Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

República Democrática do Congo: Blogando da Zona de Guerra

Os seguintes relatos foram feitos por testemunhas oculares que blogam da região leste da República Democrática do Congo, e falam sobre a situação nessa parte do país depois dos choques recentes entre rebeldes, forças do governo e as forças das Nações Unidas.

A situação em Goma:

The situation is degrading fast. There has been a lot of shooting in town until about 40 minutes ago. Since then, there is silence. You could hear a pin drop. Rumours are rife, but there are some confirmed reports of CNDP rebels on the outskirts of town. MONUC is evacuating their staff to Rwanda.

“A situação está se deteriorando rapidamente. Muitos tiroteios foram ouvidos na cidade até cerca de 40 minutos atrás. Desde então, só há silêncio. Você poderia escutar um alfinete cair. Inúmeros rumores estão em circulação, mas existem alguns relatos confirmados sobre o posicionamento de rebeldes do CNDP (Congresso Nacional para a Defesa do Povo) nos arredores da cidade. A MONUC (Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo) está evacuando sua equipe para Ruanda”.

O exército congolense desistiu completamente:

It’s total chaos in Goma. I am being told, through various phone calls and text messages, that the army have now laid down their weapons at Kibumba, 12 miles north of Goma, and are fleeing the rebels. In other words they have totally given up. Some of the soldiers are running/driving/zooming on motorbikes through town towards the west, Sake, and they are going past my house.
The governor of North Kivu has apparently also left town.
Now there is only the UN peacekeeping forces stopping Nkunda’s rebels from taking Goma.

There is lots and lots of speculation right now – and panic. I will keep you posted.
I just got back from the Ranger camp and was about to work with Innocent to report that we have found 3 more Rangers – which of course is fantastic news. One was severely beaten by the military and getting medical treatment, and the other 2 are exhausted – but at least we found them.

“Em Goma, é o caos absoluto. Recebi vários telefonemas e mensagens de texto contando que o exército depôs as armas em Kibumba, 12 milhas ao norte de Goma, e que os militares estão fugindo dos rebeldes. Em outras palavras, eles desistiram completamente. Alguns dos soldados atravessam a cidade correndo, outros dirigindo veículos, ou zunindo em suas motocicletas na direção oeste, Sake, e eles estão passando pela minha casa.
Aparentemente, o governador de Kivu Norte também deixou a cidade.
Agora só existem as forças de paz da ONU impedindo que os rebeldes de Nkunda tomem Goma.
Há muitas e muitas especulações no momento – e pânico. Continuarei postando para manter vocês atualizados.
Acabei de voltar do acampamento dos guardas florestais e estava me preparando para trabalhar com Innocent para contarmos que encontramos três outros guardas florestais – o que, claro, é uma notícia fantástica. Um havia sido gravemente espancado pelos militares e recebia cuidados médicos, e os outros dois estavam exaustos – mas pelo menos nós os encontramos”.

Jean Claude e seus colegas em Monte Thsiaberimu:

Hello this is Jean Claude. At the moment we are safe at Mount Thsiaberimu but we are very concerned about the security situation at Goma.
I am at Kyondo at the moment and rebels have started to walk around. I have asked all staff to be very careful.
This morning I spoke to my colleague Henry who is in Goma. He had an ok night but there is fighting between the rebels and the Congolese army at Kibumba, just 30km from Goma. Gorilla Organization staff are staying in their homes for now but are keeping a very close eye on situation and an evacuation plan is in place should they need it.
Some Gorilla Organization partners are based in Rutshuru (between Goma and Mt Tshiaberimu) which is now under control of the Nkunda’s rebels. We had contact with staff there yesterday but today we have lost contact. We think they may have fled towards Uganda for safety.

“Alô, aqui é Jean Claude. No momento estamos a salvo no Monte Thsiaberimu, mas estamos muito preocupados com a segurança em Goma.

Estou em Kyondo no momento e os rebeldes começaram circular pelo local. Pedi a toda a equipe que tivesse muito cuidado.
Hoje de manhã falei com meu colega Henry, que está em Goma. Ele passou a noite bem, mas há combates entre os rebeldes e o exército congolense em Kibumba, a apenas 30 quilômetros de Goma. Os funcionários da Organização Gorilla permanecem em suas casas por enquanto, mas estão observando a situação atentamente e um plano de evacuação já foi preparado, caso isso seja necessário. Alguns parceiros da Organização Gorilla estão baseados em Rutshuru (entre Goma e o Monte Thsiaberimu), que agora está sob o controle dos rebeldes de Nkunda. Ontem fizemos contato com a equipe de lá, mas hoje perdemos. Achamos que talvez tenham fugido na direção de Uganda, em busca de segurança”.

Algumas reações ao post de Jean:

Christine C., on 29 Oct 2008
Jean Claude — my thoughts and prayers are with all of you…I know it is not much, but I suppose it is the best any of us can do from so far away. I hope to God that those who have the power, come to Congo’s aid very soon…It is horrifying to think about what the rebels have managed so far.
Virginia, on 29 Oct 2008
Jean Claude, I am very sorry to hear about this horrendous news. Please stay safe. I will be in Bukavu in 2 weeks time. Are you coming south?
Peter, on 29 Oct 2008
I have worked in Goma and East Kivu from 1994-1999 and know the region and its people well.
I am sorry you all had to go through this pain of civil war and unrest once again…!
Stay safe!
Annie, on 29 Oct 2008
Yes…..please stay safe……this is just terrible for all of you! I don’t want anything happening to any of you! You have all worked so hard!

“Christine C., em 29 out 2008
Jean Claude – meus pensamentos e orações estão com todos vocês… Sei que não é muito, mas acredito que seja o melhor que qualquer um de nós possa fazer, estando tão longe. Peço a Deus que aqueles com poder para agir venham em socorro do Congo muito em breve… É apavorante pensar no que os rebeldes conseguiram fazer até agora.
Virginia, em 20 out 2008
Jean Claude, estou tão triste por saber dessas notícias horríveis! Por favor, mantenham-se em segurança. Estarei em Bukavu dentro de duas semanas. Você vem para o sul?
Peter, em 29 out 2008
Trabalhei em Goma e em Kivu Leste de 1994 a 1999, e conheço bem a região e o seu povo.
Sinto muito que vocês todos tenham que passar mais uma vez por toda a dor de uma guerra civil e dos tumultos!…
Mantenham-se em segurança!
Annie, em 29 out 2008
Sim… por favor, mantenham-se em segurança…o que vocês todos estão passando é simplesmente terrível! Não quero que nada lhes aconteça! Vocês todos têm trabalhado tanto!”

Os combates em Rumangabo, uma base militar ao norte de Goma:

Fighting at Rumangabo started at 0400 today between the rebels of Laurent Nkunda and the army. It has now totally engulfed the park station and our Rangers have been forced to flee into the forests for their lives. The rebels now are the only occupants of the park station at Rumangabo. This has never happened before. This is a serious time. We need to get our 50+ Rangers back to safety in Goma, 45km south of Rumangabo. The main road is blocked because of the fighting so they are walking through the forests of the park south, to Kibumba, about 20km away, where we aim to pick them up in trucks. We are trying to maintain phone contact but they don’t have much battery life in their phones.
Emmanuel has made an appeal on Gorilla.cd and any donations made here will go directly to support these rangers during these difficult times. I’ve spoken to some friends on the ground who say that the situation is extremely bad.

“Hoje em Rumangabo, os combates entre o exército e os rebeldes de Laurent Nkunda começaram às 4 horas. Agora a luta já envolveu completamente a área da sede do parque, e nossos guardas florestais foram forçados a fugir floresta adentro para salvar suas vidas. Os rebeldes são agora os únicos ocupantes da sede do parque em Rumangabo. Isso nunca aconteceu antes. São tempos duros. Precisamos trazer com segurança os nossos mais de 50 guardas florestais de volta para Goma, que fica a 45 quilômetros ao sul de Rumangabo. A estrada principal está bloqueada por causa dos combates, por isso os guardas estão caminhando por dentro da floresta rumo ao sul, para Kibumba, a cerca de 20 quilômetros de distãncia, onde pretendemos apanhá-los com caminhões. Estamos tentando manter contato telefônico, mas a bateria de seus celulares está acabando”.
Emmanuel fez um apelo no Gorilla.cd, e qualquer doação realizada servirá diretamente para ajudar os guardas florestais durante esses tempos difíceis. Falei com alguns amigos no local que dizem que a situação é extremamente ruim.

Aqui está um registro em vídeo da situação em Rumangabo:

I am back in Goma and to be honest too tired to explain our day in Rumangabo.
So I will let Balemba do the talking, in this video I filmed this morning

“Voltei a Goma e, para ser honesto, estou cansado demais para explicar como foi nosso dia em Rumangabo.
Por isso, deixarei que Balemba conte tudo, neste video que fiz hoje de manhã”.

Pessoas que assitiram estão reagindo às imagens:

lisah Says: 9
Oct
2008


I am speechless as well. Lisa
Jean-Claude S (France) Says: 9
Oct
2008


Balemba. I come to greet your courage and that which filmed these images. You make us live the war directly … and we are, even by far, very close with all these poor people frightened… without being able to act. I hope for only one thing for all, finally the peace… but it seems well far still. Thanks for your news. I hope to have good news of your sector quickly. My friendships with to all.
jessiewiseman Says: 9
Oct
2008


please go safely.
Balemba Says: 10
Oct
2008


Thanks Jean Claude. Actually,this is the unique way to break the silence.
Says: 10
Oct
2008


I’m on a computer with a very slow speed connection and was able to see your video, Pierre, but hear no sound – but who needs sound with images like these? They say it all… It is a great shame that your powerful images are not being shown all over the world. I know that I am far from impartial, but right now I can only ask: who cares about vice-presidential candidate Palin’s being the mother of five if all over Kivu women are mothers of five and they are running away from gunfire on dirt roads? Who deserves the headlines? The world’s attention? Who has a good plan on how to save Kivu’s children and will implement it? Bon courage to all and take care. Iris

lisah diz: 09 out 2008 Estou sem fala também. Lisa.
Jean-Claude S (França) diz: 09 out 2008 Balemba. Venho aqui para elogiar sua coragem de realizar essas imagens. Você nos faz vivenciar a guerra de forma direta… e, mesmo que distantes, estamos muito próximos de todas essas pobres pessoas, tão assustadas…sem condições de agir. Desejo uma única coisa para todos, finalmente a paz… mas ela ainda parece muito distante. Obrigado pelas notícias. Espero ter boas notícias do seu setor rapidamente. Minha amizade a todos.

jessiewiseman diz: 09 out 2008 por favor, protejam-se.

Balemba diz: 10 out 2008 Obrigado, Jean-Claude. Na verdade, essa é a única forma de quebrar o silêncio.

Diz: 10 out 2008 Estou num computador com uma conexão muito lenta e consegui ver seu video, Pierre, mas sem som nenhum – mas quem precisa de som com imagens como essas? Elas dizem tudo… É lamentável que suas imagens fortes não estejam sendo mostradas no mundo inteiro. Sei que estou longe de ser imparcial, mas neste exato momento só posso perguntar uma coisa: quem se importa se a candidata à vice-presidência Palin é mãe de cinco filhos, quando por toda Kivu existem mulheres que são mães de cinco filhos e estão fugindo dos tiroteios pelas estradas poeirentas? Quem merece as manchetes? A atenção do mundo? Quem tem um bom plano para salvar as crianças de Kivu e chegará a implementá-lo? Bon courage a todos e tomem cuidado. Iris.”

“Inseguraça, incerteza e violência,” Samantha Newport relata:

I am in a different part of town to Emmanuel and I can hear the same shooting and the same silences. I am holed up at a UN compound with about 200 local and international staff.

Innocent is with his family in an area of town where the military are shooting and looting. Balemba is hiding under a bed in his house in Goma and Diddy is safe although I am not sure where he is.

It is impossible to know how the rangers at the camp are getting on as they are very exposed to pillaging and violence.

We continue to wait and see what is going to happen. But for now there is absolutely no way that anybody is exiting this compound. We need to remain together and stay safe.

“Eu e Emmanuel estamos em partes diferentes da cidade, e consigo escutar os mesmo tiroteios e o mesmo silêncio. Estou enfurnada nas instalações da ONU junto com mais ou menos 200 funcionários congolenses e estrangeiros.
Innocent está com sua família numa região da cidade onde os militares estão atirando e saqueando. Balemba está escondido embaixo de uma cama na sua casa, em Goma, e Diddy está a salvo, apesar de eu não ter certeza do local exato.
É impossível saber como os guardas florestais estão passando no acampamento, pois estão muito expostos a pilhagens e à violência. Continuamos a esperar para ver o que vai acontecer. Mas por enquanto não há possibilidade nenhuma de alguém deixar estas instalações. Precisamos permanecer juntos e protegidos.”

Por fim, leia o post de Elia, “Confusão reina em Goma”.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.