Buala.org é o sítio da associação cultural Buala e o primeiro portal multidisciplinar de reflexão, crítica e documentação das culturas africanas contemporâneas em língua portuguesa, com produção de textos e traduções em francês e inglês.

Buala significa casa, aldeia, a comunidade onde se dá o encontro. Buala means home, village, community, and a meeting place.Buala signifie maison, village, communauté où l’on se rencontre. Twitter: @buala_ac / Facebook: Buala

Email Buala - culturas africanas contemporâneas

Últimos posts por Buala - culturas africanas contemporâneas

Buala - culturas africanas contemporâneas

Últimos artigos Buala

Coleções “Jardim da Vitória”

há 18 horas

Sofia Borges O Mapa foi realizado com a colaboração dos moradores, reconfigurando a geografia do bairro, inexistente noutros mapas (Câmara Municipal de Loures e Junta de Freguesia da Portela), com a introdução de outras ruas e nomes, e outros elementos dados pelos moradores como imagens, objectos e histórias “falantes” da…

Em Kassel

há 19 horas

Eyal Weizman Como propaganda, a Justiça Popular não é complexa. À direita estão os simples cidadãos, aldeões e trabalhadores: vítimas do regime. À esquerda estão os autores dos crimes e os seus cúmplices internacionais. Os representantes dos serviços de inteligência estrangeiros – a ASIO australiana, MI5, a CIA – são…

Temos de Falar, à conversa com Gisela Casimiro (7)

há 2 dias

vários Maria Giulia Pinheiro é escritora, poeta, performer e pesquisadora feminista. Irmà Estopiña é poeta e arte-terapeuta/psicoterapeuta. Juntas organizam há alguns anos a "Ginginha Poética", um exercício de poesia comunitária e celebratória que emprestam ao Temos de Falar.

Imigrantes versus refugiados: dividir para reinar

há 2 dias

Mariana Carneiro A conceção liberal de refugiado tem um efeito prático inegável: segrega. Deixa poucos direitos aos refugiados e nenhuns aos migrantes económicos. A criação destas categorias, baseadas, muitas vezes, em artificialismos, permitem, à partida, escolher as pessoas, aquelas que merecem, ou não, o nosso apoio. Que merecem, ou não,…

Por um mundo sem fronteiras

há 2 dias

Mariana Carneiro O imaginário da invasão tem alimentado uma espécie de “psicose coletiva”, baseada no medo do outro, do desconhecido, na propalada ameaça permanente do terrorismo. E este espectro da invasão serve como justificação para a construção de muros e vedações que aumentam a brecha entre nós e os outros,…