Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

‘Operação Sai da casa da Velha': o protesto social que espelha os problemas dos jovens angolanos

Fernanda Januário NGuami Maka faz uma demonstração da campanha | foto usada com permissão da autora

Depois do fenómeno denominado “acaba de me matar”, os angolanos acabam de criar a operação “Sai da casa da velha” (a expressão velha significa mãe em Angola), cujo objectivo é chamar atenção dos jovens sobre a necessidade de sairem da casa dos seus progenitores.

Essencialmente, o desafio é caracterizado por imagens de jovens a sairem da casa dos pais, um acto que é justificado por alguns aderentes como forma de protesto e cobrança de responsabilidades aos jovens sobre a importância da sua independência pessoal, bem como alerta aos mesmos sobre a não dependência dos pais.

A encenação envolve jovens que mostram através de imagens a arrumação dos seus pertences e a despedir-se da família, dando a entender que estes agora tomam o rumo certo em deixar de ser tutelados pelos pais.

Nas imagens é possível ver a encenação de jovens que levam consigo malas de roupas, ventiladores, calçados, botijas de gás de cozinha, demostrando que tem um novo lar, deixando os pais com menos responsabilidades para cuidar de quem pode trabalhar para sustentar-se a sí mesmo.

Um movimento causado pela precariedade de vida dos jovens em Angola

Nota-se que a campanha procura levar uma crítica aos jovens que não fazem planos de vida para constituir um futuro melhor a nível familiar, profissional e académico por forma a tornarem-se autónomos das responsabilidades dos pais.

As cenas do protesto remetem às dificuldades de vida que muitos jovens em Angola enfrentam em se tornarem autónomos dos seus progenitores por questões de crise económica e financeira que assola várias famílias, tal como o desemprego juvenil que actualmente situa-se em 46%.

Por exemplo, no dia 21 de Julho de 2018, centenas de jovens marcharam em sete das 18 províncias contra elevado índice de desemprego, exigindo o cumprimento das promessas feitas pelo actual Presidente da República, João Lourenço, durante a sua campanha eleitoral em criar 500 mil postos de trabalhos.

Ademais, Fernanda Januário NGuami Maka, estudante de comunicação na Universidade Privada de Angola, que aderiu a campanha com partilhas de imagens suas dando conta que está a deixar a casa dos pais, justificou que a campanha é certamente uma forma de protesto da situação actual dos angolanos refutando que ela têm a ver com o aspectos apenas humorísticos:

Entenda mano (a).

Este tema que muitos apenas o olham pelo lado cómico é uma forma de protestar a situação actual do povo Angolano. Os jovens Angolanos na sua maioria adultos ainda vivem sobre tutela dos Pais motivo pelo qual entenda o verdadeiro sentido do tema “SAI DA CASA DA VELHA”

Tira-me da casa da velha vc que estás a piorar a vida dos jovens na desgraça. Tira-me da casa da Mãe vc que na abundancia só se preocupou com o desvio do erário público.

Tira-me daqui, vc que só está preocupado comigo quando precisas do meu voto. Tira-me da casa da Mãe, vc que não consegue construir escolas mais vive dizendo que estas a combater o analfabetismo.

Me tira daqui porra vc que não cria políticas de emprego + continuas a corres com as zungueiras, vc que aproveita da farda para extorquir os taxistas.

Porém, Tatiana Pinheiro e Ilda Calandula, estudantes na Universidade Independente de Angola, disseram-nos em forma de entrevista que não é de todo mau ter jovens que não desejam sair da cada dos pais por razões meramente culturais:

Há questões culturais que estão patentes em algumas grupos étnicos que podem estar na base de muitas famílias não permitirem com que os seus membros festejem longe deles.

Ou seja, há uma raiz familiar e cultural, que pode ser vista a nível da construção de habitações que sirva para toda a família em um só espaço físico, num quintal com maior dimensão para estes serem repartidos em pequenas residências onde todos podem viver.

Porém, Graça Isabella Sebastião, mais uma jovem que aderiu e apoia o movimento, escreveu na sua página Facebook como se estivesse desperada e sem rumo:

Operação saír da casa da velha: Alguém aí de boa fé pra me acolher, nesse momento estou na rua chorando sem saber onde ir.

Enquanto isso, Lassaleth Placia, jovem residente num dos bairros de Luanda, mostrou através de várias imagens a simulação de estar a deixar a casa dos pais, referindo que saia com a sua garrafa de gás de cozinha que supostamente comprou, dando a entender que é sua pertença:

Operação sai da casa da velha: eu saio, Mas levo a minha botija.

Cheila Manuel Cheila ironizou numa das publicações que não queria sair de forma coerciva e antecipou a chegada da polícia em sua casa:

Operaçaõ sai da casa da velha em vigor. Deixa sair antes que a polícia vem me tira, estou a chorar naõ tenho pra onde ir.

Sabe-se, igualmente, que vários grupos foram criados no Facebook intitulados “Operação Sai Da Casa Da Velha”, aos quais estão abertos para quem queira fazer parte.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.