Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Guadalupe: “Vergonha” policial?

Em meio à confusão do conflito social durante o último mês em Guadalupe, duas noites de violência aconteceram nos dias 17 e 18 de fevereiro. Apesar dos incêndios criminosos em lojas e numerosas interdições de ruas com barricadas em chamas, o clímax para esses atos violentos tem sido o assassinato não solucionado de um homem. Trikess, que bloga em Chien créole conta sobre a morte de Jacques Bino [fr], um guadalupenho, líder de força sindical, foi morto na noite da última terça.

Inúmeras hipóteses foram feitas na tentativa de explicar – ou até na tentativa de resolver – este caso. O blogueiro guadalupenho Indiscrétions [Fr] publicou uma carta aberta sobre isso:

Le regretté Jacques BINO a été doublement victime. Il a été aussi victime de ces dysfonctionnements. Heureusement que des policiers ont aussi été blessés dans cette affaire. Heureusement qu'ils ne peuvent même pas être soupçonnés… sauf peut-être de non assistance à personne en danger

O pobre Jacques BINO foi duplamente vítima. Ele também foi vítima do colapso das forças policiais. Afortunadamente, alguns policiais também saíram feridos no confronto. Afortunadamente, agora eles não podem ser suspeitos… exceto pela falha em prestar assistência à pessoa em perigo.

Provavelmente esta é uma resposta às declarações oficiais feitas pelo primeiro ministro francês e outros representantes, que declararam em rede nacional que J. Bino foi assassinado por jovens baderneiros que estavam encarregados da barricada. (Não houve ainda uma conclusão oficial da investigação.) Aqui está a opinião de ChienCréole no dia seguinte ao assassinato:

Cela dit s’il est vrai que certains jeunes se sont livrés à des actes de violence aveugle de nature à porter atteinte à la vie d’autrui, et même s’il est fort probable qu’un d’entre eux ait appuyé sur la gachette de l’arme qui a tué Jacques Bino, les conclusions des uns et des autres sont un peu trop rapides et légères en l’absence des conclusions de l’enquête.

Olha, é verdade que alguns jovens cometeram atos gratuitos de violência que poderiam colocar a vida de alguém em perigo, e é bem provável que um deles tenha puxado o gatilho que matou Jacques Bino, mas conclusões rápidas e inconsistentes aqui e acolá apareceram sem qualquer resultado aceitável das investigações.

No contexto da atual agitação civil, as forças policiais parecem ávidas para resolver este assassinato o mais rápido possível. Ainda assim, em vez de amenizar as coisas, a investigação foi o motivo de outro episódio controverso, em primeira mão por Trikess e desde então recontado por toda a blogosfera, Twitter e Facebook. Em sua publicação, intitulada Prisão de um jovem adulto suspeito do assassinato de Jacques Bino [Fr], o blogueiro conta a história e publica fotos do jovem adulto que foi preso pela polícia e de sua avó, que supostamente foi agredida pelos policiais. Ele explica:

Six policiers, l’arme au poing, s’engouffrent les premiers dans le petit appartement. Ils se précipitent sans hésitation dans la chambre tout de suite à gauche et tombent à bras raccourcis sur Patrice, que les détonations et les cris des policiers viennent de réveiller en sursaut.

Primeiro, seis policiais bem armados invadiram o pequeno apartamento. Eles correram sem hesitar na primeira sala à esquerda e acertaram Patrice violentamente, que tinha acabado de acordar com a detonação e com os gritos dos policiais.

No sábado, 21 de fevereiro, o jovem adulto foi liberado [fr] depois de ser inocentado pelo registros de seu computador – e pela semana passada, as blogosferas guadalupenha (BworldConnection) e martinicana (Montray kréyol) [fr] expressaram sua preocupação sobre o que eles consideram como uma prisão injustificada. Usuários de Twitter e Facebook também espalharam esta informação junto com fotos, já estigmatizando toda a situação como um “erro vergonhoso”.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.