Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Irã: Uma misteriosa explosão em uma mesquita

A explosão de uma mesquita na cidade de Shiraz, no sul do Irã, matou ao menos 12 pessoas e feriu aproximadamente 200 no dia 12 de abril. Fars, um site de notícias semi-oficial do governo, relatou que a explosão foi causada por uma bomba. Depois, vários oficiais iranianos insistiram [En] que a explosão foi resultado de um acidente. O Imam da mesquita acredita que tratou-se de um ataque a bomba realizado por militantes não identificados, e chamou as vítimas de “mártires”.

Blogueiros iranianos cobriram a história e partilharam suas idéias sobre o sangrento evento e os rumores que o cercam.

Necas disse[Fa]:

“For me as an Iranian, the censorship of this news in Iranian media is very significant. Until 2am in the morning there was no news about this explosion on Iranian TV. The same station would cover hostage-taking in schools or supermarkets in the USA and start to speculate. Then would say that the USA imposes censorship on its media. In Iran, 12 hours after the explosion, the news is broadcast, and they say the blast was not caused by bomb. They don't call the victims martyrs, but simply dead people.”

“Para mim enquanto iraniano, a censura destas notícias na mídia iraniana é muito significativa. Até as 2 da manhã não havia notícia alguma sobre esta explosão na TV iraniana. A mesma estação que cobre cada tomada de reféns em escolas e supermercados norte-americanos e tece várias especulações. Depois diz que os EUA impõe censura à sua mídia. No Irã, 12 horas depois da explosão, as notícias são divulgadas, e eles dizem que a explosão não foi causada por uma bomba. Eles não chamam as vítimas de mártires, mas simplesmente de pessoas mortas.”

O vídeo desta explosão foi visitado mais de 60.000 vezes no YouTube¹. Alguns momentos depois da explosão no vídeo, uma voz grita para que as pessoas evacuem a área, e também diz, “nos tornarmos mártires é o nosso desejo…”:

[O referido vídeo havia sido retirado do YouTube no momento da tradução]

Parcham critica [Fa] a TV iraniana por não ter mencionado notícias a respeito da explosão. O blogueiro diz que pode-se pensar que os árabes devem ser os verdadeiros donos do Irã, uma vez que notícias sobre o Iraque e a Palestina recebem cobertura imediata, mas não as notícias sobre o Irã.

O centro religioso focalizava seus ensinamentos na Fé Bahá'í e no Wahhabismo.

Bacheyeh khat escreve [Fa] sobre o centro religioso Rahpouyan Vesal [Fa]. O blogueiro diz que um jovem clérigo que foi ferido na guerra Irã-Iraque, chamado Mohmmad Anjavinejad, foi seu fundador. Embora a maioria dos frequentadores fosse aparentemente de jovens entre 15 e 20 anos, alguns consideram que seus ensinamentos estavam ultrapassados, e brincavam que seus seguidores dormiam em tumbas vazias em cemitérios. O blogueiro completa que membros do grupo religioso concorreram nas eleições municipais, mas conseguiram apenas uma cadeira das 11 do Conselho Municipal.

¹[nota do tradutor: o referido vídeo foi retirado do YouTube pouco depois da publicação da matéria original, e não há até o momento maiores informações sobre sua retirada.]

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.