Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Israel: Orçamento de Defesa Vs. Justiça Social

Este post faz parte de nossa cobertura Relações Internacionais e Segurança. [en]

Um dos principais efeitos das manifestações por justiça social em Israel [en] no ano passado foi a renovação do debate sobre as prioridades orçamentárias do Estado. O movimento por justiça social (também conhecido como #j14) reivindicava uma distribuição mais equitativa das riquezas em Israel, incluindo a destinação duma fatia maior do orçamento para serviços de bem-estar para a população, tais como subsídios para moradia, educação gratuita e melhores serviços médicos, atualmente inferiores a algumas das prioridades orçamentárias [en] – nomeadamente o orçamento de defesa, que só faz aumentar.

O blogueiro Tomer Israeli [he] explicou a lógica compartilhada entre muitos dos manifestantes do #j14:

רק אם נוכל להקטין באמת נתח זה נוכל להגדיל במקומות אחרים. אחרת נמשיך להסתובב סביב הזנב של עצמנו ונמשיך למשוך מצד לצד את השמיכה הקצרה. האם יש לנו דעה בנוגע לתקציב? כי אם אין לנו דעה הרי שאין לנו כיוון משמעותי ודרך לשינוי סדרי העדיפויות במדינה.
Só se realmente diminuirmos esta parte do orçamento [orçamento de defesa] é que seremos capazes de aumentá-lo em outras áreas. Caso contrário, continuaremos a perseguir o nosso próprio rabo e a puxar um cobertor curto de um lado para o outro. Nós temos uma opinião sobre o orçamento? Porque se não a tivermos significa que não temos uma direção clara nem um caminho para mudar as prioridades do país.

O blogueiro Ziv Turner [he] criticou o atual governo israelense por cobrar altos impostos da população que luta para ganhar a vida, enquanto aumenta o déficit sem proporciar ao povo serviços adequados. Ele escreve:

תקציב הביטחון השוטף זה הבלוף בהא הידיעה של האמא של הבלופים בישראל. צבא עשיר ומנופח, עם מכפלות של זרועות ומטות מלחמה, ודל בחשיבה לטווח ארוך. לא נשארו לנו אויבים מסביבנו שיכולים להביא אותנו לקיצינו, שמאיימים על קיומנו. נשארנו עם נסראללה ואיראן. בשביל זה לא צריך כזה צבא מנופח.
O orçamento de defesa é a maior mentira de todas em Israel. Um exército rico e inchado, muitas armas e comandantes, mas sem uma perspectiva de longo prazo. Não temos inimigos próximos que possam nos aniquilar, que ameacem a nossa existência. Estamos entre Nasrallah e o Irã. Mas para isso não precisamos dum exército tão inchado.
The Defense Budget by Amitai Sandy

Caricatura do Orçamento de Defesa, de Amitai Sandy. Usada com autorização. Texto da direita para a esquerda: A-Você, B-Eu, C-A próxima guerra.

Num artigo publicado no blog +972, Timna Axel [en] discutiu a influência do orçamento de defesa e a ocupação dos Territórios Palestinos na desigualdade em Israel:

And then there is the slashing of social expenditures in the budget, which during the second Intifadah totaled NIS 65 billion, while the defense budget increased by NIS 15 billion. Cuts to child allowances and unemployment pay have caused a consistent rise in the poverty rate, and government income transfers designed to combat it make an even smaller dent in poverty now than they did in the 1980s. The report quotes economist Momi Dahan, who writes that “an in-depth analysis of the factors causing Israel to have more poor than any other developed country cannot overlook the fact that Israel spends seven percent of its GDP on defense, compared with 1.5 percent on average in the other developed countries.”

E então há o corte de gastos sociais no orçamento, que durante a segunda Intifada totalizou 65 bilhões de shekels, enquanto que o orçamento de defesa aumentou para 15 bilhões de shekels. Cortes nos abonos pagos às famílias e aos desempregados causaram forte aumento na taxa de pobreza e as transferências de renda do governo destinadas a combatê-la tiveram um efeito ainda menor do que aquela conseguida na década de 1980. O artigo cita o economista Momi Dahan, que escreve que “uma análise profunda dos fatores de base para que Israel tenha mais pobres do que qualquer outro país desenvolvido não pode desprezar o fato de que Israel gasta 7% de seu PIB com defesa, enquanto que a média dos outros países desenvolvidos é de 1,5%.”

O blogueiro Yuval Ron [he], por outro lado, enxerga os assentamentos nos Territórios Palestinos ocupados como uma forma de diminuir o orçamento de defesa, e escreve:

חלקו הגדול של תקציב המדינה הוא תקציב הביטחון. תקציב ביטחון כה גדול מעכב ומונע פעילויות חשובות בתחומים חיוניים אחרים. הגנת גבולות המדינה על ידי הצבא בלבד ללא התיישבות היתה מטילה על המערכת הצבאית עול כבד ביותר הן מבחינת עומס כוח האדם והן מבחינה כלכלית. קיומם של ישובים בקו הגבול מקל על הצבא את הפעילות ההגנתית וחוסך למדינה כוח אדם וסכומי כסף ניכרים.
A maior parte do orçamento do Estado vai para a defesa. O orçamento de defesa é tão grande que atrasa ou impede importantes ações do governo em outras questões. A defesa das fronteiras somente pelo exército, sem os assentamentos, seria um fardo muito pesado para ele, tanto em termos de mão de obra como em dinheiro. A existência de assentamentos ao longo da fronteira facilita o desempenho do exército em suas ações defensivas e economiza mão de obra do Estado e significante soma de dinheiro.
ISN logoEste post e suas traduções para espanhol, árabe e francês foram encomendados pela International Security Network (ISN), como parte duma parceria para buscar vozes dos cidadãos sobre as relações internacionais e questões de segurança em todo o mundo. Este post foi primeiramente publicado no blog ISN; ver histórias semelhantes aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.