Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

De visita a Moçambique, Erdogan recebe críticas de jornalistas e activistas nas redes sociais

Recep Erdogan

Recep Erdogan, Presidente da Turquia. Fonte: Flickr Oficial. Domínio Público

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, está em Moçambique acompanhado de 150 empresários para uma visita de dois dias, com o objetivo de forjar laços económicos e comerciais no continente africano. Erdogan já passou pela Tanzânia e no dia 25 seguirá para Madagáscar.

Esta é a primeira vez que um Presidente da Turquia vem a Moçambique desde que os dois países estabeleceram relações diplomáticas, em 1975. Ambos países firmaram acordos de cooperação comercial que ainda não foram tornados públicos. Erdogan também pediu a Nyusi ajuda no combate ao terrorismo.

A visita de Erdogan a Moçambique surge numa altura em que a Turquia, país que apresenta um registo negativo em termos de liberdade de imprensa e de expressão, vive momentos de instabilidade política e social após a tentativa fracassada de golpe de estado em Julho do ano passado.

Milhares de militares, académicos, servidores públicos, jornalistas e opositores encontram-se detidos ou em julgamento pelo seu alegado envolvimento. Essa situação não passou despercebida entre os moçambicanos, que chamam à atenção do Presidente Turco para não dar “lições” sobre democracia e liberdade durante a sua estadia.

Foi o que disse Marcelo Mosse, jornalista e activista social, ao mandar um recado para Erdogan em sua página pessoal no Facebook.

Senhor Recep Taiyip Erdogan: Somos uma jovem democracia inacabada mas nossa imprensa é plural e vibrante e a liberdade de expressão é palpável apesar d'algumas derivas sanguinárias. Por isso, não venha cá com lições sobre poder e média. Nisso você é um mau exemplo. Você tem 120 jornalistas detidos e mandou encerrar 150 publicações. Você é um mau exemplo para um país que está cultivando suas sementes de liberdade. Fica longe destes temas, por favor.

Respondendo a Marcelo Mosse, o historiador Egídio Vaz ressalta que a visita de Erdogan deve ser vista à luz dos benefícios para Moçambique, independentemente dos problemas internos enfrentados pela Turquia. Também no Facebook, ele destacou a relação de proximidade entre o Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, e o Presidente Turco:

Retribuição
Dois Airbus, mais de 150 empresários de verdade e uma agenda carregada. O navio carregado de viaturas particulares ja está no porto de Maputo. Nyusi conheceu Erdogan enquanto ainda candidato a Primeiro ministro, num machimbombo em Ankara. A agenda apertada do então candidato fez com que não sobrasse mais tempo senão conversar num machimbombo em movimento.
Lá Vem ele de novo em sua potência para retribuir o gesto da amizade. Turquia está em África a sério e a fazer negócios.
Erdogan em Maputo.