Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Do sofrimento para as estrelas: para estas crianças latino-americanas, o lixo não ficará no caminho da música

La orquesta de instrumentos reciclados de Cateura, Paraguay, durante un concierto en Washington DC. Foto tomada de la cuenta en Flickr de la OEA bajo licencia Creative Commons.

Orquestra de instrumentos reciclados, de Cateura no Paraguai, durante um concerto em Washington DC. Imagem disponivel no Flickr pelo usuário OEA-OAS (CC BY-NC-ND 2.0).

O que uma escola mexicana de música da comunidade de Vicente Guerrero, no estado de Oaxaca, e as crianças paraguaias da cidade de Cateura têm em comum?

A música tocada nos dois lugares não só mudou a vida das crianças, mas também está conectada ao lixo.

Música lado a lado com o lixo

Vicente Guerrero está localizada à beira de um grande aterro sanitário, apenas 16 quilômetros ao sul de Oaxaca – uma antiga cidade colonial popular entre os turistas – mas não tanto quanto as ruínas pré-colombianas e sua cozinha mundialmente famosa. Há alguns anos, La banda de música (A banda de música) toca na comunidade. Este projeto evoluiu para uma orquestra sinfônica, composta por crianças e adolescentes que encontraram seu caminho para superar a pobreza que os cerca com instrumentos musicais:

Uma escola de música com 100 alunos transformou-se no ponto central para a comuidade de Vicente Guerrero em Oaxaca.

O jornal britânicoThe Guardian escreveu sobre o projeto:

A comunidade, em um dos estados mais pobres do México, tem a reputação de abuso de drogas e violência entre gangues. Mas está passando por uma transformação depois do feliz encontro com um piloto francês que ajudou a iniciar uma aventura musical oferecendo um raio de esperança para a juventude.

De acordo com o meio de comunicação local, Oaxaca NVI, os jovens membros da banda levam seu compromisso com o grupo musical muito a sério:

Ni bien salen de la escuela, llegan casi corriendo a sus casas, ni bien comen y se encaminan por las polvorientas calles para encontrarse con su gran pasión. Siempre llegan sonriendo, con los ojos vivaces y jugueteando, entre un gran bullicio. […] aprenden día a día a tocar con destreza la trompeta, el trombón, el flautín, el clarinete, el oboe, la flauta, la trompa, los timbales, los bongoes y las congas.

Assim que saem da escola, eles praticamente correm para suas casas e assim que terminam o almoço, passam pelas estradas empoeiradas para encontrar sua grande paixão. Chegam sempre sorrindo, com olhares alegres, brincando, fazendo rebuliços. […] Aprendem dia a dia a tocar com destreza o trompete, o trombone, o flautim, a clarineta, o oboé, a flauta, a trompa, o timbale, os bongôs e a conga.

Lixo transformado em música

A mais de 7000 quilômetros ao sul de Vicente Guerrero, as crianças de Cateura – um povado localizado praticamente no topo do principal aterro sanitário de Asunción, capital do Paraguai – tocam instrumentos feitos de materiais reciclados:

[Interpretan] obras musicales con instrumentos reciclados, fabricados a partir de residuos sólidos domiciliarios, en el taller de lutería que posee el grupo en Cateura, donde recicladores, asesorados por Favio Chávez […], han comenzado a utilizar restos de “basura” para elaborar instrumentos que emitieran sonidos musicales. Los instrumentos […] imitan a violines, violas, cellos, contrabajos, guitarras, flautas, saxofones, trompetas, trombones e instrumentos de percusión, pero construidos con basura. Entre su repertorio ejecutan música clásica, música folklórica, música paraguaya, música latinoamericana, música de los Beatles, de Frank Sinatra, entre otros.

[Tocam] obras musicais com instrumentos reciclados, fabricados a partir de resíduos domésticos sólidos na oficina de instrumentos musicais que o grupo possui em Cateura, onde recicladores sob a orientação de Favio Chávez […] passaram a usar restos de “lixo” para criar instrumentos que produzam sons musicais. Os instrumentos […] imitam violinos, violas, violoncelos, contrabaixos, guitarras, flautas, saxofones, trombetas, trombones e instrumentos de percussão, todos feitos de lixo. O repertório inclui música clássica, música popular, música paraguaia e latino-americana, os Beatles, Frank Sinatra e outros.

Num artigo para o jornal americano Los Angeles Times, Favio Chávez, um ecologista local e músico, que está ensinando as crianças de Cateura a tocar, relembra do começo:

No início, foi muito difícil poque não tinhamos um lugar para ensaiar e precisamos ensinar no mesmo lugar onde os pais trabalhavam no lixo […].As crianças não conheciam nada sorbe música e era difícil falar com os pais pois muitos deles não viviam com os filhos.

Mas tudo mudou quando mostraram ao Flavio algo que nunca havia visto antes: um violino feito de lixo. Hoje, há uma orquestra completa feita de instrumentos montados, chamada A orquestra reciclada. Um documentário chamado “Harmonia do Aterro” narrou o esforço musical:

O mundo produz cerca de dois bilhões de toneladas de lixo por ano. Aqueles que vivem com o lixo e do lixo são os pobres – como o povo de Cateura, no Paraguai. E aqui eles transformam o lixo em beleza. A “Harmonia do Aterro” acompanha a orquestra ao levar seu espetáculo inspirador de transformação do lixo em música para o mundo.

orchestra tocou sua música até mesmo para o Papa Francisco:

Ambos os grupos, bem como outros, mostram que com música as possibiliades são infinitas.