Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Apagão na Venezuela: Quanto tempo vai durar?

Durante quase um dia inteiro, a maior parte da Venezuela ficou sem eletricidade.

Desde as 4h50 da tarde (hora local) do dia 7 de março de 2019, começaram grandes cortes de energia que na capital, Caracas, e ao menos em mais 22 estados deixaram vários domicílios, lojas, serviços públicos e hospitais sem eletricidade. Desde a madrugada de 8 de março, os jornalistas e cidadãos do país que podiam usar dados móveis começaram a informar on-line que os geradores e outras reservas auxiliares de energia estavam acabando.

Funcionários do governo do combatido presidente Nicolás Maduro diziam que a interrupção do fornecimento elétrico era resultado de uma “sabotagem”, que qualificam como “guerra elétrica”, ​​perpetrada pelo líder opositor Juan Guaidó, com apoio do governo dos Estados Unidos. Guaidó respondeu que a “única sabotagem aqui é a feita pelo usurpador do povo venezuelano”, em alusão ao presidente Nicolás Maduro, a quem os líderes opositores acusam de ter “usurpado” a presidência por meio de um processo eleitoral ilegítimo.

Os apagões não são nenhuma novidade na Venezuela: em meio à crise econômica, social e política que afeta o país nos últimos anos, os cidadãos enfrentam frequentes interrupções de fornecimento. Mas o amplo alcance desta vez e sua duração são únicos.

Além de deixar os residentes sem luz, refrigeração, tecnologia médica e transporte ferroviário, o apagão também mergulhou o país em uma quase total paralisação dos sistemas de comunicação.

Voltando às origens. No bairro perto de casa acenderam uma fogueira depois de mais de 6 horas de apagão.

A organização de testes técnicos NetBlocks, que mede as conexões da internet e as interrupções de energia em países de todo o mundo, publicou os resultados que demonstram o colapso de atividade na rede e, também apresenta alguns dados concretos causados pelo impacto desses cortes de conexão.

Rede de conectividade da Venezuela, março de 2019. Imagem via Netblocks.

Os protestos públicos e os enfrentamentos entre militares e aliados de Maduro e os líderes da oposição apoiados pelos Estados Unidos chegaram como ondas desde meados de janeiro, quando Guaidó desafiou abertamente a legitimidade de Maduro e se declarou presidente interino por razões constitucionais.

Leia a cobertura especial da Global Voices sobre a crise na Venezuela.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.