Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Damasco: A Destruição da Cidade Antiga

Damasco se orgulha de ser a mais antiga cidade continuamente habitada do mundo. A história de Damasco remonta ao ano 8000 AC. Em cada canto de suas antigas ruelas há o sabor de cada um de seus períodos históricos a serem descobertos. A cidade que tinha resistido a tudo, de terremotos a invasões, por quase 10 milênios, está se esfarelando agora sob a ameaça da… “Modernidade”!

Sasa do Syria News Wire, compilou uma série de posts sobre a situação da Cidade Antiga de Damasco, e sobre os esforços empenhados para a proteção e conservação da cidade.

A primeira parte da série trata do plano, do ano passado, de destruir o antigo bairro de Al-Amara a fim de alargar ruas de fora dos muros da cidade antiga. O Plano causou indignação entre os Sírios e foram organizados protestos por toda a parte até que eles foram discretamente abandonados, por enquanto.

Shopkeepers were furious at the plans, a Facebook and Blogger campaign was launched. That led to a petition. And eventually journalists got wind of the proposals and it made the international news. Then the bombshell – just months before Damascus began its year as Arab Capital of Culture, UNESCO threatened to withdraw Damascus's World Heritage Site status unless more is done to protect the Old City.

Os lojistas ficaram furiosos com os planos, e lançaram uma campanha através dos blogs e do Facebook (site de relacionamentos semelhante ao Orkut). Isto levou a um abaixo assinado, consequentemente chamou a atenção de jornalistas e acabou chegando aos noticiários internacionais. Então veio a bomba: apenas alguns meses antes de Damasco iniciar seu ano como Capital Árabe da Cultura, a UNESCO ameaçou retirar-lhe o status de Patrimônio Cultural da Humanidade, a menos que se fizesse mais para proteger a Cidade Antiga.

al-Amara, Damascus
Bab al-Faradis(O Portão do Paraíso) , al-Amara, Damasco

A segunda parte é dedicada aos trabalhos de conservação na Rua Medhat Pasha (antes chamada de Via Recta), a mais longa e uma das mais antigas ruas em Damasco. Sasa reconhece a importância deste projeto uma vez que a rua tem estado obstruída por um longo, mas lamenta o planejamento mal feito e a remoção indiscriminada de partes culturalmente importantes do antigo mercado, como o velho teto do período Otomano que tem um valor especial . Ele explica:

The tin roofs over Medhat Pasha and Souq Al-Hamidiyeh date from the Ottoman refurbishment of the main Souqs. During the insurgency against the French occupation, they were punctured by gunfire. And they've remained that way for almost one hundred years. The shafts of sunlight which pierce into the dark souqs are blindingly beautiful, and a daily reminder of Syria's struggle for independence.
But the centuries-old black Medhat Pasha roof, which was decorated by history, has been replaced by a new white one.

Os tetos de metal sobre Medhat Pasha e Souq Al-Hamidiyeh datam do período Otomana quando foram reformados os principais Souqs (feiras Árabes) . Durante a revolta contra a ocupaçao francesa eles foram perfurados por tiros de armas de fogo. E eles permanecem assim há quase 100 anos. Os raios de sol que penetram nos mercados escuros são de uma beleza ofuscante, e são também lembranças diárias da luta Síria por independência.
No entanto, o teto negro centenário de Medhat Pasha, decorado pela história, foi substituído por um novo e branco.

Medhat Pasha Str., Damascus
Medhat Pasha Street (antiga Via Recta), with its ancient tin roof.

A terceira parte, nos leva a um passeio livre pelo quarteirão antigo de Saroujah, um bairro que já testemunhou algumas destruições no passado para abrir espaço aos edifícios de apartamentos destituídos de personalidade. Os planos para derrubar o resto do bairro foram suspensos e a decisão de ir adiante com eles ou não, será tomada por volta do fim do ano. Sasa diz:

Recently, the organisation which looks after the Old City – and works well with the European Union to do it – has taken over responsibility for Saroujah. So is a change in Saroujah's fortunes in store?
In the past few months, they have re-paved part of the area (with far less inconvenience than in Medhat Pasha).
So does this mean destruction is no longer on the cards?
Documents released by the Old City modernisation authorities show that they are going to make a decision on the future of Saroujah by the end of this year.

Recentemente, a organização que cuida da Cidade Antiga – e trabalha bem com a União Européia para isso – tomou para si a responsabilidade por Saroujah. Seria essa uma mudança no destino de Saroujah?
Nos últimos meses, eles re-pavimentaram parte da área (com muito menos problemas que em Medhat Pasha).
Então, isso significa que a destruição não está mais em jogo?
Documentos liberados pelas autoridades da modernização da Cidade Antiga mostram que eles vão tomar uma decisão sobre o futuro de Saroujah, no final deste ano.

Saroujah, Damascus
Saroujah, Damasco

À medida que a nova cultura corporativa fecha o cerco à cidade velha, parece que o único jeito de salvá-la é com os esforços da sociedade civil, e eles têm sido bem sucedidos na reversão de planos desastrosos em al-Amara. Talvez ainda haja luz no fim do tunel.


Photos courtesy of Sasa.

1 comentário

  • OLÁ, ESTOU PROCURANDO QUEM SABE A RESPEITO DO IMPERIO DO REI JOÃO E SEU FILHO PRÍNCIPE RAFAEL,NA CIDADE PERDIDA ONDE PESSOAS DA PRÉ HISTPORIA TAMBÉM MORAVAM. HAVIA UM MERCADO. UMA SENHORA QUE VENDIA BOLOS COM SUA FILHA. E O REI MORAVA POR PRECAUÇÃO COM UMA FAMÍLIA DONA REBECA E SR EDUARDO.
    SE VOCÊS SOUBEREM ALGUMA COISA MANDE PARA MIM POR FAVOR OBRIGADO

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.