Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Egito: YouTube apaga conta de ativista

Uma tempestade está se formando na blogosfera egípcia depois que o site de vídeos on-line YouTube removeu do site vários vídeos mostrando um policial torturando vítimas.

Veja o vídeo Tortura no Egito publicado por fikrat no texto original.

“Esse é o maior golpe já visto ao movimento anti-tortura do Egito”, escreve Wael Abbas, um blogueiro ganhador de prêmios, cujos vídeos mostrando as cenas de tortura policial foram removidos do YouTube.

Abbas (ar) dá mais detalhes:

أوقف موقع يوتيوب حسابي الخاص والذي يحتوى على جميع لقطات الفيديو التي حملتها من تغطيات للمظاهرات وأحداث أخرى ومنها خصوصا فيديوهات التعذيب في أقسام الشرطة
وقد ادعى موقع يوتيوب بان وصلته كثير من الشكاوى بشان هذا المحتوى
وانا الآن في حالة صدمة مما حدث وأحاول معرفة أسبابه
وقد راسلت الموقع في إنتظار التوضيح
لكن كل الإحتمالات قائمة
شكاوى كيدية من النظام المصري خصوصا بعد صفعة حبس إسلام نبيه
تعاون بين يوتيوب والنظام المصري في ظل صفقة ما خصوصا وأن يوتيوب مملوكة لشركة جوجل
فهل هو خطأ يمكن إصلاحه
أم أن يوتيوب أصبحت تدعم التعذيب وتتستر على فاعليه وتتعاون مع الحكومات الديكتاتورية
وفي النهاية أقول أن هذه كارثة كبري
ليس لي فقط ولكن لكم جميعا مدونين وقراء ونشطاء
وأطلب منكم جميعا الوقوف معي

YouTube suspendeu minha conta privada, que contém todos as cenas em vídeo que eu coloquei no site, incluindo a cobertura das manifestações e outros eventos, em particular os vídeos mostrando tortura dentro de delegacias. YouTube diz que recebeu reclamações sobre o conteúdo deles e eu agora estou em estado de choque com o que aconteceu e tentando entender as razões. Escrevi para o site e estou esperando maiores esclarecimentos por parte deles, mas a situação está aberta a todas as possibilidades, inclusive reclamações por parte do governo egípcio, especialmente depois do tapa na cara que eles receberam com a prisão de Islam Nabih ou a cooperação do YouTube com o regime egípcio como parte de um acordo, especialmente agora que o YouTube pertence ao Google. É um erro que pode ser consertado ou será que o YouTube agora apóia tortura e e aqueles que a cometem e está cooperando com ditaduras? No final das contas, tudo o que eu tenho a dizer é que essa é uma catástrofe de marca maior não apenas para mim, mas para todos os blogueiros, leitores e ativistas. Eu peço que você fique do meu lado.

Blogueiro Hossam El Hamalawy opina, descrevendo a remoção dos vídeos “inacreditável”. Ele acrescenta:

YouTube has just disabled probably the most important channel for the Egyptian blogosphere. Wael’s videos have been central in the fight against police brutality, and YouTube should be proud the Egyptian anti-torture activists have been using its channels in the current War on Torture… but instead, the YouTube administrators played a cat-and-mouse game with us.

YouTube acabou de desabilitar aquele que é provavelmente o mais importante canal para a blogosfera egípcia. Os vídeos de Wael têm tido um papel central na luta contra a brutalidade policial, e o YouTube deveria se orgulhar de ter ativistas egípcios usando seus canais na atual guerra contra a tortura, mas em vez disso eles estão brincando de gato e rato conosco.

El Hamalawy também sugere a mudança para outros sites de hospedagem de vídeos para que a batalha contra a tortura tenha continuidade. Ele escreve:

It’s necessary at the moment to start diversifying the tools we use in uploading videos to the web. The response to (what) YouTube is throwing at us will be simply a slow migration from using its service…

É necessário, no momento, começar a diversificar as ferramentas que usamos para disponibilizar vídeos na internet. A resposta ao que o YouTube está fazendo será simplesmente uma lenta migração do uso dos serviços deles.

Comentando essa postagem, Mostafa Hussein diz que o YouTube está dentro de seu direito de excluir os vídeos. Ele explica:

Well, the message from youtube is that waelabbas violated their terms of use.
This is actually true if you take a look at it. It states that content should follow the community guidelines[1]. In these community guidelines, there is this statement saying “Graphic or gratuitous violence is not allowed. If your video shows someone getting hurt, attacked, or humiliated, don’t post it.”
This actually means that any video aimed at displaying state violence or torture against civilians will eventually be removed.
Simply, this means that YouTube is NOT the proper tool for this job. And Waelabbas and others posting similar content, should look for a websites, that don’t have similar terms. Or a website that is activist friendly, something similar to Indymedia or others.

Bem, a mensagem do youtube é que waelabbas violou os termos de uso do site.
O que de fato é verdade se você para para observar. Eles dizem que todo conteúdo deve seguir as diretrizes da comunidade[1]. Nessas diretrizes, tem uma frase dizendo “Violência explícita ou gratuita não é permitida. Se o vídeo mostrar alguém sendo ferido, atacado ou humilhado, não poste.”
O que quer dizer que qualquer vídeo cujo objetivo seja mostrar violência ou tortura contra cidadãos por parte do estado serão um dia removidos.
Simplesmente, isso significa que o YouTube NÃO é a ferramenta apropriada para esse trabalho. E Waelabbas e outros usuários que queiram postar conteúdos similares deveriam procurar sites que não tenham termos parecidos, ou que sejam simpatizantes da causa ativista, como o Indymedia ou outros.

Outros não se conformam, e The Big Pharaoh está conclamando que as pessoas façam uma campanha contra o fechamento da conta de Abbas. Ele pede aos seus leitores:

I’m breaking my blogging siesta to report this and ask you to please e-mail YouTube. YouTube has suspended Wael Abbas’ account for reasons that no one can understand. Wael Abbas is an anti-torture activist who posts videos of Egypt’s police brutality. These videos are the only mean to expose what happens in our police stations, without them the cry of people who were subjected to torture will go unheard. I really don’t understand why YouTube took this decision. I am counting on you.

Estou quebrando a minha siesta do blogue para relatar isso e pedir que vocês encarecidamente escrevam para o YouTube. YouTube suspendeu a conta de Wael Abbas por razões que ninguém consegue entender. Wael Abbas é um ativista da causa anti-tortura que posta vídeos da brutalidade policial no Egito. Esses vídeos são a única forma de expor o que acontece dentro de nossas delegacias, sem eles o grito daqueles que foram submetidos à tortura será inaudível. Eu realmente não entendo porque o YouTube tomou essa decisão. Estou contando com vocês.

O Comitê de Proteção aos Blogueiros também tem sua opinião sobre o assunto aqui.

(texto original de Amira Al Hussaini)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

4 comentários

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.