Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Argélia: O Governo Provisório de Cabília – Uma Ameaça à Unidade Nacional?

Em 01 de junho, o anúncio da criação de um governo provisório na Cabília (GPK) [fr] pelo cantor cabile Ferhat Mehenni em Paris, causou uma grande controvérsia na Argélia. Enquanto alguns consideram o GPK como apenas uma parte da luta pela autonomia da Cabília, que começou nove anos atrás com o nome de “Movimento para a Autonomia da Cabília” (MAK), outros acreditam que o GPK é uma ameaça à unidade territorial da Argélia. Os blogueiros se perguntam sobre quais são os objetivos e as implicações deste novo desenvolvimento para o país.

O blogueiro Nado escreve [fr]:

Ferhat Mehenni veut seulement provoquer un déclic sachant très bien que l’unité du pays est une constante et que le peuple algérien n’en est pas prêt à sacrifier

Ferhat Mehenni quer apenas provocar uma faísca sabendo muito bem que a unidade nacional não é negociável e que o povo argelino não estão disposto a comprometer isto.

Concordando com este sentimento, Mohand argumenta na seção de comentários de um post em um blog sobre este assunto [fr]:

Les Kabyles, s’ils voulaient avoir leur autonomie, l’auraient obtenue du temps de la colonisation ! C’est une dérision de vouloir aujourd’hui, après qu’ils aient payé un prix fort pour leur liberté et combattu pour revendiquer pour toute l’Aglérie (…) et de les faire cantonner dans les montagnes…

Se o cabiles queriam ter a sua autonomia, eles poderiam ter obtido durante o período colonial! É um escárnio afirmar que você quer [a autonomia] hoje, depois de terem pago um preço alto para ganhar sua liberdade [depois de terem] lutado para reivindicar toda a Argélia (…) agora ser restringir à região montanhosa …

No mesmo fórum, Sifax expressou um ponto de vista diferente [fr]:

Les jeunes kabyles sont très ravis d’avoir enfin une existence politique et sociale à part entière dans l’ordre mondial, portée courageusement et fièrement par le MAK et le GPK

Os jovens cabiles estão muito satisfeitos por finalmente terem uma presença política e  social a nível mundial que é levada orgulhosa e bravamente pelo MAK e GPK

Enquanto isso, Makhlouf. B questiona a composição do GPK.

Nous constatons que tous les membres du GPK sont issus des connaissances personnelles de Ferhat Mehenni. Soit d’anciens camarades de parti, des transfuges, soit des militants du MAK (…) Un autre fait criard: tous les membres de l’équipe «gouvernementale» sont issus de l’émigration, aucune place n’ayant été laissée aux militants de ce mouvement activant en Kabylie, en Algérie.

Nós podmeos ver que todos os membros do GPK são pessoas conhecidas de Ferhat Mehenni, sejam antigos camaradas de partido, ou ex-membros ou ativistas do MAK (…) Outro fato escandaloso: Todos os membros deste “governo” vem da diáspora, não há espaço para os ativistas baseados em Cabília, Argélia.

Um ativista do MAK blogando no Kabylie Autonomie, denúncia o tratamento dado ao anúncia da griação do GPK pela imprensa argelina [fr]:

El Watan, le journal des services (tout comme l'ensemble de la presse privée dite “indépendante”) a réservé un traitement des plus misérables à la proclamation du GPK. (…) Ce journal est allé même jusqu'à reprocher la proclamation du GPK à partir de Paris alors que les responsables du même journal s'y ont établis avec leur progénitures. En fait, El Watan n'a même pas rappelé qu'un mandat d'amener est lancé contre le vieil opposant Ferhat Mehenni

O El Watan, jornal de serviços (como todos da mídia “independente”) deu um tratamento terrível à proclamação do GPK (…) O jornal foi longe demais ao ponto de denegrir o fato de que a proclamação do GPK foi feito em Paris, enquanto os diretores do jornal também estão eles mesmos estabelecidos lá com seus filhos. De fato, o El Watan sequer mencionou que um mandato de prisão foi expedido contra o velho Ferhat Mehenni.

No entanto, outra hipótese é a de que esta manobra possa ser parte de um jogo de espelhos. Suspeitando da mão do governo argelino por trás da criação do GPK, um jornalista blogou o seguinte comentário [fr]:

Il semble que les laboratoires de la police politique préparent un nouveau scénario pour notre chère Kabylie après l’avoir clochardisée et fortement militarisée avec l’aide très précieuse de certains aventuriers politiques de la région

Parece que os laboratórios da polícia política estão preparando um novo cenário para a nossa querida Cabília após nos reduzir à mendigos e a militarizar fortemente com a preciosa ajuda de alguns políticos aventureiros da região

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.