Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Chile: BiblioRedes, de Visviri a Puerto Williams

Nota do Editor: Este é o primeiro de uma série de artigos sobre projetos de mídia cidadã que tive a oportunidade de visitar durante uma viagem de cinco semanas por 5 países da América do Sul

Foto da campanha BiblioRedes em um edifício público em Valparaíso, Chile. Por Eduardo Ávila.

Olhando um mapa da América do Sul, é fácil perceber que o Chile se estende por quilômetros e quilômetros, aconchegado entre o Ocano Pacífico e a Cordilheira dos Andes. O tempo que se leva para viajar pelas rodovias Pan-Americana e Austral é medido em dias, não em horas. Alguém pode achar que os chilenos se sentem facilmente desconectados uns dos outros por causa da distância física que os separa. Um programa chamado BiblioRedes [es] espera encurtar as distâncias e aproximar as pessoas através do uso da Internet, oferecida gratuitamente em bibliotecas públicas locais.

Uma doação inicial da Fundação Bill e Melinda Gates, em 2002, impulsionou o programa, que recebe apoio do governo chileno através da Diretoria de Bibliotecas, Arquivos e Museus (Dibam). O programa proporciona acesso gratuito a computadores e Internet banda-larga em cada uma das 387 bibliotecas públicas desde Visviri [es], que fica na fronteira com a Bolívia, até a cidade mais ao sul de Puerto Williams, perto da Antártica. Em algumas das áreas mais remotas do país, que possuem uma infra-estrutura menos desenvolvida, como a Ilha Robinson Crusoe, as conexões são estabelecidas por satélite. Um censo feito recentemente descobriu que a maioria dos computadores domésticos se concentra na região central do país ou na capital, Santiago do Chile. Esse programa permite que indivíduos que normalmente não teriam acesso a tais tecnologias possam aprender como usá-las. No total, há aproximadamente 2.300 computadores instalados nas bibliotecas.

À frente de cada site do BiblioRedes está um encargado (ou coordenador), que é um indivíduo pertencente à comunidade. A vantagem é que cada um deles já conquistou a confiança da comunidade e conhece o contexto cultural local. Os coordenadores participam eles mesmos de treinamentos e ensinam, por sua vez, os residentes locais.

Além do acesso gratuito à Internet, o BiblioRedes também propicia a inclusão digital, através de uma série de workshops, inclusive sobre o uso do Microsoft Office, da enciclopédia em CD-Rom Encarta e sobre como criar apresentações. Até esta data, mais de 200 mil chilenos participaram dos workshops. Um dos pontos altos dos treinamentos são as instruções para criação de um website próprio. Muitos utilizam o espaço para falar de suas comunidades, um dos principais interesses que possuem, ou sobre a cultura local. Ao todo, cerca de 3 mil websites estão hospedados no servidor do BiblioRedes.

Um blog chamado Contenidos Locales [es] (Conteúdos Locais) traz o melhor do conteúdo produzido, centralizando-o no site, freqüentemente atualizado. Categorias como História [es], Lendas [es], Música [es], Povo Aborígene [es], Turismo [es] e Religião [es] facilitam a busca por conteúdo específico.

Alguns dos sites tratam dos hobbies dos residentes da comunidade e foram criados pelos próprios participantes das atividades de lazer. Por exemplo, Ángel Calfuan criou o website La Esperanza [es], sobre um grupo de idosos da comunidade envolvidos com um clube de dança folclórica. A biblioteca da comunidade de Trovolhoe fica na municipalidade de Carahue e e tem o próprio website [es].

Los adultos de esta agrupación están trabajando en un proyecto llamado DANZANDO LOS AÑOS DORADOS POR UNA VIDA SALUDABLE. Con el cual se han visto beneficiados 18 adultos de la edad de 60 a 97años. El objetivo general de este proyecto es crear espacios de sana convivencia entre los adultos mayores, para favorecer y potenciar la actividad física y la salud mental a través de la práctica de la danza de raíz folclórica. Y en forma especifica tener en Trovolhue un grupo de danza folclórica que represente a los adultos mayores en distintos eventos artísticos y culturales dentro de la comunidad como fuera de ella.

Os adultos deste grupo estão trabalhando em um projeto chamado DANÇANDO PELOS ANOS DOURADOS POR UMA VIDA SAUDÁVEL. O programa tem beneficiado 18 idosos, na faixa-etária dos 60 aos 97. O objetivo geral desse projeto é criar oportunidades de interação saudável entre os idosos, para apoiar e fortalecer as atividades físicas e a saúde mental através da prática da dança folclórica. O objetivo também é possibilitar que um grupo de dançarinos folclóricos de Trovolhue represente os idosos em diversos eventos artísticos e culturais dentro e fora da comunidade.

Outros sites são usados como ferramentas de marketing e publicidade para os negócios locais. Gastronomía Magallánica [es] é um site que destaca vários restaurantes na cidade de Punta Arenas. Outros têm uma orientação mais familiar, como o site criado por Jhoscenia Arancibia para promover a companhia [es] mantida por ela e seu marido.

Colmenares Arancibia es una microempresa familiar dedicada a la extracción de productos apicolas, como lo es la miel, y entregar servicios de Polinización. El trabajo con las abejas no es difícil pero es necesario ser metódico. Dedicado y muy responsable, y por supuesto no ser alérgico a la picada de la abeja.

Colmenares Arancibia é uma micro-empresa familiar que se dedica à extração de produtos da apicultura, como o mel, e efetua serviços de polinização. O trabalho com abelhas não é muito difícil, mas é preciso ser metódico, dedicado, muito responsável e, é claro, não-alérgico a picadas de abelha.

Além disso, os sites são uma fonte de orgulho cultural, principalmente entre grupos indígenas. Há muitos povos indígenas no Chile, e os primeiros habitantes da região de Tierra del Fuego foram os Kawéshkar. Carlos Pedraza orgulhosamente criou um site [es] para tratar de seu estilo de vida [es] e seus costumes [es].

Su idioma es el kawésqar, nombre con el que ellos se autodenominan. En su idioma, esta palabra significa “persona” o “ser humano”. El nombre alacalufe, originalmente tenía una intención despectiva y ellos no lo usan.

Seu idioma é o kawésqar, como também se denominam. Na língua deles, essa palavra significa “pessoa” ou “ser humano.” O termo alacalufe tem um sentido originalmente depreciativo e eles não o usam.

Luis Carvajal também mantém um site sobre uma comunidade Aymara no Chile [es], grupo indígena que geralmente se imagina estar localizado apenas na vizinhança da Bolívia e do Peru.

De acordo com Enzo Abbagliati, coordenador nacional do BiblioRedes, há interesse em adicionar ao programa mais treinamentos em mídia participatória, como a criação de uma plataforma para blogs que permitirá aos participantes encontrar pessoas com idéias semelhantes às suas no Chile e no mundo.

Matéria de Eduardo Avila.

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.