Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Eleição presidencial de Taiwan em janeiro: quem são os candidatos?

Captura de tela de vídeo da BBC no YouTube da retransmissão do terceiro debate presidencial em 29 de dezembro de 2019. Da esquerda para a direita, os três candidatos na campanha presidencial: Han Kuo-yu, James Soong e Tsai Ing-wen.

Em 11 de janeiro de 2020, Taiwan realizará eleição presidencial e legislativa, com três candidatos concorrendo para o posto com fortes diferenças políticas: a atual presidente Tsai Ing-wen, o candidato do Kuomintang, Han Kuo-yu e o líder do partido minoritário James Soong. Os três representam visões muito divergentes sobre valores sociais, desenvolvimento econômico, relações com a China e o status de Taiwan.

Em 1996, Taiwan reformou seu código eleitoral para permitir eleições diretas para presidente. Cada mandato dura 4 anos e a mesma pessoa pode manter o cargo por um período máximo de oito anos, se reeleita. O presidente e o vice-presidente concorrem em uma chapa única e são eleitos com base no sistema de eleição por maioria simples.

Para esta sétima eleição direta, estima-se a participação de 12 milhões de taiwaneses votantes. Os resultados da eleição serão conhecidos na tarde do dia 11 de janeiro, horário local.

Tsai Ing-wen: primeira presidente mulher de Taiwan

Tsai Ing-wen [蔡英文] fez história quando elegeu-se em 2016 como candidata do Partido Democrático Progressista (PDP), tornando-se a primeira presidente mulher de Taiwan, depois dos seis presidentes anteriores eleitos desde a constituição de 1947. Ela é também a segunda presidente filiada ao PDP, depois de Chen Shui-bian, que governou de 2000 a 2008.

Tsai, de 63 anos, é professora aposentada de Direito e vem de uma família com 11 irmãos com ascendência aborígene HakkaPaiwan. Ela estudou Direito na Universidade Nacional de Taiwan e concluiu seus estudos em Nova York e Londres. Após retornar a Taiwan em 1984, lecionou Direito em diferentes universidades de Taipé.

Sua carreira política começou efetivamente em 2000 quando foi indicada para presidência do Conselho de Assuntos do Continente, órgão que regula as relações entre Taiwan e China. Em 2004, filiou-se ao PDP subindo rapidamente na carreira, tornando-se legisladora eleita e presidente do partido em 2008, sendo assim a primeira mulher a liderar um grande partido em Taiwan.

Seu potencial como importante candidata à presidência ficou claro em 2014, quando seu partido venceu as eleições locais por uma grande margem de votos. Em janeiro de 2006, ela venceu a eleição presidencial com 56% dos votos contra seu oponente do Kuomintang Eric Chu, que recebeu 31% dos votos.

Para as eleições de janeiro de 2020, Tsai concorre junto com o candidato a vice-presidente William Lai.

A agenda política de Tsai pode ser descrita como um misto de forte política social e ambiental interna, e uma distância mais pronunciada de Pequim, tanto econômica como politicamente. Em seu primeiro mandato, ela introduziu reformas significativas nos sistemas trabalhista e de aposentadoria, estabeleceu o casamento homoafetivo e direitos linguísticos para diferentes comunidades.

Sobre política internacional e relações com a China, Tsai declarou repetida e publicamente que não endossa o Consenso de 1992, o qual afirma em termos de ampla interpretação, que existe apenas ‘uma China’. O Consenso tem sito utilizado tanto por Pequim quanto pelo Kuomintang em Taiwan, como base para o status-quo em relações bilaterais, e é comumente referido como equivalente ao princípio ‘Um País, Dois Sistemas’ pela China. Tsai rejeita as duas noções, mostrando como exemplo a crise que atingiu Hong Kong nos últimos seis meses e permanece sem solução.

Os eleitores de Tsai são geralmente das gerações mais novas, tradicionalmente de regiões ao sul da ilha. O PDP é parte de um família política mais ampla chamada Coligação Pan-Verde [泛綠聯盟], que engloba o Taiwan Independence Party (Partido da Independência de Taiwan), o Taiwan Solidarity Union (União Solidária de Taiwan) e o New Power Party (Partido Poder Novo). A coalizão atua, de modo geral, dentro do Yuan Legislativo, o parlamento de Taiwan.  

Diferentemente da maioria dos políticos proeminentes e dos outros candidatos, Tsai não é casada e não tem filhos, uma característica rara em figuras públicas proeminentes em Taiwan, que é comumente utilizada pelos oponentes como um argumento contra ela.

Tsai possui a conta no Twitter @iingwen.

Han Kuo-yu: a face combativa do partido que governou Taiwan por mais tempo

Han Kuo-yu [韓國瑜] é o candidato do partido Kuomintang (KMT), que governou incontestável por 55 anos e possui uma rede forte por muitos setores da sociedade de Taiwan devido a seu papel histórico.

Com 62 anos, Han é um prefeito recém-eleito cujos pais vieram da China continental. Estudou Literatura Inglesa e Direito e começou sua carreira política em 1992, quando foi eleito para o Yuan Legislativo pelo Kuomintang.

Sua carreira política chegou ao ponto máximo em 2018, quando, contra todas as previsões, ganhou a prefeitura de Kaohsiung, segunda maior cidade de Taiwan, situada ao sul. Sua vitória foi impressionante, já que o sul é tradicionalmente um reduto do PDP e nenhum candidato do KMT foi eleito lá em 20 anos.

Para as eleições de janeiro de 2020, Han concorre junto com o candidato a vice-presidente Chang San-cheng, ex-primeiro-ministro.

Apelidado de ‘Careca’ [光頭], Han é comumente descrito como populista e conhecido por mudar de posições, mas também por usar uma linguagem forte e geralmente emocional, o que é uma das suas ligações com certos segmentos da sociedade taiwanesa. Sua agenda política baseia-se em prosperidade econômica, que ele vincula diretamente a uma maior cooperação econômica e política com a China. Seu slogan para a eleição de 2020 é “台灣安全 人民有錢”, que pode ser traduzido como “Segurança para Taiwan, Dinheiro para o Povo”. De fato, ele costuma se referir ao desenvolvimento econômico, que alcançou quando prefeito de Kaohsiung, como a marca de sua estratégia nacional.

Sobre as relações com Pequim, ele apoia uma maior integração econômica, o turismo massivo vindo do continente e apoia publicamente o Consenso de 1992, ao mesmo tempo em que se opõe à ideia de ‘Um País, Dois Sistemas’.

Os eleitores de Han são tipicamente de gerações mais velhas, residentes ao norte de Taiwan. O Kuomintang é também a liderança do que é conhecido em Taiwan como Coligação Pan-Azul [泛藍聯盟], que agrupa alguns partidos que dividem valores ideológicos semelhantes. A coalizão inclui o Kuomintang, o People First Party (Partido Primeiro o Povo), o New Party (Partido Novo) e o Non-Partisan Solidarity Union (União Solidária Não Partidária). 

Han é casado e tem três filhos. Sua conta no Twitter é @Han_Kuo_yu.

James Soong: o terceiro candidato que pode decidir o resultado final da eleição

James Soong [宋楚瑜] é o presidente do People First Party (PFP), que é membro da Coligação Pan-Azul, mas discorda do Kuomintang em certos pontos. 

Com 77 anos de idade, Soong nasceu na China continental e se mudou para Taiwan com a família em 1949. Mais tarde, estudou Diplomacia e Ciências Políticas em Taiwan e nos Estados Unidos. Ele alcançou proeminência em 1974, quando foi indicado como secretário do primeiro-ministro e presidente Chiang Ching-kuo. Ele desenvolveu sua carreira política como um ‘novo taiwanês’, apoiando o primeiro presidente nativo taiwanês, do Kuomintang, Lee Teng-hui, em 1988.

Encorajado pelo sucesso, decidiu concorrer como candidato independente na eleição presidencial de 2000, o que o levou a expulsão do KMT. Soong perdeu por pouco do candidato vencedor do PDP, e então criou o seu partido. Ele concorreu novamente pelo PFP na eleição presidencial de 2012, recebendo menos de 3% dos votos. Teve melhor resultado na eleição presidencial de 2016, alcançando quase 13% dos votos. 

Soong costuma dizer que quer acabar com a rivalidade entre azuis e verdes, que definiu a política taiwanesa em muitas eleições. Sua agenda política mistura prioridades que podem ser encontradas tanto no KMT quanto no PDP. Estima-se, de forma geral, que declarando sua candidatura, ele retira votos do candidato do KMT, já que seus apoiadores partidários são em maioria antigos apoiadores do KMT.  

Soong é casado e tem dois filhos.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.