Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

José Eduardo dos Santos está fora da lista de candidatos do MPLA às eleições gerais de Angola

José Eduardo dos Santos, 74, Presidente de Angola desde 1979. Foto: Flickr oficial Michel Temer/CC-BY 2.0

José Eduardo dos Santos (JES) está fora da lista de candidatos às eleições gerais de Angola, a serem realizadas em Agosto deste ano.

A lista foi aprovada pelo Comité Central do Movimento Popular pela Libertação de Angola (MPLA) no dia 4 de Fevereiro e é encabeçada pelo actual ministro da defesa, General João Lourenço, que deve tornar-se presidente do país caso o MPLA vença o pleito eleitoral.

Em Março de 2016, durante outra reunião do Comité Central, JES já havia dito que deixaria o poder no final daquele ano, notícia que na época foi recebida com cepticismo por muitos angolanos. Nos últimos 16 anos, JES chegou a cogitar deixar o governo outras vezes, mas acabou voltando atrás. Esta é a primeira vez desde a instituição de eleições multipartidárias que JES figura fora da lista de candidatos do MPLA.

José Eduardo dos Santos está prestes a completar 38 anos na presidência de Angola e é o segundo líder africano com mais tempo no poder, ficando atrás apenas de Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, que se tornou presidente da Guiné Equatorial em Agosto de 1979 — apenas um mês antes do seu par angolano.

Sua governação é marcada por violações aos direitos humanos e censura, com jornalistas e críticos sendo frequentemente perseguidos pelo governo.

Em um caso de grande repercussão internacional, activistas conhecidos como 15+2 foram presos enquanto participavam de um grupo de estudos, acusados de tramar uma rebelião contra governo. Em Março, foram condenados em primeira instância a penas que variam de 2 a 8 anos de prisão. Em Junho obtiveram um “habeas corpus” e hoje aguardam em liberdade decisão do Supremo Tribunal ao recurso interposto pela defesa.

A notícia da saída de José Eduardo dos Santos colheu opiniões diferentes nas redes sociais. Para um dos mais famosos críticos do regime, o jornalista angolano Rafael Marques, cuja acção combativa lhe rendeu diversos processos e 40 dias na prisão, referiu que é com grande alegria e alívio que recebe esta notícia agora vinda do próprio presidente:

É com enorme sentimento de esperança que lhe escrevo novamente para, em primeiro lugar, felicitá-lo pela sua decisão de se reformar da presidência da República de Angola, após 38 anos de poder.

Muitos se interrogam sobre as razões que terão pesado na sua decisão. Desde especulações sobre o seu estado de saúde, a vontade pessoal, o esgotamento da sua imagem por causa dos escândalos de corrupção e incompetência do seu governo, a falência das suas políticas económico-sociais. Seja como for, a verdade é uma, camarada presidente: a decisão é acertada e deve representar um grande alívio para si, assim como para todos os angolanos de bem que aspiram à mudança e a uma nova liderança.

Rubén Pedro, jovem e estudante angolano, não espera grandes mudanças com essa decisão:

Não vejo novidade nesta saída, se na mesma o pobre continuara pobre, o licenciado sem emprego… o lixo e o mal atendimento nus hospitais vai continuar, quem já é rico vai continuar, e aquele pai de 6 filhos vai continuar desempregado, não há novidade.

Herminio Tavarius chega a considerar que a governação de Dos Santos foi um dilúvio :

Nunca teremos saudades de si, Sua Excelência. Puseste Angola na miséria, sem esperança, sem norte. O seu reinado foi de morte, perseguição, tortura, miséria, desgraça, tristeza, roubo, corrupção. Não trabalhei consigo e não o conheço pessoalmente, mas foste um mau presidente…separou famílias, separaste os angolanos. Não o julgo, mas foste péssimo presidente. Que Deus lhe perdoe !

Para Valdemiro Pascoal a liderança do presidente angolano foi marcada pela delapidação dos cofres do Estado :

É na liderança de Eduardo dos Santos que se viu os piores escândalos de corrupção de todos os tempos onde generais, membros do MPLA e muitos tornaram-se milionários da noite pro dia delapidando o erário público e hoje como afirmaste, vivemos a vender uma falsa imagem ou de aparência, nos tornamos no estado falido.

Em meio a críticas, há quem diz que sentirá saudades de JES:

Sentiremos saudades suas senhor presidente independentemente do trabalho feito seja bom ou mau, na verdade mostrar ser um bom líder, Fizeste calar muitas bocas, obrigado senhor presidente bom descanso.

 

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.