Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Japão: Nós não esqueceremos Hiroshima e Nagasaki

Há 64 anos, nos dias 6 e 9 de agosto, bombas atômicas foram jogadas pelo exército dos Estados Unidos sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki [en]. Mais de duzentas mil pessoas morreram e todos os anos são realizadas cerimônias para homenagear aquelas vítimas e lembrar à humanidade dos horrores trazidos pela guerra e pelo uso de armas nucleares.

Alguns blogueiros japoneses refletem sobre sua história e o significado deste aniversário.

Atomic Bomb Dome in Hiroshima. By Flickr user kamoda.

"Duomo Bomba Atômica" em Hiroshima. Foto do usuário "kamoda" no Flickr.

touhen 03, de Hiroshima, nos conta [ja] a história do edifício (foto acima) que hoje é símbolo da Bomba-A e as memórias relacionadas a ele.

戦前の産業奨励館は大正15年に建てられた、とてもお洒落な建物だったようです。原爆ドームと呼ばれるようになった今でも、よく見ると美しい装飾が、あちこちに残っています。

O Industrial Promotion Hall foi construído antes da guerra, no ano 15 da Era Taisho [1933] durante a Era Taisho, em 1915, e aparentemente era um edifício muito bonito.
Agora, que ele é chamado de A-Bomb Dome, alguns dos belos elementos decorativos da fachada ainda podem ser vistos.

今年も8月6日がやってきました。広島に原爆が落とされた日です。当時、広島市の周辺部、矢野町に住んでいた母は小学生で、校庭で朝礼中でした。大地が一瞬白く透けて見え、町内の自宅近くに爆弾が落ちたと思ったそうです。祖母は同じ町内の海岸で塩作りをしていました。すぐ近くに敵機が来たと思い、曾祖母と手を取り合って夢中で逃げたそうです。そのうち広島市内と隣接した安芸郡府中町の東洋工業(現在のマツダ株式会社)に爆弾が落ちたという噂が流れ、それなら親戚を助けに行かなければという話をしているうちに、東洋工業ではない、広島市内は火の海だという情報が入り、被爆した人達が次々と運ばれて来るようになり、祖母は看護にかり出されたといいます。

O dia 6 de agosto deste ano chegou. O aniversário do dia em que a bomba atômica foi jogada sobre Hiroshima. Naquela manhã, minha mãe, que vivia em Yano-Cho, subúrbio de Hiroshima, era uma aluna do ensino fundamental e estava cumprimentando as pessoas na entrada da escola. Ela me disse que por um instante a atmosfera assumiu tons de um branco transparente e ela acreditou que a bomba tiha cadído perto de sua casa. Minha avó estava na costa, trabalhando na produção de sal. Acreditando que o inimigo tinha chegado, ela pegou minha bisavó pela mão  e ambas começaram a correr tão rapidamente quanto podiam. Neste meio tempo, um rumor se espalhou, afirmando que a bomba tinha caído onde então estava a Toyo Factory (hoje Matsuda Inc.) no vilarejo próximo de Akigun Fuchu. Mas quando elas achavam que teriam que ir lá para ajudar seus parentes, a notícia de que Hiroshima era um mar de fogo estava na boca de todos. As vítimas começaram a chegar uma após a outra e minha avó foi convocada a ajudar como enfermeira.

あの日、8月6日の午前中数時間の経緯を私は繰り返し聞いて育ちました。バスに乗れば、「もうこのあたりだと、大部分の人が死んだ」とか、あの日のことを祖母から聞いたものです。爆心地へ向かうバスの中で聞くと印象が強くて、私は子供の頃ずっと、市内へ向かうバスに乗るたび、生きて帰れない範囲に入ったなと頭の隅で思いましたし、帰りは府中町を通過する頃から微かにホッとする妙な感覚を持っていました。身近な被爆体験、あるいはその周辺の体験はざらにありましたし、学校では昼休みに原爆の体験記が校内放送されていました。昭和40~50年代、広島では原爆が昨日のことのように存在していました。

Eu cresci ouvindo as histórias daquelas horas da manhã do dia 6 de agosto. Sempre que entro no ônibus lembro da minha avó dizendo “olhe, naquela área muita, muita gente morreu”. No ônibus que passa na área onde a bomba caiu, eu costumava ouvir essas histórias que me deixavam uma impressão muito forte. Quando eu era um garoto, toda vez que eu estava naquele ônibus que vai para o centro da cidade, em um canto da minha mente, eu costumada pensar ‘Eu acabei de entrar em uma parte da cidade de onde você pode não voltar vivo’ e, no caminho de volta, depois de passar sobre Fuchu-cho eu lembro de me sentir levemente aliviado.
Eu vi de perto o que significa ser uma vítima da bomba atômica, além de ouvir sobre isso tantas muitas vezes, mesmo na escola, durante a hora do lanche. Histórias de quem viveu a Bomba-A eram transmitidas pela TV nos anos 60 e 70 e, em Hiroshima, a queda da bomba atômica era lembrada como se tivesse acontecido no dia anterior.

Um texto em ocntoday relembra [ja] um dos mais populares trabalhos que aborda o trágico evento: Hadashi no Gen [Gen Pés Descalços] de Keiji Nakazawa (aqui, a versão em quadrinhos [en])

No Dia do Aniversário da Bomba Atômica, o cantor japonês Masaharu Fukuyama (福山 雅治), durante seu programa de rádio, admitiu publicamente pela primeira vez ser o filho de dois sobreviventes da Bomba-A.

Esta atitude reflete bastante a discriminação social que as vítimas da bomba (被爆者 hibakusha) e seus parentes sofreram por anos e que impediu muitos filhos de hibakusha de falarem a verdade sobre o passado de sua família.

Aqui está o testemunho de um blogueiro [ja].

また、被爆2世、被爆3世であることをずっと言えなかった人もいるだろう。ただし私もそうだったのだが、この発言が大きく報じられたことに違和感を感じたのもある。被爆した方への差別があるという認識はこの広島都市圏には今はないし、少なくとも広島市近傍ではそのような選別は無意味であると考える。今、もしあればそれはただひたすらに悲しい。ただし、被爆が元で健康を害された方が結果的に被爆による健康被害を元に社会から疎んじられたと言うことは正直あるのだろう。被爆者への偏見や、同じ日本人の中でも感じ方に温度差があるなら残念である。

É possivel que ainda existam muitas pessoas que nunca admitiram ser descendentes das vítimas da Bomba-A. Aconteceu o mesmo comigo e ouvir que essa experiência foi anunciada publicamente me fez sentir um pouco desconfortável. Hoje, não há discriminação contra os sobreviventes da Bomba-A na região de Hiroshima e ao menos naquela vizinhança este tipo de discriminação não faria sentido. Se algo similar ainda existe, é uma situação muito triste.
Entretanto, é verdade que aquelas pessoas que tiveram sérios problemas de saúde devido à exposição à radiação foram afastadas da sociedade por conta dos danos causados pela bomba.
Preconceito contra os sobreviventes e diferença de tramento em relação a eles, infelizmente, continuam a existir entre a população japonesa.

核爆弾による被曝では、直接的な外傷のみならず、深刻な外傷が見られなくても脱毛、出血、下痢や嘔吐、慢性白血病、甲状腺がんなど発症する割合が高くなるといわれ、これを原爆症という。被爆者の子は「被爆2世」、その孫は「被爆3世」と呼ばれるが、遺伝的健康障害が現れやすいと言われているもののでも科学的な立証はされていないし、追跡調査も実施中じょうたいらしい。そもそも、これ以前に症例があったとは思えず、原爆症によるメカニズムがわからない時代は、相当これらの誤解などは在ったと思う。

Ser exposto à radiação de uma bomba atômica não apenas causa danos externos diretos, mas também provoca sérios danos internos que resultam na perda de cabelo, sangramentos, diarréia e vômitos, leucemia crônica e a possibilidade de desenvolver câncer na tireóide. Em curto prazo, causa doenças relacionadas à radiação.

Os filhos de sobreviventes da Bomba-A são chamados de a ‘segunda geração de hibakusha’ e seus filhos são, por sua vez, a ‘terceira geração de hibakusha’. Embora alguns digam que eles têm maior probabilidade de apresentar problemas de saúde de origem genética, isto não está cientificamente provado e uma pesquisa que monitora a evolução do tema ainda está em andamento.

Uma vez que não há casos similares no passado, a impossibilidade de entender por completo os mecanismos das doenças relacionadas à radiação permite o surgimento de mal-entendidos.

The Maiden of Peace, in Nagasaki. By Flickr user Kamoda.

A Virgem da Paz, em Nagasaki. Foto do usuário Kamoda, no Flickr.

Cientes do que representa uma experiência com a bomba atômica, muitos japoneses apoiam a política anti-nuclear do país. Recentemente, no entanto, notícias de que no passado o Japão secretamente permitiu o trânsito de armas nucleares norte-americanas em seu território provocaram indignação daqueles que ainda valorizam o triplo princípio não-nuclear adotado como resolução nos anos 60.
O blog Canada de Nihongo chama a atenção para as atitudes ambivalentes de alguns políticos em relação ao posicionamento do Japão como um país sem armas nucleares.

日本には非核三原則があり、核兵器を「持たず、作らず、持ち込ませず」と決められている。現在の日本は核兵器を保有していないと信じられているが、法制化されていないため、1年以内に保持国になるのではないかとも言われている。過去、空母ミッドウェーなどの米軍の艦隊によって日本国内の米軍基地の港に持ち込まれたとの疑惑もある。秘密裏に米軍による核の持ち込みを日本政府が許可しているという噂も絶えない。

非核三原則についての考え方も、麻生バカ太郎首相と鳩山代表の間には大きな違いがある。麻生は外務大臣のときにも、日本は核を持つべきだと発言した中川昭一の発言を擁護して、野党から外相としての不信任決議案を提出されたことがある。つまり、非核三原則については否定的な考えを持っているように思える。

No Japão os três princípios não-nucleares são: ‘não possuir armas nucleares, não produzir armas nucleares, não permitir a introdução de armas nucleares no país.’ No presente, acredita-se que o Japão não tem armas nucleares, mas como não há lei específica sobre o assunto alguns dizem que dentro de um ano podemos nos tornar um país com armas nucleares.

Há, de fato, a suspeita de que no passado um porta-aviões da Marinha dos Estados Unidos transportou [armas nucleares] dentro do país, naqueles portos onde estão as bases militares. Há rumores de que o governo japonês teria permitido às forças norte-americanas trazerem essas armas secretamente.
Também de acordo com o princípio anti-nuclear, há uma enorme diferença entre o que acreditam o Primeiro-Ministro Idio-Taro Aso e o líder da oposição Hatoyama. Quando ele era o Ministro das Relações Exteriores, Aso defendeu a posição de Shoichi Nakagawa quando afirmou que o ‘Japão deveria ter armas nucleares’. Este é o motivo do partido de oposição ter apresentado um voto de falta de confiança nele como Ministro das Relações Exteriores. Em outras palavras, ele parece não apreciar o significado do triplo princípio anti-nuclear.

Como escreve [ja] Hiroseto, na Declaração de Paz [ja]deste ano, Mr. Akiba, Prefeito de Hiroshima, declarou seu apoio à Obama, em referência ao discurso feito pelo presidente norte-americano em abril quando ele declarou que os Estados Unidos “dariam passos concretos em direção a um mundo sem armas nucleares.”

Estas são as últimas linhas da Declaração. (O website Chugoku Shimbun tem a versão integral traduzida para o inglês)

We have the power. We have the responsibility. And we are the Obamajority.
Together, we can abolish nuclear weapons. Yes, we can.

Nós temos o poder. Nós temos a responsabilidade. E nós somos a maioria com Obama. Juntos, nós podemos abolir as armas nucleares. Sim, nós podemos.

Com a meta de “atingir um mundo livre de armas nucleares” em 2020 [en], Hiroshima e Nagasaki tornaram-se, em 2008, promotoras da iniciativa conjunta Hiroshima Nagasaki Protocol [en, pdf], complementar ao Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.