Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Para acabar com veto da FIFA, Iraque recebe Arábia Saudita pela primeira vez em 40 anos

Estádio Internacional de Basra, Basra, Iraque. Foto de Yesar Al-Maleki via Wikimedia (CC BY 3.0)

Em fevereiro de 2018, o Iraque recebeu a Arábia Saudita para um jogo de futebol pela primeira vez em quase quatro décadas. O amistoso entre as duas seleções aconteceu em Basra, sul do Iraque, com a presença de 65.000 expectadores.

Embora a vitória do Iraque por 4 a 1 tenha sido motivo de comemoração, as autoridades locais de futebol visavam um outro tipo de vitória. O Iraque estava proibido pela Fifa, entidade responsável pela gestão do futebol internacional, de receber jogos oficiais entre nações desde a invasão do vizinho Kwait em 1990, que levou o país a um embargo internacional. Em agosto de 1990, o Iraque invadiu o Kwait e ocupou o território por sete meses, até que uma coalizão de países pertendente às Nações Unidas, liderada pelos Estados Unidos, interviesse para expulsar o exército iraquiano. A ação ficou conhecida como a primeira Guerra do Golfo.

Embora a Fifa tivesse liberado o Iraque para sediar jogos amistosos, o país continuou impedido de disputar as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 em seu território.

As autoridades iraquianas torciam para que os amistosos, a renovação dos estádios e o banimento de armas demonstrassem que o Iraque tem infraestrutura e é suficientemente seguro para que se colocasse um fim na proibição de sediar jogos oficiais. O presidente da Fifa, Gianni Infantino, foi convidado para a partida, mas não compareceu. As autoridades mantinham a esperança de que a Fifa autorizasse a realização de jogos oficiais em março de 2018.

“Espero que esse jogo inspire outras seleções a visitar o Iraque, o que nos ajudaria a reforçar nosso pedido junto à Fifa de liberação da realização de jogos oficiais em nossos estádios”, explicou, Abdulhussein Abttan, o Ministro dos Esportes do Iraque, em uma entrevista à Agência AFP na ocasião.

Abttan contava também com a influência da Arábia Saudita e outros países do Golfo para ajudar a causa. “A política está presente em todas as áreas e a Arábia Saúdita tem grande peso político. Também contamos com as seleções do Barhein, Catar e Irã, que têm muita influência política nos esportes.”

O Xeique Hamad al-Thani, presidente da Associação de Futebol do Catar, expressou publicamente seu apoio à retirada da proibição.

Diplomacia futibolística

Nos últimos anos, o Iraque e a Arábia Saudita começaram uma reaproximação histórica depois de décadas de tensão.

Os dois países reataram relações em 2016, quando a embaixada saudita foi reaberta em Bagdá, e as duas nações deram importantes passos para continuar a aproximação. Em 2018, a Arábia Saudita planejava abrir consulados em Basra e Najaf e havia reaberto a fronteira Arar para promover o comércio. Em um esforço para a reconstrução do Iraque após a devastadora guerra, a Arábia Saudita também doou US$ 1 bilhão através do Fundo Saudita para o Desenvolvimento.

Embora a diplomacia política e econômica reate laços, foi a diplomacia futebolística que primeiro aproximou as duas nações no âmbito pessoal. Os iraquianos sedentos por futebol apreciaram a visita da seleção saudita a Basra já que puderam assistir pessoalmente a um jogo de nível internacional e ao mesmo tempo clamar pela retirada da proibição.

O Iraque não enfrentava a Arábia Saudita em seu próprio território desde 1979, um ano antes da devastadora guerrar Irã-Iraque, o que fez do evento um feito notável para os fãs iraquianos de futebol. Antes do jogo, Arkan Taqi, morador de Baçará, começou uma campanha em uma mídia social usando a hashtag دارك_يالاخضر#, que se traduz como “Verdes, vocês estão em casa”, garantindo uma recepção calorosa e acolhedora para os sauditas.

Uma criança iraquiana desenha a bandeira do país no rosto com as palavras “Verdes, vocês estão em casa”, de uma campanha de boas-vindas para a seleção saudita feita em uma mídia social. Foto de Al Riyadiy, tirada por Abdulrahman Meshbib.

Iraquianos empunham bandeiras saudita e iraquiana com um amor jamais visto nos últimos 30 anos.

Um iraquiano segura um cartaz que diz: “Seremos irmãos para sempre.”

#Verdes, vocês estão em casa

A hospitalidade iraquiana não passou despercebida pelos sauditas ao expressar agradecimentos.

Muito obrigado pelas calorosas boas-vindas à seleção saudita, isso não é uma surpresa vindo do grandioso povo iraquiano.

Maldigam a impressa corrupta que divulga uma imagem ruim do Iraque. Os ingressos esgotaram e nossa seleção foi calorosamente recebida. Obrigado e que Deus proteja o Iraque e seu povo.

Revisado por Nina Jacomini


Nota da revisora:
O veto da Fifa ao Iraque chegou ao fim em março de 2018.

 

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.