Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Homens calvos estão a ser raptados e mortos em Moçambique

A polícia de Zambézia alertou a população que homens carecas em Moçambique podem ser alvo de ataques. Foto: Anders Bolin/Flickr, CC-BY-NC 2.0

Um novo fenómeno de rapto de pessoas calvas para tráfico de parte dos seus órgãos, supostamente para fins supersticiosos, esta a preocupar a polícia da província moçambicana da Zambézia, cujo governo iniciou uma série de operações para impedir a prática.

No início do mês, três homens foram mortos no distrito de Milange, a poucos quilómetros da fronteira com o Malawi. Uma das vítimas foi encontrada decapitada e com parte de seus órgãos removidos. Dois homens foram presos e em seguida confessaram que os órgãos seriam usados por curandeiros na Tanzânia e no Malawi.

De acordo com o porta-voz da polícia de Zambézia, há superstições locais que sustentam que a cabeça de um homem calvo contém ouro ou pode trazer riquezas.

Esta é a primeira vez que Moçambique regista ataques sucessivos a homens calvos.

Outro grupo alvo de assassinatos para fins obscuros são pessoas portadoras de albinismo, levando a ONU, em 2016, a conduzir uma missão no país para investigar a prática. A perseguição a pessoas com albinismo é comum em outros países da África Austral, em particular a vizinha Tanzânia, onde o governo tem vindo a desenvolver campanhas para combater a superstição e o preconceito.

Ukombe Weya, residente na cidade de Maputo, deixou um aviso para aqueles que pretendam viajar ao país:

Atenção Homens calvos viajando para Moçambique

Homens calvos em Moçambique estão sendo alvo de ataques rituais, alertou a polícia Moçambicana, após o recente assassinato de três homens calvos para as partes dos seus corpos. Dois suspeitos foram presos no distrito central de Milange, onde ocorreram os assassinatos.

Hussene Algy Adamo, estudante e residente na Cidade de Inhambane, sul de Moçambique, disse que a polícia local já está a tratar do caso:

PRM acredita no envolvimento de curandeiros na morte de homens calvos vulgo carecas.

A perseguição e assassinato de indivíduos calvos para a extracção e venda dos seus órgãos, no distrito de Morrumbala, província da Zambézia, para presumíveis rituais supersticiosos, tem motivações culturais e é encomendada pelos médicos tradicionais, considera a Polícia da República de Moçambique (PRM), que indica, também, existir uma crença segundo a qual as vítimas têm, na cabeça, algum poder que gera fortuna. Nos últimos dias, pelos três homens com problemas de calvície foram mortos naquela parcela do país.

Angela Ferreira Samantha, partilhou a crónica do bloguista Armen Snaippa a relatar o facto:

EU QUERIA UM MOÇAMBIQUE COM VERGONHA NA CARA

Um país onde as pessoas tivessem vergonha de sair a rua vestidas como se fossem a gravação de um filme porno, onde os professores tivessem vergonha de pedir sexo em troca de notas e as alunas de oferecer sexo em troca de notas, emprego e outros benefícios, uma nação onde as pessoas procurassem empregos honestos e não tivessem que ferir ou mesmo tirar a vida dos outros para ganhar o seu pão, um país onde não se caçassem nem albinos e nem calvos ou carecas para práticas obscuras ou de “magia negra” visando o enriquecimento fácil.

Apesar da gravidade do fenómeno, alguns não perderam a piada. Zenaida Machado, investigadora da Human Rights Watch para Angola e Moçambique e ávida usuária do Twitter, também se referiu ao caso:

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.