias sociais para a Índia. Saurabh acredita que a corrupção começa com as pessoas comuns, as mesmas que apoiaram o ativista:

The real change cannot come into existence by bringing new laws, it will come when we attack the cause. This is the main point which the Indian status message revolution and Anna’s crusades missed it since the beginning.

A verdadeira mudança não vai acontecer por meio da adoção de novas leis. Ela virá quando atacarmos a causa. Este é o principal ponto que a revolução das mensagens sobre o status de cada um e que as cruzadas de Anna perderam desde o princípio.

Flawsophy também promove um hilário teste de realidade para os entusiastas das mídias sociais em um texto intitulado “Que tipo de apoiador de Anna Hazare é você?”

O movimento morreu assim que Anna Hazare encerrou seu jejum. Agora, o Projeto de Lei Lokpal ajudará a reduzir a corrupção? Amit Varma afirma que, a menos que o governo sacuda a poeira e mande para longe a exigência excessiva de licenças (por exemplo, o dono de um hotel precisa de 165 licenças) e regulamentações, a situação não vai mudar:

Governments should exist to implement law and order, to protect our rights, and to provide basic services—nothing else. The more we move towards this ideal, the closer we come to rooting out corruption.

Governos deveriam existir para implementar lei e ordem, para proteger nossos direitos e prover serviços básicos, nada mais. Quanto mais nos movermos em direção a este ideal, mais perto estaremos de eliminar a corrupção pela raiz.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.