Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Apesar da repressão política, protestos continuam a propagar na Venezuela

Arte: Leonardo González. Reproduzida com permissão do autor.

Protestos estão propagando na Venezuela, o número de mortes continua a aumentar, e a crise entre o governo e a oposição está fora de controle.

Tanto a Guarda Nacional da Venezuela quanto as milícias patrocinadas pelo governo foram acusadas de tentativas de homicídio. Usuários nas redes sociais e ONGs também documentaram diversos casos de violações de direitos humanos. De acordo com uma investigação feita pela a Anistia Internacional na Venezuela, a polícia está levando manifestantes aos tribunais militares, onde eles podem ser detidos sem indícios:

Las autoridades venezolanas están utilizando el sistema de justicia de manera ilegal para incrementar la persecución y los castigos contra quienes piensan diferente [Acciones ilegales con el fin de reprimir] incluyen las detenciones sin órdenes judiciales por parte del Servicio Bolivariano de Inteligencia Nacional (SEBIN), el procesamiento de activistas pacíficos por delitos “contra la patria” y la imposición de medidas de prisión preventiva sin justificación y campañas difamatorias en medios de comunicación contra miembros de la oposición, entre otras medidas.

As autoridades venezuelanas estão utilizando o sistema jurídico de uma maneira ilegal para incrementar a persecução e os castigos contra aqueles que demonstram opiniões contrariantes. [As repressões ilegais] incluem detenções sem ordens judiciais pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (SEBIN), o indiciamento de ativistas pacíficos por delitos “contra a pátria”, a imposição de um sistema de prisão preventiva (sem justificações), campanhas midiáticas difamatórias contra membros da oposição, entre outras medidas.

Enquanto a instabilidade se espalha, internautas circulam imagens vívidas das manifestações. Por exemplo, uma mulher com o pseudônimo de “Maria José” (utilizado para proteger sua identidade) recriou a cena icônica da Praça de Tiananmen, barrando a passagem de um tanque militar da Guarda Nacional Bolivariana.

Hans Wuerich demonstrou sua coragem de uma forma diferente. Ele marcou sua presença nos protestos completamente nu (somente usando sapatos e meias) e com uma bíblia em suas mãos. Ele foi atingido com várias balas de borracha pela polícia não muito depois.

A hashtag “podia ter sido eu,” (#PudeHaberSidoYo) foi disseminada nas redes sociais, também sendo usada como ‘slogan’ de um grupo de artistas que protestava em frente da sede da Defensoria Pública.  A frase foi criada por Yibram Saab Fornino, filho do Ombudsman Venezuelano Tarek William Saab, que tinha feito um vídeo suplicando ao pai que parasse a repressão policial dos manifestantes, mencionando principalmente o caso de Juan Pernalete, que tinha morrido após ser atingido por uma bomba de gás lacrimogêneo:

Condeno la brutal represión por parte de los cuerpos de seguridad de la nación de la cual fui víctima el día de hoy, como [también lo fue] el joven Juan Pablo Pernalete, de 20 años de edad, estudiante universitario a quien le quitaron la vida debido al terrible e inhumano uso los gases lacrimógenos, luego de que sufriera un impacto en el pecho. Ese pude haber sido yo.

Eu condeno a repressão brutal da nação pelas forças de segurança, pela qual eu fui vítima hoje, [como] o universitário de 20 anos Juan Pablo Pernalete. Tomaram a vida dele com uso inumano de gases lacrimogêneos, logo que foi atingido no peito. Podia ter sido eu.

Internautas também circularam imagens de pessoas nos protestos, inclusive um vídeo popular com um homem tocando um cuatro (um instrumento musical tradicional na Venezuela), que inspirou a campanha online #AdoptaUnCivil (“Adote um cidadão”). O movimento compartilha os nomes e as profissões dos manifestantes, com a intenção de demonstrar a participação política e comunitária do público venezuelano. O maior objetivo da campanha era de destacar um lado diferente da típica narrativa da história política nacional, normalmente dominada por homens militares.

Gosto muito dessa ideia #adoptauncivil https://t.co/1IaEwjbPig

#AdoptaUnCivil José Ignacio Cabrujas. De sua fina caneta veio uma das descrições mais sensatas do que é ser um venezuelano.

Protestantes que esperavam uma intervenção internacional tiveram más notícias no mês passado: o governo planeja sair da Organização dos Estados Americanos.

Siga a nossa cobertura da Venezuela, com mais informações sobre os últimos eventos, na nossa página especial

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.