Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Qual é a gravidade da peste suína africana na crise do abastecimento da carne de porco na China?

Imagem de inmediahk.net

O projeto Chinese Cross-Border Question and Answer, patrocinado pela ONG de Hong Kong,  Fundação de Cultura e Educação para a Mídia, apresenta notícias das comunidades chinesas na China continental e fora dela. O artigo a seguir foi escrito originalmente em chinês e publicado em vários sites, incluindo inmediahk.net e matters.news, e é reproduzido pela Global Voices sob um acordo de parceria.

Em setembro, poucas semanas antes do aniversário de 70 anos de fundação da República Popular da China, o governo chinês começou a liberar reservas estratégicas de carne de porco congelada para atender à demanda do mercado interno. A medida foi adotada após uma epidemia de peste suína africana ter matado grande parte do rebanho suíno na China, o que gerou um desabastecimento. Alguns chegaram a dizer que Pequim encara a crise no abastecimento de carne de porco como mais grave do que os protestos em Hong Kong e a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos.

A equipe do projeto Cross-Border Question and Answer explicou a dimensão da crise e suas implicações políticas em formato de perguntas e respostas.

P: Qual é o tamanho do mercado da carne suína na China?

A: China’s demand for pork meat makes up nearly half of the world's total output. For an average Chinese family, pork accounts for two thirds of their meat consumption, and on average, a Chinese person consumes 120 pounds of pork annually. The whole country consumes annually 700 million pig stock. China is almost self-sufficient in terms of pork supply. In 2016, imported pork was equal to 4 percent of the country’s domestic consumption. But this figure was equal to 26 percent of the world’s export output.

R: A demanda chinesa por carne suína representa quase metade da produção mundial total. Para uma família típica chinesa, a carne de porco representa dois terços do consumo de carne, e em média, um chinês consome quase 55 quilos de carne de porco por ano. O país inteiro consome anualmente 700 milhões de porcos. A China é quase autossuficiente em termos de abastecimento de carne suína. Em 2016, a importação de carne suína contabilizou 4% do consumo interno, número esse que representou 26% da exportação mundial.

P: Como a peste suína africana (PSA) propagou-se na China? Por que se espalhou tão rapidamente por todo o país?

A: There is no official explanation coming from Chinese authorities on the question yet. Related discussions online were censored quickly. However, Dirk Pfeiffer, expert on animal health and epidemiology believed that ASF originated from smuggled pork coming from Russia. In March 2017, there was an outbreak in Irkutsk, Serbia. The city is just 1000 kilometers away from China. ASF is commonly spread across countries through pig feed which is composed of uncooked food scraps that are infected with the virus.

In general, small pig farms are more vulnerable to ASF. In 2017, 90 percent of China’s pig farms were small in scale and they produced one third of the country’s pork supply. In most of the cases, small pig farms fed human leftover food to pigs and they did not have an epidemic control system.

However, big pig farms in China also have outbreaks as well. This may be due to the failure to follow epidemic control protocol as pointed out by Caixin investigative report.

According to the official report, the first ASF outbreak happened in August 2018 in Shenyang in northeastern China. As opposed to other countries, the Chinese outbreak was not confined to a geographical location but quickly spread to other provinces.

An investigative report from The Initium traced the reasons behind the spread of ASF epidemic to the selling of inflicted pigs in the market, the inappropriate dumping of dead pigs and the transportation of livestock across provinces.

R: Ainda não há nenhuma explicação oficial das autoridades chinesas sobre o assunto. Discussões on-line relacionadas foram rapidamente censuradas. No entanto, Dirk Pfeiffer, especialista em saúde animal e epidemiologia acredita que a PSA tenha entrado por meio de carne contrabandeada vinda da Rússia. Em março de 2017, houve um surto em Irkutsk, na Sibéria. A cidade fica a apenas 1.000 quilômetros da China. A PSA é comumente disseminada por países por meio de restos de alimentos crus contaminados com o vírus, usados na alimentação dos suínos.

Geralmente, as pequenas criações são mais vulneráveis à PSA. Em 2017, 90% das suinoculturas na China eram de pequeno porte, e responsáveis por um terço do abastecimento de carne suína no país. Na maioria dos casos, em pequenas criações os porcos são alimentados com sobras da alimentação humana e não há um controle epidemiológico.

No entanto, as grandes suinoculturas da China também tiveram surtos da doença. Isso pode ter ocorrido devido a falha no cumprimento do protocolo de controle epidemiológico, conforme salientou a reportagem investigativa do site Caixin.

Segundo relatório oficial, o primeiro surto de PSA ocorreu em agosto de 2018 em Shenyang, no nordeste da China. Ao contrário de outros países, o surto na China não ficou limitado à uma localização geográfica, mas se espalhou rapidamente a outras províncias.

Uma reportagem investigativa do The Initium atribuiu as razões por trás da propagação da epidemia da PSA à venda de porcos infectados no mercado, à destinação inadequada dos porcos mortos e ao transporte de animais entre províncias.

P: Qual é a gravidade da epidemia da peste suína africana?

A: According to official data in September, China had killed more 100 million pigs within one year. The total output of pork had dropped about one third of the total average. But this figure does not reflect reality as many small pig farmers did not file reports to the agricultural authority. In fact, in July, the official report stated that only 1.16 million pigs had been culled. The figure was amended after the central government announced an emergency state of pork supply. Unofficial estimation of inflicted pigs was up to 200 million.

The World Organization of Animal Health's report on ASF indicated the Chinese outbreak has spread to nearby countries including Vietnam, Cambodia, Hong Kong, Laos, Myanmar, the Philippines and South Korea.

R: Segundo dados oficiais de setembro, a China sacrificou mais de 100 milhões de porcos em um único ano. A produção total de carne de porco caiu cerca de um terço da média total. No entanto, esse número não retrata a realidade, pois os pequenos criadores não apresentam relatórios à autoridade agrícola. Na verdade, em julho um relatório oficial afirmou que apenas 1,6 milhão de porcos foram sacrificados. O número foi alterado depois que o governo central anunciou estado de emergência no abastecimento de carne suína. Estimativas não oficiais de animais acometidos pela doença chegou a 200 milhões.

O relatório da Organização Mundial da Saúde Animal sobre a PSA indicou que a epidemia chinesa alastrou-se para países vizinhos, entre eles Vietnã, Camboja, Hong Kong, Laos, Myanmar, Filipinas e Coreia do Sul.

P: Quais são as medidas adotadas pela China para conter a propagação da PSA? Elas são eficazes? A epidemia está controlada agora?

A: China’s ASF epidemic control system is not really difficult from other countries. It has an epidemic report and compensation system for sculled pigs. However, quite often, pig farmers complained that they did not receive full compensation and hence some did not file reports to the authorities.

China also banned the transportation of pigs across provinces since August 2019. Some local governments had banned pig farms near urban areas and the number of outbreaks from June-July 2019 was lowered. However, as the central government announced the emergency state of pork supply, many pig farms were re-opened.

The Chinese Academy of Agriculture Science announced in September 2019 that it had made significant progress in developing a vaccine. However animal experts were not optimistic as the virus could mutate in the process.

Dirk Pfeiffer pointed out animal epidemic control is not just about the animal, it is about people and whether the pig farmers have epidemic control awareness. It is also about the system, such as whether or not the media could effectively monitor the authorities in releasing the compensation and inform the public about the virus during the early stages of the outbreak.

R: O sistema de controle da PSA chinês não difere muito do de outros países. O país possui um relatório epidemiológico e um sistema de compensação para porcos sacrificados. Contudo, muitas vezes, os suinocultores queixaram-se de não ter recebido a compensação integral e, portanto, alguns não apresentaram os relatórios às autoridades.

A China também proibiu o transporte de suínos entre províncias desde agosto de 2019.  Alguns governos locais proibiram granjas suinícolas próximas a áreas urbanas e o número de surtos diminuiu desde junho-julho de 2019. Contudo, quando o governo central anunciou o estado de emergência, muitas granjas reabriram.

A Academia de Ciências Agrícolas chinesa divulgou em setembro de 2019 que fez progressos significantes no desenvolvimento de uma vacina. Porém, os especialistas em animais não mostraram otimismo, pois o vírus poderia sofrer mutação nesse meio tempo.

Dirk Pfeiffer salientou que o controle epidêmico em animais não se resume apenas aos animais, envolve também pessoas e a conscientização dos suinocultores sobre o controle epidemiológico. Também tem a ver com a competência da mídia em monitorar efetivamente as autoridades na distribuição de compensações e informar o público sobre o vírus logo nos primeiros estágios do surto.

P: Por que alguns observadores da China comentaram que a crise de carne suína chinesa é mais grave do que os protestos em Hong Kong e a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos?

A: This August, the market price of pork was raised by about 46.7 percent. In some regions, the price almost doubled. Even if the government was able to control the price, people would not find pork in the markets. On the internet, a large number of videos appeared mocking the rocketing pork prices and the issue replaced the Hong Kong protests and the US-China trade war as the top search terms on social media. People were particularly outraged by the spread of propaganda which stated that eating less pork makes people healthier.

Chinese vice premier Hu Chunhua took the issue of pork supply as a crisis which could undermine social stability and hence ordered local governments to help pig farmers re-open their farms. The central government also decided to release the strategic reserves of pork to make sure that the supply of pork be no less than 95 percent of the average supply during the 70th anniversary of the foundation of the People's Republic of China.

The strategic pork reserve system was established in the 1970s to stabilize domestic meat prices during emergency times, such as natural disasters and wars. China has about 100 thousand tons of frozen pork reserves.

Moreover, China announced on September 13 that the country would take out soy beans and pork from the additional tariff list. Earlier, on September 1, China had announced a 72 percent tariff on U.S imported pork and Chinese meat traders were forced to cancel their orders. As the 70th anniversary of the PRC was approaching, the Chinese government took a U-turn. As China defines human rights as people’s rights to happiness, the issue of pork supply, which has affected people's dining table is hence viewed as more important than the Hong Kong protests.

R: Em agosto deste ano, o preço de mercado da carne suína subiu cerca de 46,7%. Em algumas regiões o preço quase dobrou. Mesmo se o governo pudesse controlar o preço, ainda assim as pessoas não encontrariam carne de porco no mercado. Na internet, surgiu um grande número de vídeos zombando do astronômico preço da carne suína, e o assunto substituiu os protestos em Hong Kong e a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos como os principais termos de busca nas redes sociais. As pessoas ficaram especialmente indignadas com a difusão da propaganda que afirmava que comer menos carne de porco é mais saudável.

O vice-primeiro-ministro chinês Hu Chunhua encarou a questão como uma crise que poderia comprometer a estabilidade social e, portanto, ordenou que os governos locais ajudassem os criadores a reabrir suas granjas. O governo central também decidiu liberar as reservas estratégicas de carne suína para garantir que o suprimento não fosse inferior a 95% da média de abastecimento durante a comemoração do aniversário de 70 anos da fundação da República Popular da China.

sistema estratégico de reserva de carne suína foi criado na década de 1970 visando estabilizar os preços da carne no país em tempos de emergência, como desastres naturais e guerras. A China possui cerca de 100.000 toneladas de reservas de carne de porco congelada.

Além disso, a China anunciou dia 13 de setembro que o país retiraria a soja e a carne de porco da lista de tarifas adicionais. Anteriormente, em 1º. de setembro, a China havia anunciado uma tarifa de 72% sobre a carne suína importada dos Estados Unidos e os comerciantes chineses foram obrigados a cancelar seus pedidos. Com a aproximação do 70º. aniversário da RPC, o governo chinês voltou atrás. Como a China define os direitos humanos como o direito do povo à felicidade, a questão do abastecimento da carne de porco, que afetou à mesa da população é, portanto, considerada como mais importante do que os protestos de Hong Kong.

Segue abaixo um vídeo que mostra como as pessoas lutavam por um pedaço de carne de porco em um supermercado em agosto.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.