Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Madagáscar: Prefeito se auto-proclama presidente

A briga entre o presidente de Madagáscar, Marc Ravalomanan, e o prefeito da capital, Andry Rajoelina, que impulsionou os cidadãos malgaxes a tomarem as ruas em violentos motins e saques na semana passada, se transformou em uma disputa pelo comando da própria presidência.

Em dezembro, Rajoelina, um DJ e magnata da propaganda que acabou prefeito de Antananarivo, mobilizou seus militantes quando o governo fechou a sua estação de televisão, o canal VIVA [en]. Agora, ao que parece, as dezenas de milhares de pessoas que o apóiam exigem não apenas a restauração da democracia e da liberdade de expressão, mas também o controle do governo.

Duas reuniões de negociações entre Ravalomanana e Rajoelina foram canceladas.

O prefeito conseguiu explorar a desaprovação e insatisfação cada vez maiores com o atual regime para conseguir apoio. No sábado 1º de fevereiro, no Place du Treize Mai, na frente de milhares de partidários, Andry Rajoelina se proclamou o líder de Madagáscar [en].

“Since the president and the government have not taken their responsibilities… I will run all national affairs as of today,” he said.

“Uma vez que o presidente e o governo não assumiram suas responsabilidades… a partir de hoje, eu cuidarei de todos os assuntos nacionais”, disse ele.

Ele também anunciou planos para conseguir o impeachment de Ravalomanana, o atual presidente eleito, que, de acordo com ele, teria desrespeitado a constituição malgaxe [en].

Como relata Avylavitra [mg] (que também publicou fotos em sua conta no flickr):

“Notanisaina teny an-kianja daholo androany ireo teboka efa ho folo lazain’ireo mpomba an’i Andry fa fanitsakitsahana lalampanorenana nataon’Atoa Ravalomanana Marc, ka tafiditra ho isan’ny tena antony azo analana azy amin’ny toerany, ka isan’izany ny resaha ‘haute trahison’ momba ny fanafarana mpikarama an’ady hamono ny taranaka Malagasy, ny fanaovana fanavakavahana ara-pinoana sns….

Teny ampamaranana ny fotoana, rehefa ela no niandrasan’ny vahoaka azy, dia nivoaka ihany ilay fanambarana lehibe nataon’i Andry Rajoelina, ka nanabaràny fa izy ny mitondra vonjimaika ny tetezamita, ary manome baiko sy mitantana ny raharaha rehetra. Nisy ny fanaingany ny tafika sy ireo ministera isan-tokony mba hanaraka ny baikony.”

“Os apoiadores de Andry contaram as vezes em que Marc Ravalomanana desrespeitou a constituição, dentre as quais estão fatores que validam o seu impeachment, sendo um deles por “traição nacional” por trazer soldados mercenários para matar malgaxes (nota do autor: essa é uma alegação infundada, negada oficialmente por um dos comandantes do exército. A presença de legiões forasteiras foi um dos rumores recorrentes durante os conflitos), noutra ocasião alega-se que houve discriminação religiosa por parte de Ravalomanana, etc…

Ao final do comício, o momento que os partidários dele há muito aguardavam: Andry Rajoelina por fim mostrou sua carta na manga dizendo que lideraria o governo de transição, e que seria ele o encarregado de dar ordens e tocar todos os assuntos nacionais. Ele encorajou os ministros e o exército a seguirem seus comandos.”

News2Dago [mg] se pergunta se isso é democracia:

“Toy izao ilay atao oe vahoaka  maro an'isa izany oe 80.000/20.000.000 na koa oe 0,004 % no hadidy sy hanapaka ny tany sy ny fanjakana. Dia atao ahoana izany ireo vahoaka tsy milahatra tsy tia korontana kanefa tsy sahy maneho hevitra fa ampitahorina bemiranga sy olona milanja basy handromba sy hanampim-bava. Demokrasia ny bandy bokona sy beloha no tiana hanjaka eto @ tanana.”

“Aqui estão os números: 80.000 dentre 20 milhões de habitantes, o que significa que 0,004% da população tomará o comando da nação e do governo. O que dizer da população que não toma parte das manifestações, que não quer caos, mas que não pode expressar suas opiniões por causa da intimidação por parte de usurpadores armados. Uma democracia de músculos e teimosia, é isso o que querem impor.”

Madagascan se pergunta o que virá em seguida:

“…une question se pose tout de même: La solidité de ses soutiens au sein de l'armée et des forces de l'ordre? Jusqu'à présent, aucun évènement n'a pu démontrer la supériorité d'un camp ou d'un autre au niveau des forces armées. Cette déclaration sera donc le grand test pour Andry Rajoelina.
En tout cas, cela ôte tout doute sur le fait que le maire d'Antananarivo possède des soutiens dans la classe politique d'opposition, qui ont préparé cette confrontation. Tout seul, il n'y serait pas arrivé.
Le week-end risque d'être encore agité. La logique voudrait que Marc Ravalomanana lance un mandat d'arrêt contre Andry Rajoelina, et que ce dernier soit fait prisonnier dès aujourd'hui. Cela sera le premier grand test: Les forces de l'ordre vont-elles obéir?”

“… uma pergunta que não quer calar: o quão sólido é o apoio ao prefeito dentro do exército e da polícia? Até agora, nenhum evento demonstrou qual dos lados tem o comando superior do exército. Esse pronunciamento será um grande teste para Andry Rajoelina. Isso dissolverá qualquer dúvida de que o prefeito de Antananarivo conta com um sólido apoio por parte dos partidos de oposição, que vêm se preparando para essa batalha. Rajoelina não teria alcançado isso sozinho. O final de semana será mais uma vez agitado. Marc Ravalomanana vai logicamente querer emitir um mandato de prisão contra Andry Rajoelina e prendê-lo hoje. O primeiro grande teste: será que o exército o obedecerá?”

Enquanto isso, Ravalomanana foi visto em várias cidades costeiras, sendo a última Nosy Be, onde, de acordo com a assessoria de imprensa da presidência [fr], ele fez o seguinte discurso:

“Je suis là pour discréditer les rumeurs, car à Antananarivo il est dit que tout Madagascar est en feu. Je constate que la vie de tous les jours continue. Il faut se concentrer sur le travail pour faire progresser les pays. Je suis aussi venu pour constater les dégâts causés par le vandalisme et les incendies. Nous suivons de près les fauteurs de troubles afin que vous réalisiez qu’il y a un Etat de droit à Madagascar. Le constat général est le suivant: les troubles sont causés par des groupes qui viennent de nulle part et soudainement, pour semer la panique. Nous respectons la Constitution et la légalité, et ce ne seront pas gens qui vandalisent et pillent qui vont déstabiliser notre nation. Nous sommes profondément désolés de ce qui s’est passé, mais nous allons travailler ensemble pour redresser l’économie. “

“Estou aqui para negar rumores, porque em Antananarivo dizem que Madagáscar inteira está em chamas. Agora vejo que o dia-a-dia continua normalmente. Temos que nos concentrar no trabalho para desenvolver esse país. Estou aqui também para ver a devastação causada pelos incêndios e motins. Estamos acompanhando de perto os peturbadores da ordem, para que vocês percebam que existem lei e ordem em Madagáscar. A avaliação geral é que as confusões são causadas por grupos vindos não se sabe de onde para causar pânico. Respeitamos a Constituição Malgaxe e a legalidade, não são os saqueadores e desordeiros que sacudirão a nação. Lamentamos profundamente o que aconteceu, mas vamos trabalhar juntos para colocar a economia em pé novamente.”

As reações no Yahoo Forum [fr, mg] à auto-proclamação de Andry Rajoelina vão de perplexidade e consternação a euforia. Algumas pessoas enxergam a tomada de poder por parte de Rajoelina como um passo para proteger seus interesses pessoais e sua fortuna. Outras estão contentes. E mais outras se perguntam se o povo não está, novamente, fazendo papel de bobo nas mãos dos políticos.

“Que faut-il faire pour que le peuple malgache ne soit pas sacrifié au nom de quelques intérêts personnels.
Rendons nous compte: pour accéder au pouvoir, ces gens là osent parler de démocratie et sont prêts à faire des actes terroristes et prendre le pouvoir de force!!!”

“O que podemos fazer para que o povo malgaxe não seja sacrificado em nome de interesses pessoais. Vamos nos dar conta: para chegar ao poder, aquelas pessoas se atrevem a falar de democracia e estão prontas para cometer atos terroristas e tomar o poder a força!!!”

“Manana “Filoha vaovao” aloha izao ny tenanay ka soava tsarà ingahy “ANDRY TGV””

“Agora temos um “novo presidente”, boa sorte a “ANDRY TGV””

Outros, no forum Sobika [fr], indagam sobre as eleições em Madagáscar:

“Et le peuple malgache aura t'il son mot à dire? je ne me permets pas de juger mais il me semble que TGV devrait réclamer des élections? La seule légitimité démocratique peut donner un avenir à un homme ou une femme politique…ces méthodes d'auto proclamation sont d'un autre âge…”

“O povo malgaxe terá oportunidade de opinar? Eu não permito a mim mesmo fazer julgamentos mas, ao que parece, não deveria TGV exigir eleições? A única legitimidade democrática que garante o futuro a um político. Auto-proclamação é coisa de uma outra era…”

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.