Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Nova base de dados on-line registra quase 40 mil fotos da ocupação da China pelo Japão durante a guerra

Comfort Women Waiting at a Train Station in China in 1937

Auxiliares paramilitares chinesas e japonesas recebem as cinzas (de soldados abatidos), (国防婦人会員と共に遺骨の出迎をする愛路婦女隊員), do arquivo North China Railway. Imagem registrada na estação ferroviária de Changxindian, linha Pequim—Cantão, em dezembro de 1939. Usada sob licença CC BY 4.0.

Um novo banco de dados lançado em fevereiro de 2019 oferece um panorama da vida sob a ocupação japonesa no nordeste da China no período de guerra. A arquivo da North China Railway, que organiza as 39.775 fotografias em um catálogo pesquisável, é uma colaboração entre vários institutos de pesquisa japoneses e a Universidade de Quioto, que recebeu as fotografias no fim da Segunda Guerra Mundial.

Este ano, a Universidade de Quioto organizou diversas exposições apresentando apenas um pequeno número de fotos da coleção. Tanto a natureza das fotos, cujo propósito era difundir ou encobrir a ocupação japonesa no nordeste da China, quanto o tom geral das exposições fotográficas, supostamente teriam provocado fortes reações fora do Japão, na China.

memorial for workers killed during construction

Legenda: “Camponeses celebram a abertura da linha férrea de Shidexian e os monumentos dedicados aos trabalhadores mortos na construção” (建設の人柱の墓と開通を喜ぶ農民), Wangjiajing, 1941. Fonte: Arquivo North China Railway. Sob licença CC BY 4.0.

Como fonte principal, as imagens digitalizadas da coleção incluem o bloco fosco original bem como a documentação detalhada sobre a localização da imagem, quando foi obtida, o nome do fotógrafo e anotações sobre o que está sendo retratado.

Originalmente, as fotos seriam um banco de imagens para publicidade, e foram tiradas pelos funcionários da North China Transportation Company (華北交通). A empresa operava na região controlada pelo assim denominado Governo Provisório da República da China (臨時 政府, em japonês), um estado fantoche no nordeste da China que foi apoiado e colaborou com as forças de ocupação japonesas durante a Guerra Sino-Japonesa.

A empresa administrou milhares de quilômetros de linhas de ônibus e ferrovias no nordeste da China, conectando a região de Jingjinji que engloba Pequim, Harbin e outras cidades na Manchúria, região de outro estado fantoche japonês no nordeste da China.

buddhas

Detalhe: Budas de pedra nas Grutas de Yungang em Datong, 1939. Fonte: North China Railway Archive. Sob licença CC BY 4.0.

Além de mostrar os investimentos do Japão em infraestrutura na região e demonstrar a suposta organização e tranquilidade da ocupação japonesa, as imagens também promoviam destinos turísticos em toda a rede ferroviária (mapa) operada pela North China Transportation Company.

寺後街の鼓楼

Detalhe: Torre do Tambor próximo à estação de Kaifeng na ferrovia de Longhai, em 1939. Fonte: North China Railway Archive. Sob licença CC BY 4.0.

O grande número de fotografias na coleção indica que há muitas cenas da vida na cidade em *Peiping (agora Pequim) e em outras partes do nordeste da China durante os anos da ocupação japonesa nas décadas de 1930 e 1940.

Image caption: "The view from Hengshui Castle"

Legenda: “Vista do Castelo de Hengshui” (衡水城外を望む). Imagem registrada perto de Hengshui em julho de 1941. Fonte: North China Railway Archive. Sob licença CC BY 4.0.

Como as fotos foram tiradas por fotógrafos que trabalhavam para promover a North China Transportation Company, não há registros das dificuldades extremas sofridas pelo povo chinês durante os combates e a ocupação da Guerra Sino-Japonesa, que durou de 1937 a 1945. Estima-se que 22 milhões de civis chineses morreram durante esses anos, vítimas de brutalidade e atrocidades dos invasores japoneses, como foi o Massacre de Nanquim.

A exibição on-line do arquivo North China Railway não menciona o papel do Japão como invasor e colonizador, em vez disso, concentra-se na janela do passado oferecida pela coleção de fotos:

日中戦争のさなかに発足した華北交通が広報用に撮った写真には、戦闘状況はほとんど描かれておらず、地域の交通インフラの整備、資源開発、産業の育成をはじめとして、風土、民俗、文物など多様かつ多彩なイメージが盛り込まれています。グラビア雑誌や新聞、各種博覧会で公表された写真は軍などの検閲が必要でしたが、未使用の写真はそうした規制を経てはいません。そのため、この膨大なストックフォト全体を注意してみれば、80年近く前の中国の風景を読み取ることも可能なのです。その一部には、いまの中国で失われたランドスケープも含まれています。

As fotografias registradas pela North China Transportation Company, lançadas em meio à Guerra Sino-Japonesa, destinavam-se a relações públicas e quase não tocam nas condições do campo de batalha. Em vez disso, as fotos preservam a cultura, o folclore (da China na época), assim como o desenvolvimento da infraestrutura de transporte, de recursos e da indústria na região. Embora as fotos publicadas em revistas, jornais e outros meios tenham sido censuradas pelos militares, as fotos não publicadas (na coleção) não sofreram tal censura logo, basta prestar atenção a essa enorme coleção de banco de imagens para  vislumbrar uma China de quase 80 anos atrás. Algumas fotos retratam paisagens já perdidas na China moderna.

As exposições organizadas pela Universidade de Quioto, intituladas “a China de 80 anos atrás” (80年前の中国)  também apresentam as fotos como um recurso para entender o passado, e não fazem referência ao papel do Japão no tempo da guerra.

Reiterando um artigo inglês do South China Morning Post, um comentarista que escreve para o RecordChina, um site de notícias japonês com foco na China, observou:

「中国メディアの参考消息によると、両国のネットユーザーの注目点は大きく異なり、中国のSNS上では『歴史を心に刻み、国辱を忘れるな』との声が次々に上がったのに対し、日本のネットユーザーのコメントは鉄道沿いの風景などに集中していた。NHKも日中両国のネットユーザーの注目点の違いに触れ『多くの中国人にとって、中国に対する日本の侵略とその後の占領は記憶から消えない痛みのようだ』と伝えている」と紹介した。

O interesse dos internautas difere muito (entre o Japão e a China). Nas redes sociais chinesas era comentário após comentário dizendo: ‘Não se esqueça da nossa história e da humilhação nacional (da China)’. Os comentários dos internautas japoneses destacavam a paisagem ao longo da ferrovia e coisas assim.

As 39.775 imagens do arquivo North China Railway são organizadas por etiqueta, ano e de acordo com a estação de trem mais próxima de onde a fotografia foi registrada. A licença permite que as imagens sejam compartilhadas e adaptadas livremente, desde que seja dado crédito e atribuição ao North China Railway Archive.

*[nota de tradução: Durante a dinastia Ming o nome da região foi alterado de 北京 (Beijing/Pequim) para 北平(Beiping/Peiping), sendo mais tarde restaurado à forma original].

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.