Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Marrocos: Boas-vindas ao novo primeiro-ministro

Após as eleições de 7 de setembro, o rei marroquino Mohammed VI [en] nomeou o novo primeiro-ministro, Abbas el-Fassi [en], que substitui Driss Jettou [en], que estava na posição desde 2002. El-Fassi, que deve ser mais conhecido por uma operação de negócios mal-sucedida envolvendo um navio cruzeiro dos Emirados (que deixou muitos jovens rapazes desesperados por empregos e levando alguns poucos a cometer suicídio), é membro do partido vencedor Istiqlal (Independência).

A moro in America [en] traz um pouco do pano de fundo da situação:

“Abbas al-Fassi is more known for the infamous Annajat fictious employment contract than for any achievement in his previous governmental appointments. Few years ago, He was in charge of managing a large contract with an Emirati Cruise ship, where more than 34000 young Moroccans applied and paid more than 1000 Dirhams for medical tests and miscellaneous fees before the company vanished from the face of the earth. Several disillusioned young men committed suicide and Abbas al-Fassi refused to resign or even apologize for the failing operation. Since then, he has been constantly under the mercy of independent press criticism.”

“Abbas al-Fassi é mais conhecido pelo infame contrato de trabalho fictício com Annajat do que pelas conquistas em nomeações governamentais anteriores. Há poucos anos, ele foi responsável pelo gerenciamento de um grande contrato com um cruzeiro dos Emirados, no qual mais de 34.000 jovens marroquinos se candidataram e pagaram mais de 1.000 Dirhams em testes médicos e taxas diversas antes da empresa sumir da face da terra. Vários jovens desenganados cometeram suicídio e Abbas al-Fassi se recusou a pedir demissão ou até mesmo pedir desculpas pela operação falha. Desde então, ele tem estado sempre sob a misericórdia do criticismo de veículos de imprensa independentes.”

Ange Bleu [fr] deu a notícia, dizendo:

“Le souverain marocain a fait son choix et ouuuiii, le nouveau 1er ministre marocain n'est autre que le fameux ABBAS ELFASSI”

“O soberano marroquino fez a sua escolha e siiimm, o novo primeiro-ministro marroquino não é ninguém mais que o famoso ABBAS ELFASSI”

Ghasbouba [en] ficou perplexo com a notícia:

“Abbas El Fassi prime minister as part of the puzzle unfolds. what is next? His resignation for example. What does Si Larbi think now?”

“Abbas El Fassi primeiro-ministro como parte de um quebra-cabeça que se revela. O que vem em seguida? Sua resignação por exemplo [fr]. O que Si Larbi pensa agora?”

A postagem de dois anos a qual se refere Ghasbouba e originalmente publicada por Larbi [fr] está atraindo novos comentários. Esse [fr/ar] foi postado hoje:

“c'est un vrai scandale ce qui se passe nomme un feneant comme premier ministre ca ne peut se passer qu'au maroc jdoudna lwala l'ont dit madomta fi lmaghrib fala tastaghrib je voulait juste dire un truc c'est que cette nomination veut simplement dire au monde qu'au maroc il y a une democratie mais le probleme c'est qu'avant de se soucier de l'international il faudra convaincre la nation qui n'a plus confiance en rien et surtout les jeunes qui ont jeter les eponges plus personnes ne s'en foue et c'est la chose la plus grave qui peut arrive a ce pays 30% qui ont vote c'est grave lah ykoun bhad lblad ou khlass personnelement j ai du mal a imaginer les 5 annnees a venire”

O que está rolando com o novo primeiro-ministro é um verdadeiro escândalo e o que está para acontecer com o Marrocos (nossos ancestrais disseram “se você está no Marrocos, não se surpreenda”)? Eu quero falar sobre um ponto – que essa nova nominação apenas significa para o mundo que o Marrocos é uma verdadeira democracia, mas o verdadeiro problema é que antes que a gente possa se preocupar com o que a comunidade internacional pensa, temos que convencer a nossa nação que não acredita em qualquer um, especialmente quando os jovens jogaram a toalha e ninguém se importa que coisa pior pode acontecer a esse país. Trinta por cento (30%) votaram – é ruim. Que Deus cuide dessa país e eu não sei o que vai acontecer nos próximos cinco anos.

Pelo menos uma pessoa ficou feliz com a indicação, no entanto. Ibn Kafka [fr] explica suas motivações em seu blogue:

“Aqui vai uma notícia a qual eu devo ser o único marroquino – além do círculo familiar do interessado – que dou boas-vindas com alegria, por razões que eu já expliquei…”

Leia o blogue de Ibn Kafka para saber o porquê dele estar tão radiante.

(texto original de Jillian York)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.