Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Russos ficam eufóricos com o início da Copa do Mundo, apesar das iminentes reformas previdenciária e tributária

Torcedores russos e estrangeiros comemoram juntos após a vitória do anfitrião sobre a Arábia Saudita na abertura da Copa, em 14 de junho. Foto: Captura de tela/Youtube DW

A Copa do Mundo começou oficialmente no dia 14 de junho, com os organizadores esperando um milhão de visitantes irem para a Rússia, apesar de vários países emitirem advertências contra a viagem para o anfitrião desse ano.

Alguns desses visitantes relataram que ficaram bastante impressionados com a infraestrutura em Moscou, onde ocorreu o jogo de abertura da Copa. Com as autoridades públicas da capital despejando milhões de rublos (moeda russa) nas renovações urbanas dos últimos anos, essa reação não é surpreendente.

Exibindo o efeito do poder de influência para o resto do mundo, como os russos  estão reagindo à entrada massiva de multidões eufóricas de estrangeiros?

Se a mídia social é um bom indicador, nada mal: os russos estão de bom grado se juntando à festa, tanto nas ruas como on-line.

Assim como o resto do mundo, eles parecem gostar particularmente dos torcedores peruanos — a equipe sul-americana não jogava em uma Copa do Mundo desde a Copa de 1982, na Espanha.

Os peruanos são os melhooooores!

Ainda faltam alguns dias para o início da Copa do Mundo, mas os torcedores já estão comemorando em Moscou. Os argentinos e os árabes dançam na rua Nikolskaya, enquanto os peruanos e os iranianos cantam na Tverskaya. Os moscovitas estão filmando e se juntando a eles.

Mas nem todo mundo está na expectativa pela enorme multidão de torcedores de futebol. Desde o final de 2017, estudantes da Universidade Estatal de Moscou têm se oposto ao plano da FIFA de estabelecer em seu campus um dos locais para a Fan Fest.

As instalações da Fan Fest da FIFA — ou a fan zone [zona de torcedores], como é chamada em russo — são espaços com grandes telas, onde as multidões podem assistir aos jogos gratuitamente, e estão espalhados por toda a Rússia. Os estudantes universitários afirmam que multidões barulhentas no campus representam um incômodo auditivo e um risco à segurança, dada a propensão dos torcedores de esportes a ficarem bêbados.

Os estudantes relataram estarem sujeitos ao assédio dos oficiais de segurança do Estado e da administração da universidade ao longo da campanha, que acabou sendo parcialmente bem sucedida: os organizadores concordaram em transferir a zona dos torcedores para 30 metros distante do local originalmente planejado, embora ainda, tecnicamente, dentro da universidade.

Um dos organizadores da campanha afirmou:

Когда мое имя впервые «засветилось» в списках Инициативной группы, у меня состоялся неприятный разговор с инспектором курса в учебной части и с председателем профкома на тему фан-зоны. Мне прямо сказали, что отчисление — это не пустые угрозы.

Quando meu nome apareceu pela primeira vez nas listas do grupo de ação, tive uma conversa desagradável sobre a zona dos torcedores com o inspetor administrativo e um representante do comitê sindical local. Eles me disseram abertamente que a expulsão não era apenas uma ameaça vazia.

Uma notícia mais leve: um turista ficou preso em um banheiro improvisado, o que parece quase como uma lembrança dos infames vasos sanitários duplos dos banheiros de Sochi, em 2014.

preso em um banheiro do estádio em Moscou batendo na porta mas ninguém vem me socorrer manda ajuda

Alguns observadores notaram um duplo critério no tratamento de torcedores visitantes e de cidadãos russos pelas autoridades:

Torcedores do Uruguai desdobram uma faixa no centro de Moscou. Vale a pena notar que oposicionistas foram presos neste mesmo lugar por sustentar, como prática de liberdades civis, pedaços de papel em branco.

Apenas alguns dias antes do inicio dos jogos, um único piqueteiro foi preso por segurar um cartaz que dizia: “No dia da Rússia, exigimos liberdade. A revolução está chegando. Boicotem a Copa do Mundo”.

“Agora que tenho a sua atenção…”


A abertura da Copa do Mundo coincidiu com o anúncio de uma reforma previdenciária na Rússia.

Há muito tempo, rumores estavam em andamento e o governo russo declarou oficialmente sua intenção de elevar a idade mínima de aposentadoria para até 65 anos para os homens e até 63 anos para as mulheres. A idade atual de aposentadoria é de 60 anos para os homens e de 55 anos para as mulheres. 

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, também revelou planos de elevar o imposto nacional sobre bens e serviços de 18% para 20%. 

Usuários do Twitter responderam com humor:

😎
|👐
/
━━━━━┓ \\
┓┓┓┓┓┃. sua
┓┓┓┓┓┃ ヽaposentadoriaノ
┓┓┓┓┓┃   /
┓┓┓┓┓┃ ノ)
┓┓┓┓┓┃

Quando fiz 22 anos, tive uma festa de “33 anos até a aposentadoria” e, no meu ponto de vista, minha festa de 30 anos no ano que vem terá o mesmo tema.

Outros observaram o timing coincidente desses anúncios:

“O projeto de lei do aumento de idade de aposentadoria será introduzido no dia da abertura da Copa do Mundo.”
Um clássico do gênero: enquanto as pessoas assistem à Copa do Mundo boquiabertas com apitos e vuvuzelas, “os representantes do povo” aumentarão a idade de aposentadoria para essas mesmas pessoas. Basicamente, é o que está acontecendo.👇

A Copa do Mundo termina no dia 15 de julho, com seus 64 jogos acontecendo em 11 cidades russas — aqui está um guia da história da cultura de cada uma delas.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.