Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Incêndio em Portugal mobiliza uma forte corrente solidária em prol das vítimas

Incêndio em Portugal deixou 64 mortos. Foto: Screenshot/YouTube

Em Portugal, os incêndios florestais deflagrados em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e em Góis, no distrito de Coimbra, provocaram 64 mortos, todos civis excepto um bombeiro, e 204 feridos, dos quais sete graves, de acordo com o balanço oficial das vítimas, o que levou ao decreto de 3 dias de luto nacional.

Acompanhado por todo o mundo, este é classificado como o incêndio mais mortífero de Portugal dos últimos 50 anos, causado provavelmente por um raio que atingiu uma árvore.

Após o sucedido, várias pessoas se mobilizaram para dar o seu apoio.

Num concerto designado ”Juntos por todos”, vários artistas e personalidades públicas se juntaram e ajudaram a mobilizar mais de um milhão de euros para as vítimas do incêndio.

Vinte e cinco artistas que se disponibilizaram a custo zero para actuar para um público de 14 mil pessoas. O concerto também foi transmitido ao vivo pelas três principais emissoras de TV do país e diversas rádios.

O governo de Timor Leste, país da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e com menor baixo poder económico, aprovou uma ajuda às vítimas em mais de um milhão de euros, segundo deu conta o portal TVI 24:

O governo timorense aprovou esta terça-feira um pacote de assistência de 1,5 milhões de dólares (1,33 milhões de euros) em ajuda humanitária para apoio às vítimas dos incêndios florestais deste mês em Portugal.

Avelino Coelho, secretário de Estado do Conselho de Ministros, disse aos jornalistas que a decisão foi aprovada na reunião desta terça-feira do Governo que renovou os votos de pesar para os familiares das vítimas dos fogos. Os fundos serão contabilizados no componente de apoio humanitário do Orçamento do Estado de 2017.

Em meio à tragédia, uma família de ingleses albergou em sua casa mais de 15 pessoas que fugiam das chamas em Pedrógão Grande.

Num apelo lançado pelo bastonário da Ordem dos Médicos de Portugal, mais de uma centena de médicos também se juntou em apoio às vítimas:

Mais de uma centena de médicos voluntariou-se já para ajudar as vítimas dos incêndios na zona centro do país e também os médicos militares lembram que estão disponíveis e têm preparação específica neste tipo de cenários.

Um camião de 40 toneladas com medicamentos, roupa e produtos de higiene oferecidos por emigrantes portugueses no Luxemburgo:

Mais uma vez COMO PROMETIDO, o camião já está à caminho de Portugal, o nosso colaborador e colega desta vez está na fotografia e se não houver nada em contrário quarta-feira paragem nos Bombeiros Mortagua e à seguir Santa Casa Misericórdia Pedrograo Grande e Santa Casa Misericórdia Figueiró dos Vinhos. Não podemos esquecer de agradecer a TT Luxembourg (DAF LUXEMBOURG) ,que nos emprestou o camião (trator) para podermos fazer esta viagem para ajudar o nosso povo português. Obrigada a todos.

Tiago Pires, português e renomado surfista, lançou uma campanha no Facebook para reunir apoios:

Acabei de começar um leilão solidário com a eSolidar onde todo o dinheiro que angariarmos vai direto para as vitimas do incêndio de Pedrogão Grande. Conto com todos vocês. Obrigado.

João Cajuda, um bloguista português com milhares de seguidores, deixou os passos para quem quisesse ajudar:

Quero relembrar que qualquer ajuda é importante.

Existem muitas formas de ajudar todos aqueles que estão a sofrer com esta tragédia, uma delas é contribuir com um donativo para a Conta Solidária Caixa, visitem o site da Caixa Geral de Depósitos para terem acesso ao Iban.

Salvador Sobral, o vencedor do Festival Eurovisão 2017, decidiu doar o preço da venda dos seus discos aos afectados pelo incêndio:

Perante a ferocidade da mãe natureza, cabe a cada um fazer o melhor que sabe e pode para minimizar o sofrimento das populações do Pedrógão Grande. O Salvador Sobral hoje actua em Ourém e colocará a música ao serviço de quem precisa de ajuda para se reerguer: a receita de todos os discos que estarão à venda no átrium do Centro de Negócios onde decorre a Expourém esta noite, reverterá inteiramente para a população do município do Pedrógão Grande.

Nuno Markl, humorista, escritor, locutor de rádio, apresentador de televisão e argumentista português, anunciou que em menos de seis horas se conseguiu arrecadar mais de 5000 Euros de ajuda através de uma plataforma:

A plataforma de crowfounding criada por Sérgio Gonçalves e Tiago Cação em solidariedade com as vitimas do Incêndio do Pedrógão Grande, atingiu, em menos de seis horas, o limite por eles inicialmente proposto: 5000 mil euros. É para continuar.  A própria plataforma, PPL Causes, que se disponibilizou de imediato a aprovar a campanha em tempo record, acabou de aumentou o teto para as doações.

A sociedade civil deve unir-se. É uma tragédia sem paralelo no nosso país, é uma obrigação de todos nós continuar a ajudar. Os fundos serão distribuídos assim que seja possível visitar a região afectada, em segurança, e sem colocar em causa o trabalho dos nossos operacionais, heróis, que continuam no terreno a combater o incêndio. Esperamos que assim seja possível, rapidamente.

Grandes clubes de futebol do país, desde Benfica, Sporting e Futebol Clube do Porto, se juntaram também ao movimento solidário:

O FC Porto vai associar-se ao auxílio a Pedrógão Grande e outros dois concelhos de Leiria, na sequência do incêndio que já fez mais de 60 vítimas mortais e que resulta numa das maiores tragédias de sempre no nosso país.

Assim, e juntamente com a Unicer e a Casa do FC Porto de Cantanhede, o clube vai, para já, enviar um camião de transporte de água para a região, acreditando com isto estar a dar um contributo premente a todos aqueles que têm lidado de perto com o inferno das chamas.

Um dos maiores órgãos de informação escrita de Portugal, Jornal Público reuniu, em um artigo vários mecanismos promovidos por entidades públicas e privadas, pessoas colectivas e singulares, sobre possíveis passos para prestar ajuda aos necessitados.

De Moçambique, vieram as palavras de consolo e amizade do professor universitário José Jaime Macuane, que de certa forma questionava o silêncio dos moçambicanos:

Será que algo me escapou, ou as palavras de solidariedade, aqui no facebook, pela tragédia de Pedrógão Grande, aos nossos amigos/irmãos portugueses, são muito austeras? Pensei que a identificação fosse para além dos momentos alegres do futebol. Meus sentimentos aos nossos irmãos/amigos portugueses.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.