Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Filme “Abominável”, da DreamWorks é banido no Vietnã, Malásia e Filipinas por questões marítimas

Fonte: página do Facebook de “Abominável”

O desenho animado “Abominável” foi banido no Vietnã, na Malásia e nas Filipinas por retratar a política chinesa da “linha dos nove traços“.

“Abominável” conta a história de uma adolescente chinesa que descobriu, na casa de sua família, um “Iéti” (um místico homem das neves que vive nos Himalaias). Ela então pede ajuda aos amigos para levar a criatura de volta ao Monte Everest. O filme foi produzido pelo Pearl Studio de Xangai, em conjunto com a empresa DreamWorks Animation de Hollywood.

A política chinesa da “linha dos nove traços” reivindica a posse de várias ilhas do mar da China Meridional. Tais ilhas também são contestadas por vários outros países do sudeste asiático. Ocorreram protestos no Vietnã e nas Filipinas devido à reivindicação “unilateral” pela China dessa disputa marítima. O governo desses dois países acusaram a China de violar seus territórios marítimos.

“Abominável” foi comercializado no Vietnã com o título: “Everest: The Little Yeti” e lançado no início de outubro antes de ser retirado dos cinemas após intensa reação do público sobre uma cena controversa do filme.

Novo filme da DreamWorks, Abominável, mostra um mapa dando total apoio à posse da China sobre a disputada área do mar da China Meridional.

O Secretário de Assuntos Internacionais das Filipinas, Teodoro Locsin Jr., também criticou a descrição errônea do mapa do país.

Ele também sugeriu censurar a cena, inserir um aviso do governo sobre o corte e fazer um boicote à DreamWorks, em vez de banir o filme.

Claro, mas eu acho que não reagir pode parecer um tipo de submissão a nível diplomático. Nossa reação deve ser minimamente invasiva ao livre direito de expressão: cortar a cena ofensiva e inserir uma breve declaração de um oficial público sério explicando o motivo.


Boicotar um filme de animação. Nós temos mesmo presas de leão.

É CLARO QUE ELES DEVIAM CORTAR A CENA OFENSIVA, O QUE VAI MOSTRAR NOSSA INSATISFAÇÃO MELHOR DO QUE SE BANÍSSEMOS O FILME DE MODO INCONSTITUCIONAL, COMO ALGUNS SUGERIRAM. CORTEM SEM PENA. TALVEZ INTERPOR A COMISSÃO DE REVISÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CINEMA E TELEVISÃO PARA QUE LIDEREM O CORTE COM UM DISCURSO INTIMIDADOR. E AÍ O FILME CONTINUA.

 


Penso que o governo deve, no mínimo, cortar a cena ofensiva. Considerando a liberdade de expressão e tudo, isso seria o mínimo aceitável. Os cidadãos ainda são livres para continuar com um boicote.


A Comissão governamental de Revisão e Classificação de Cinema e Televisão por fim decidiu retirar o filme dos cinemas.

A comissão de censura da Malásia solicitou à DreamWorks que cortasse a cena, mas isso foi recusado e levou à decisão de não exibir o filme no país, que estava programado para ser lançado em 7 de novembro.

Muitos internautas dos três países disseram que apoiam a decisão de censurar ou bloquear a exibição.

Mas alguns também escreveram que é melhor mobilizar espectadores e artistas na China e informá-los sobre a razão para que a política marítima da “linha dos nove traços” deva ser revista. Este é o mesmo argumento do colunista do jornal filipino, Tyrone Velez, que escreveu no Facebook:

Abominable is banned for a map that wasn't even their fault.

What if the map with the nine dash line was taught to them by the government?

We have to engage with them, and they are sensible people…They are just being misled.

Abominável é banido por um mapa cuja culpa nem era deles.

E se o mapa com a linha dos nove traços foi ensinado a eles pelo governo?

Nós temos que nos juntar a eles, são pessoas sensatas…Eles estão só sendo induzidos em erro.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.