Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Com álbum de figurinhas em alta, peruanos comemoram classificação para Copa do Mundo após 36 anos de ausência

A página da seleção peruana do álbum Panini, que inclui a cobiçada figurinha de Paolo Guerrero. Imagem da autora, usada sob permissão.

Desde o final de março de 2018, em Lima e outras cidades peruanas se veem longas filas que despertam a curiosidade de todos, exceto dos fãs de futebol. A resposta está em um fato muito celebrado ocorrido alguns meses atrás.

Em 15 de novembro de 2017, o futebol peruano conseguiu o que para muitos era apenas um sonho: a seleção se classificou para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Os fãs do futebol peruano podem ver a equipe nacional participar de um mundial após 36 anos de ausência.

Naquele dia, a euforia, a alegria e a emoção foram tão grandes que o Instituto Nacional de Geofísica registrou um leve tremor de terra no instante em que Jefferson Farfan marcou o primeiro gol contra a seleção da Nova Zelândia.

O Instituto Geofísico do Peru, entidade responsável pela detecção de desastres naturais de potencial destrutivo, informou na ocasião:

El júbilo unánime de los aficionados que se encontraban en el Estadio Nacional hicieron [sic] vibrar el suelo de Lima y los acelerómetros registraron amplitudes del sacudimiento del suelo equivalentes a un microsismo, de magnitud aproximada de 1 (imperceptibles para las personas) en la escala de Richter.

A alegria coletiva dos fãs que estavam no Estádio Nacional fez vibrar o solo de Lima e os acelerômetros registraram uma amplitude de tremor equivalente a um microssismo de magnitude aproximada de 1 grau na escala Richter (imperceptível para as pessoas).

Alguns meses depois da euforia inicial, a empresa Panini lançou o seu tradicional álbum de figurinhas em duas edições, uma especial de capa dura e outra tradicional. O lançamento foi em 22 de março.

Os álbuns de capa dura desapareceram dos pontos de vendas em poucas horas. Já os cromos, ou figurinhas, como são conhecidas no Peru, começaram a ficar escassas poucos dias depois:

[…] Panini no esperó la gran acogida del álbum por lo que el stock seleccionado para nuestro país quedó corto en tan solo unos días. No pasó ni una semana para que el coleccionista peruano se quede sin oportunidad de conseguir este tradicional cuadernillo de la Copa del Mundo.

[…] A Panini não esperava tamanha receptividade do álbum, por essa razão a cota para nosso país não foi suficiente e se esgotou em pouco tempo. Em menos de uma semana, o colecionador peruano não conseguiu mais encontrar a publicação tradicional.

Esse rápido desabastecimento causou filas longas e aborreceu os torcedores peruanos:

Um homem segurando um álbum e um pacote de 100 figurinhas negociáveis.

Álbum Panini: fãs da seleção bicolor amanheceram em longas filas para comprá-lo.

No começo de abril, a empresa anunciou a chegada de um novo lote para os dias seguintes. Oscar Pizarro, representante da Panini no país, salientou que a grande demanda por pacotes de figurinhas para troca e por álbuns da Copa do Mundo da Rússia 2018 gerou um desabastecimento incomum em todos os pontos de venda. Em entrevista concedida a uma rádio, Pizarro comentou que em 10 dias de comercialização foram vendidas 140 toneladas de pacotes de figurinhas. Só para se ter uma comparação, para a Copa do Mundo do Brasil, em 2014, foram vendidas 40 toneladas durante todo o período de comercialização do álbum.

Pizarro também declarou que houve uma demanda desde o primeiro dia, quando a empresa recebeu a informação que seus distribuidores venderam entre 5.000 e 10.000 álbuns em 27 minutos:

Nosotros habíamos calculado el primer lote, que fue el doble de lo que se vendió en toda la campaña anterior, para que dure dos semanas, pero duró horas. Tengo la data de que del 22 de marzo al 2 de abril de 2018 ya se habían colocado en el mercado 140 toneladas de sobres. En solo 10 días, hay una situación de escasez porque no había manera de calcular esto.

Havíamos calculado o primeiro lote, o dobro do que havia sido vendido em toda a Copa de 2014, para que durasse duas semanas, mas durou apenas algumas horas. Eu tenho informação de que, de 22 de março a 2 de abril de 2018, 140 toneladas de pacotes já tinham sido colocadas no mercado. Em somente 10 dias, criou-se uma situação de escassez porque não havia nenhuma maneira de prever isso.

No começo de abril, a Panini se pronunciou pelo Facebook:

La gran demanda que ha generado la participación de Perú en el Mundial ha logrado un nuevo hito en la historia de ventas de álbumes mundialistas en el país, 36 años de espera han superado largamente la demanda generada y estamos orgullosos de ser parte de una hinchada tan comprometida con la selección.

A grande demanda gerada pela participação do Peru na Copa da Rússia fez um novo marco na história das vendas de álbuns de mundiais no país. Trinta e seis anos de espera fizeram com que a demanda esperada fosse amplamente superada e estamos orgulhosos de fazer parte de uma torcida comprometida com a seleção nacional.

Os apaixonados torcedores peruanos usaram o Twitter para expressar suas frustrações e opiniões sobre o álbum Panini:

Panini: esse é o cronograma de abastecimento das figurinhas para o Peru.

Torcedores de outros países compartilham a alegria de ver a seleção peruana no Mundial da Rússia de 2018:

Tem 25 anos que eu coleciono figurinhas do álbum #Panini e é a primeira vez que vejo uma de um jogador do Peru. Felicidades, peruanos. Sorte no mundial.

Alguns sugeriram aproveitar a oportunidade para promover a leitura:

E se você fosse obrigado a ler um livro antes de poder comprar um álbum Panini? Talvez nosso Peru começasse a ter oportunidades melhores!

E outros falaram da emoção de juntar as figurinhas e completar o álbum:

Álbum Panini: a emoção pelo futebol traduzida em figurinhas.

Não faltou quem notasse o contraste entre a grande comoção causada pelo álbum e o pouco interesse que gerou a renúncia do até então presidente Pedro Pablo Kuczinsky (conhecido como PPK) à presidência do Peru, em 21 de março, um dia antes do lançamento do álbum:

Mídia estrangeira: CRISE TOTAL no Peru após a renúncia do presidente!
No Peru:
— Ei, PPK renunciou.
— Ah. Que horas é o jogo do Peru na sexta-feira?
— Às 7h30m.
— Você tem o álbum?
— Panini?

Situação atual do Peru:
“O que você acha da renúncia de PPK?”
“Eu já tenho meu álbum Panini.”

Não faltaram os memes:

Álbum Panini da Copa do Mundo da Rússia 2018: memes após o lançamento no Peru.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.