Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Inacreditável: Polícia religiosa da Arábia Saudita prende mascote “feminina”

Saudi Arabia's vice police arrested this mascot at the opening of a sweet shop because .. it wasn't wearing the Islamic attire

A polícia religiosa da Arábia Saudita prendeu essa mascote na abertura de uma loja de doces, porque .. ela não estava usando o traje islâmico

A Comissão da Arábia Saudita para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício, ou polícia religiosa, prendeu uma mascote feminina na abertura de uma loja de doces na capital, Riyadh, porque não estava usando o traje islâmico imposto às mulheres no reino conservador. O pior é que a mascote, na verdade, era um homem, fingindo ser uma mulher, que não estava coberto e que estava fazendo gestos inapropriados com outra mascote do sexo masculino que o acompanhava.

No Twitter, internautas riram e brincaram com o incidente, reclamando sobre a falta de liberdade das pessoas. Muitos nem queriam acreditar que este incidente realmente ocorreu.

Incrédulo, Najwa Hammoud escreveu no Twitter:

Eles prenderam uma mascote???

Migrant Soul também se mostrou confuso:

Aqui está a hashtag, ainda não posso dizer se é real ou sátira

É verdade? Sim. A polícia religiosa na verdade prendeu uma mascote e as reações dessa prisão podem ser encontradas sob a hashtag #الامر_بالمعروف_تعتقل_دمية que se traduz em polícia_religiosa-prende_uma_mascote.

Naifco, que tem 216 mil seguidores no Twitter, compartilha esse relatório da polícia religiosa com mais detalhes suculentos sobre o incidente:

Neste dia, recebemos uma série de relatórios sobre dois bonecos, um homem e uma mulher, que estavam fazendo gestos inaceitáveis na frente da loja Sanabil Al Salam e sua presença atraiu uma enorme multidão na estrada rei Abdulla. Fomos para o referido local e assistimos aos dois bonecos fazendo o que os queixosos disseram. Quem vestia a mascote do sexo feminino era um homem. Após contato com o superintendente da área de Kharj, falamos com o homem (vestido de boneca) e obrigámo-lo e ao seu supervisor a assinar uma declaração de que não iriam repetir isso de novo e nós lhes recordamos sobre Allah e que o que eles fizeram, fingindo ser mulheres, é contra a sharia (lei islâmica). Eles mostraram remorso e pedimos-lhes para nos acompanhar até à delegacia para completar as formalidades.

Para muitos, o incidente foi uma oportunidade para reclamar sobre a falta de direitos no reino ultra-religioso. Aziz Al Qenaei lamenta:

A prisão de intelectuais; os direitos das mulheres; flagelação e lapidação; implementação da lei islâmica; e agora a prisão de uma mascote por não usar vestimentas islâmicas. É doloroso que os casos muçulmanos sejam agora questões das quais o mundo civilizado se distancia.

Jalal AlBaqshi acrescenta:

Quem lê sobre o registro crescente de ofensas desumanas, ainda vai se surpreender que uma mascote foi presa? Nunca. Não estamos surpresos.

 

E do Kuwait, avisou a escritor Dalaa Almoufti:

Aguarde nossas notícias em jornais mundiais e em programas de sátira estrangeiros

Você culpa alguém para compartilhar essa história?